domingo, 2 de março de 2008

Ofensiva militar desigual



O Estado de Israel além de ter promovido a ocupação dos territórios palestinos e impedir a criação de um Estado Independente Palestino desde 1948 e ao longo do século 20, agora deflagra uma ação militar (desigual, desproporcional e condenada pela ONU) sobre a Faixa de Gaza matando desde sexta-feira passada mais de 80 palestinos, sendo mais da metade mulheres e crianças.

Foto: um bebê palestino ferido é socorrido - AFP

As ações israelenses, além de claramente violarem decisões da ONU, parecem objetivar desmoralizá-la na região (Oriente Próximo) e jogar na lixeira da História as negociações de Paz que são indispensáveis à segurança de israelenses, palestinos e de todos os povos por suas repercussões internacionais na economia e na política internacionais.

Ontem, o vice-ministro da defesa de Israel (ex-general Matan Vilnai) já havia ameaçado os palestinos com (inacreditável que isto seja pronunciado por um israelita, ainda que da ultradireita messiânica) - um HOLOCAUSTO da população da Faixa de Gaza.

Ao alcance do presidente da ANP, Mahmud Abbas, só esteve a suspensão da Conferência de Paz de Annapolis (EUA, 2007) em seus efeitos para o presente.

Nenhum comentário: