sábado, 31 de dezembro de 2011

Rajoy impõe corte nos gastos públicos e aumento no Imposto de Renda

Espanhóis acordam com corte em gastos (investimentos) públicos e aumento violento no Imposto de Renda sobre a Pessoa Física. Um "presente" do novo governo de Mariano Rajoy (PP=direita) em "retribuição" à votação esmagadora que lhe deu a vitória e o governo central. O cara ainda mandou a vice-presidenta dar o anúncio, a Sra. Soraya Sáenz Santamaría. Me perdoem mas "Santa Maria" rogai pelos espanhóis, pois depois da tempestade ainda veio um terremoto!!

Você pode conferir o tamanho do estrago em www.elpais.com

Foto: CHEMA MOYA (EFE)
Observação: A vice-presidenta Santamaría também é a porta-voz do Governo del PP Espanhol

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

E se os peixes gritassem?

*Julio Dorneles

Em sete de outubro de 2006, o Rio dos Sinos foi atingido por um gigantesco crime ambiental, o qual levou à morte mais de um milhão de peixes. Esse crime ocorreu num contexto climático semelhante ao atual, com o Rio dos Sinos com o nível bastante baixo, uma vazão extremamente reduzida (especialmente no local da mortandade, a foz do arroio Portão) e uma grande carga orgânica (esgoto) no rio. Embora o ataque direto às prefeituras e às companhias de saneamento na época, restou comprovado que a causa da morte dos peixes foi a contaminação por produtos químicos lançados clandestinamente no arroio Portão, em Estância Velha. Ainda assim, os Municípios, cientes de que a carga de esgoto lançada diariamente no Rio dos Sinos e em seus afluentes contribui para a contaminação dos recursos hídricos da região, uniram-se sob a liderança de 12 cidades e seus prefeitos e fundaram o Consórcio Público de Saneamento Básico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos – Pró-Sinos. Passados apenas quatro anos, o Pró-Sinos apoiou e articulou projetos junto aos municípios, CORSAN, COMUSA e SEMAE e ao Governo Federal. Esses projetos resultaram em mais de um bilhão de reais para ampliação do tratamento de esgotos e de água em nossa região. Aliás, 90% desses recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) são voltados à implantação de redes e Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs). Destaque-se ainda que os recursos aprovados no PAC 1 e no PAC 2 representam nos próximos cinco anos a ampliação do tratamento de esgotos na Bacia do Sinos que efetivamente representam a ampliação gradativa do tratamento de esgoto em até 80% da carga de esgotos que era lançada diretamente no Rio dos Sinos e seus afluentes em 2006. Em 10 anos, projeta-se a ampliação desse índice para valores próximos a 90%, restando somente áreas rurais com tratamento primário, o que, na prática significará a universalização do saneamento nos municípios associados ao Pró-Sinos e que tem a prestação dos serviços de saneamento por companhias e autarquias públicas.
Contudo, muitas vezes, somos surpreendidos com críticas ferozes ao trabalho desenvolvido pelo Pró-Sinos. Não raramente, essas críticas não têm qualquer fundamento na realidade. Durante o ano de 2011, por exemplo, o senhor Ion Trindade (Sapucaia do Sul), que se diz escritor e ambientalista, publicou pelo menos uns três artigos em que ataca sem qualquer justificativa o Consórcio Pró-Sinos. Em seus artigos demonstra ignorar solenemente tudo o que está sendo feito não somente pelo Pró-Sinos, mas pela CORSAN, pelo SEMAE, pela COMUSA, pelos Municípios, pelo Governo do Estado e pelo Governo Federal. A quem incomoda maior tratamento de esgotos, maior fiscalização? Ou ainda: A quem incomoda monitorarmos diariamente o Rio dos Sinos e divulgarmos publicamente o resultado desse trabalho? Sem dúvida que tudo isso é só o começo. Muito ainda precisa ser feito e seguiremos fazendo.

Quando resgatamos 52 mil peixes agonizando em frente ao Humaitá (São Leopoldo), o senhor Rubem Martins, que nos auxiliava, declarou: “Se os peixes gritassem, o barulho seria ensurdecedor.” É verdade, seria sim. Eles gritariam com eloquência a indignação contra aqueles que insistem “em fazer de conta que o problema não é com eles” ou que “o problema é dos outros”. 
Hoje, o Pró-Sinos chegou a 26 municípios consorciados, restando apenas seis municípios dos 32 que compõem a Bacia do Rio dos Sinos para que o consórcio atinja a meta constante de seu Protocolo de Intenções por ocasião de sua fundação em 16 de agosto de 2007. Sejam bem-vindos ao Pró-Sinos os municípios de Cachoeirinha, Canela, Glorinha e Três Coroas para um ano de 2012 de muitas realizações.

Julio Dorneles é professor, especialista em administração pública e diretor executivo do Pró-Sinos.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Operação eleva para 50 mil o número de peixes retirados de área poluída do Sinos

Álisson Coelho


alisson.coelho@zerohora.com.br


Uma nova operação realizada na manhã deste domingo elevou para 50 mil o número de peixes retirados do Rio dos Sinos. Os animais estavam em um trecho altamente poluído do rio, próximo do centro de São Leopoldo.
Eles foram transportados até Sapiranga, onde voltaram para as águas do Sinos. A operação, batizada de Piracema, já havia sido realizada no sábado quando cerca de 25 mil peixes foram transportados.




Peixes recolhidos do Rio dos Sinos, em São Leopoldo.

Foto: Carlos Augusto Normann, Arquivo Pessoal / Elisa Schreiner, Arquivo Pessoal



Para ampliar a ação, desde às 7h deste domingo pelo menos 10 pessoas voltaram ao rio e retiraram outros 27 mil animais. O trabalho, organizado pelo Consórcio Pró-Sinos, deve ser realizado novamente no próximo sábado.

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/noticia/2011/12/operacao-eleva-para-50-mil-o-numero-de-peixes-retirados-de-area-poluida-do-sinos-3592678.html

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

OPERAÇÃO PIRACEMA no Rio dos Sinos


 O Consórcio Pró-Sinos organizará na manhã deste sábado, 10 de dezembro, às 8h, a OPERAÇÃO PIRACEMA, cujo objetivo é retirar os peixes que se encontram agonizando no trecho de São Leopoldo e levá-los em segurança até a Prainha do Rio dos Sinos, em Sapiranga. O local de início da operação será junto ao barco Martim Pescador, na Rua da Praia (localizada entre as margens do rio), no bairro Rio dos Sinos, em São Leopoldo. “Há condições ambientalmente adequadas para a reprodução e o desenvolvimento dos peixes no trecho médio do Rio dos Sinos a partir de Sapiranga”, afirma o diretor executivo do Pró-Sinos, Julio Dorneles.
A operação contará com o auxílio de um caminhão com tanque de água e cilindros de oxigenação para suportar aproximadamente 4 mil peixes e será acompanhada pela Brigada Militar e a Polícia Rodoviária Federal, que darão as condições de segurança e logística para o transporte. Esta ação recebeu o sinal positivo do prefeito de São Leopoldo e presidente do Pró-Sinos, Ary Vanazzi, tendo apoio da Defesa Civil, voluntários, biólogos, instituições parcerias e colaboradores do Consórcio.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Poder público começa a entrar em campo para enfrentar as questões ambientais

Poder público começa a entrar em campo para enfrentar as questões ambientais
A questão ambiental deixou de ser encarada pelos políticos como obrigação de uns poucos engajados na causa. Hoje, as administrações municipais têm que trabalhar para que a preservação da natureza seja real. Por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o governo federal faz com que certas normas e leis ambientais sejam cumpridas para que os recursos continuem sendo repassados às cidades.
Contudo, tecnologias de preservação existentes no Brasil são defasadas se comparados aos processos utilizados na Europa. Segundo Julio Dorneles, diretor executivo do Consórcio Pró-Sinos, grupo formado por prefeituras de cidades banhadas pelo Rio dos Sinos, existem leis ambientais em vigência, mas metodologias e custos estão longe do padrão europeu. Há deficiência também na geração de energia e reaproveitamento de recursos recicláveis.
Um claro exemplo de defasagem de tecnologias utilizadas no país, segundo Luiz Alberto Carvalho Junior, secretário de Meio Ambiente de Santa Maria, é a proibição de aterros sanitários na Europa. A regra passa a valer a partir de 2014. Enquanto no Brasil, a partir de 2012 serão proibidos os lixões.
Normas e leis propostas pelo governo federal buscam minimizar esses problemas. Existem regras, como a Política Nacional de Saneamento Básico, a Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Plano Integrado de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil. Além disso, há a possibilidade de consórcios públicos voltados à preservação ambiental. Cidades, como Santa Maria, criam planos de arborização e saneamento, que consiste em programar a curto, médio e longo prazo a destinação de esgoto pluvial e cloacal, resíduos e abastecimento de água.
Os municípios integrantes do Consórcio Pró-Sinos pretendem ampliar em um período de 5 a 10 anos o tratamento de esgoto, chegando próximo aos 100% na região. No segmento de reciclagem, as cidades que fazem parte do grupo têm a intenção de alcançar mais de 145 mil toneladas de resíduos reciclados, que retornarão ao ciclo produtivo.
Com investimentos em crescimento sustentável nas cidades, não somente a natureza será beneficiada, mas também a sociedade. “Todas as políticas públicas trazem garantias de qualidade de vida para a população. Cidade que investe em boas condições ambientais reduz gastos com Saúde Pública”, afirma Luiz Alberto Carvalho. Julio Dorneles salienta “Atendendo as exigências legais, os municípios continuam recebendo recursos do PAC. Com essas diretrizes a população terá garantido pelos próximos 20 anos serviços e tratamento adequado para água, esgoto e resíduos sólidos. Os municípios também poderão arrecadar recursos para o desenvolvimento das determinações.”


Roberto Nichetti
Especial Fiema Brasil/Assistente de AI
imprensa1@fiema.com.br

sábado, 26 de novembro de 2011

115 anos de Roessler e a repetição de uma tragédia

*Julio Dorneles (diretor executivo do Consórcio Pró-Sinos)

Nesse mês de dezembro de 2011 deveríamos estar comemorando os 115 anos do patrono da ecologia brasileira: Henrique Luiz Roessler (Porto Alegre, 16/11/1896). Foi em São Leopoldo e no Vale dos Sinos que Roessler passou praticamente a totalidade de sua vida e aqui assentou sua luta em defesa da natureza. Em 1955, Roessler fundou a primeira entidade ambientalista do Brasil, a União Protetora da Natureza (UPN). Foi delegado ambiental e cronista atuante em defesa dos recursos naturais e das matas da região. Pode-se tranquilamente ver em Roessler um gigante da educação ambiental décadas antes dessa ter qualquer relevância na legislação pátria e no ensino público. Roessler parecia, segundo seus poucos contemporâneos ainda vivos, uma enorme sensibilidade para perceber e “ensinar” acerca da fragilidade de nossos ecossistemas diante das agressões crescentes da presença humana na região, com dramáticos impactos associados às variações climáticas e à hidrodinâmica do Rio dos Sinos.

Nosso Rio dos Sinos vive alternadamente em cada ano sequência de períodos de chuva em maior volume com períodos de baixo índice pluviométrico. Além disso, historicamente, convive-se com anos com ocorrências de cheias e, ciclicamente, anos de fortes estiagens ou mesmo secas. Um conjunto de impactos promovidos pela ação humana: cargas químicas, cargas de esgotos domésticos, volumosa captação de água para cultivo de arroz e uso industrial, e tantos outros, se agregam ao fenômeno La Niña que provoca a redução das chuvas em nossa região. Nesta segunda-feira passada, dia 21, percebemos o surgimento na superfície do Sinos de uma pequena, mas preocupante quantidade de peixes mortos. Dramática situação diante do contexto. Terrível momento, pois um número extraordinário de peixes está subindo o Sinos para a reprodução (assim como estavam em outubro de 2006).

Roessler faleceu no mês de seu nascimento (novembro), em 14/11 de 1963, e nós estamos em 2011 sendo “mortificados” por agressões injustificáveis frente aos impactos das mudanças climáticas que estão a acentuar os riscos ambientais na Bacia do Sinos nesse período emergencial que vai até abril do próximo ano.

Que Roessler nos inspire!



www.juliodorneles.blogspot.com

www.consorcioprosinos.com.br

domingo, 20 de novembro de 2011

PP tem vitória acachapante sobre PSOE na Espanha

O PP massacra o PSOE na Espanha, exceto em Barcelona e Sevilla. E Espanha se afunda mais ainda, com o crescimento da direita e da extrema direita. Podes acompanhar o desastroso resultado das eleições na Espanha através de http://www.elpais.com/


Foto: ElPaís.com - fotogaleria

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Programa da TVE RS discute ações pelo Rio dos Sinos

O Cidadania da TVE RS desta quarta, dia 16/11, discute, entre outros assuntos importantes, a defesa do Rio dos Sinos, que tem a seu favor dois decretos que já estão em vigor e visam ações de prevenção e fiscalização da bacia hidrográfica responsável pelo abastecimento de 32 municípios. Esclarecem o assunto o diretor executivo do Consórcio Pró-Sinos Pró-Sinos,  Julio Dorneles  e o diretor técnico da Fepam, Rafael Volquind.
O Cidadania é apresentado por Maria Helena Ruduit e produzido por Sandra Porciúncula.

TVE
Cidadania
Quarta, 16/11, às 22h
Reprise no sábado, 19/11, às 8h.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

As atribuições dos Comitês de Bacia

A LEI Nº 10.350, DE 30 DE DEZEMBRO DE 1994, publicada no DOE de 01/01/95, que institui o Sistema Estadual de Recursos Hídricos, regulamentando o artigo 171 da Constituição do Estado do Rio Grande do Sul, em seu art. 19 estabelece as atribuições dos Comitês de Bacia Hidrográfica, ou seja, as atribuições do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos – COMITESINOS, veja abaixo quais são as nove (09) atribuições legais do Comitê:
Art.19 - Os Comitês têm como atribuições:

I - encaminhar ao Departamento de Recursos Hídricos a proposta relativa à bacia hidrográfica, contemplando, inclusive, objetivos de qualidade, para ser incluída no anteprojeto de lei do Plano Estadual de Recursos Hídricos;

II - conhecer e manifestar-se sobre o anteprojeto de lei do Plano Estadual de Recursos Hídricos previamente ao seu encaminhamento ao Governador do Estado;

III - aprovar o Plano da respectiva bacia hidrográfica e acompanhar sua implementação;

IV - apreciar o relatório anual sobre a situação dos recursos hídricos do Rio Grande do Sul;

V - propor ao órgão competente o enquadramento dos corpos de água da bacia hidrográfica em classes de uso e conservação;

VI - aprovar os valores a serem cobrados pelo uso da água da bacia hidrográfica;

VII - realizar o rateio dos custos de obras de interesse comum a serem executados na bacia hidrográfica;

VIII - aprovar os programas anuais e plurianuais de investimentos em serviços e obras de interesse da bacia hidrográfica tendo por base o Plano da respectiva bacia hidrográfica;

IX - compatibilizar os interesses dos diferentes usuários da água, dirimindo, em primeira instância, os eventuais conflitos.

sábado, 12 de novembro de 2011

A renúncia de Beslusconi

Caiu Berlusconi, fascista em relação aos imigrantes, ciganos, negros e pobres em geral, mas não sem fazer o serviço sujo antes e afundar a Itália ainda mais em medidas neoliberais, as mesmas que levaram a atual crise econômica quase que a Europa inteira e EUA: privatizações, terceirizações, quarteirizações, dinheiro para banqueiros e nada para o povo.

Foto: El.País.com

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Termo prevê melhorias no saneamento básico de Três Coroas

Meio Ambiente - 09/11/2011 16h35



Atualizado em 09/11/2011 16h42
Medida prevê ainda fiscalizar destino dos esgotos domésticos de todas as residências, até dezembro de 2012.

Da Redação/Jornal NH – Grupo Editorial Sinos
Três Coroas


- Nesta terça-feira, o promotor de Três Coroas, Daniel Gonçalves, e o promotor Regional do Meio Ambiente, Daniel Martini, assinaram Termo de Cooperação Técnica com o município de Três Coroas para a melhoria da qualidade do Rio dos Sinos. No documento, o prefeito Rogério Grade se compromete em elaborar os planos de saneamento básico e resíduos sólidos, bem como fiscalizar o correto destino dos esgotos domésticos de todas as residências, até dezembro de 2012.

Conforme Daniel Martini, o Termo de Cooperação foi construído nos moldes do Pacto pelo Sinos, originado a partir da mortandade de peixes ocorrida em 1º de dezembro de 2010. Os 25 municípios integrantes do Consórcio Pró-Sinos já assinaram documentos semelhantes. Mesmo não participando do consórcio, Três Coroas aceitou participar da iniciativa. “É muito importante essa perspectiva de Três Coroas também participar do Pacto Pelo Sinos, mesmo sem fazer parte do consórcio; o município está comprometido, já tem cronograma pré-definido para a elaborar ações para melhorar a qualidade da água na bacia”, ressaltou Martini.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Matérias de capas dos jornais VS, NH e DC de hoje

Estado entra em cena para ajudar a proteger o Rio dos Sinos

Tarso assinou na segunda-feira decretos para integrar ações e fiscalizar obras de saneamento.

Filipe Limas/Da redação

Novo Hamburgo

- A antiga reivindicação do Consórcio Público de Saneamento Básico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Pró-Sinos), de maior participação do Estado nas ações em prol do Rio dos Sinos, começa a tomar forma. Ontem, na presença de prefeitos e autoridades da região, o governador Tarso Genro assinou dois decretos que devem ser publicados hoje, quando começam a vigorar. O primeiro cria um comitê para tratar do urgente problema da estiagem que costuma atingir o Sinos até o final de março, e o segundo para fiscalizar as ações referentes aos PAC 1 e 2 nas cidades da bacia.

Para o presidente do Pró-Sinos e prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, o ato do governo representa a participação efetiva enquanto órgão público das ações do grupo na bacia do Sinos, responsável pelo abastecimento de 32 cidades da região. “Hoje o Estado está tomando uma política muito importante, pois até então não participava”, comentou. O diretor-executivo do consórcio, Julio Dorneles, destacou que ontem foi dado um grande passo na parceria com o governo. “A gente ainda espera o ingresso não do governo, mas do próprio Estado do Rio Grande do Sul como ente do consórcio”, comentou.

OS DECRETOS

Plano de emergência - O primeiro decreto assinado ontem institui o Plano de Emergência da Bacia do Rio dos Sinos e cria Comitê Gestor para atuar no âmbito da Secretária Estadual do Meio Ambiente. Efetivamente, o decreto busca prevenir desastres ambientais. “É para cuidar das ações de prevenção de catástrofes ambientais na Bacia do Sinos, principalmente nesse período crítico, que vai até abril do ano que vem”, explica o diretor-executivo do Pró-Sinos, Julio Dorneles. Segundo ele, o governo do Estado integrará esforços com as ações já tomadas pelo consórcio.

Fiscalização de obras - O segundo decreto assinado por Tarso Genro cria o Comitê Estadual dos Sinos. Atuando a partir da Secretaria de Habitação e Saneamento e da Secretaria do Meio Ambiente, tem a finalidade de acompanhar os trabalhos dos PAC 1 e 2 do governo federal, e planos municipais e regionais de saneamento básico. Desde a primeira versão do Programa de Aceleração do Crescimento, foram destinados cerca de R$ 700 milhões para tratamento de esgoto e água nos municípios da bacia do Sinos. “O Estado vai acompanhar, porque essas obras precisam de fiscalização e controle, para que não atrasem, evoluam, que o licenciamento ambiental seja ágil, mas também de forma adequada, e para que esses recursos se destinem ao que deve ser feito realmente”, comenta Dorneles.

Secretário fala de participação

Sobre as medidas anunciadas pelo governador Tarso Genro, o secretário do Meio Ambiente de Novo Hamburgo, Ubiratan Hack, afirma que o plano de emergência chega em boa hora. “Deve ser intensa a participação e o envolvimento dos municípios nesse plano. Temos de participar e estar por dentro do que acontece e do que é decidido.” Sobre o Comitê Estadual, o secretário diz que o assunto deveria ser mais aprofundado.

Integração entre órgãos

O secretário estadual de Habitação e Saneamento, Marcel Frison, destacou que o importante dos decretos é que, pela primeira vez, tem-se uma integração entre municípios, consórcio, comitê da bacia, governo do Estado e União. “Até agora era uma ação separada. Nós vamos ter uma relação direta, integrando uma estratégia comum”, enfatiza. Frison explicou que essa união potencializará e garantirá o melhor aproveitamento dos recursos aplicados em obras de saneamento e recursos hídricos. “A ideia é que a gente faça a integração entre os planos de saneamento e recursos hídricos, que são feitos separados, mas que têm de dialogar entre si”, detalha.

APOIO

Para o vice-presidente do Pró-Sinos e prefeito de Santo Antônio da Patrulha, Daiçon Maciel da Silva, agora as ações passam a ser integradas para evitar desastres no Rio dos Sinos. “Isso faz com que tenhamos uma integração geral, uma forma de trabalho mais sistêmica”, comenta. Outro prefeito presente na assinatura e conselheiro do consórcio, Pedro Luiz Rippel, de Rolante, diz que municípios pequenos serão beneficiados. “Temos o apoio do governo para buscar investimentos e agilizar as licenças necessárias para efetuar as obras de saneamento”, destaca.

Oxigenação normal em trecho do rio

São Leopoldo - A oxigenação do Rio dos Sinos está dentro da normalidade. É que apontou a inspeção realizada ontem pelo consórcio Pró-Sinos. Foram vistoriados 14 pontos de Portão até Sapiranga, seis na porção Sul e oito na porção Norte, partindo de São Leopoldo. De acordo com o diretor executivo do Pró-Sinos, Julio Dorneles, os níveis de oxigênio dissolvido estiveram entre 5 e 6 miligramas por litro de água, considerados normais.

Em Campo Bom e Sapiranga, na parte alta da bacia, o indicador chegou a 6 e 7 mg/L. A ação foi motivada pelo baixo índice de oxigenação na semana passada e a proximidade do defeso, que começa hoje, o que aumenta a concentração de peixes no curso de água. O indicador estava desde o dia 18 de outubro abaixo de 2 mg/L e chegou a atingir a marca de 1,6 mg/L.

QUEM PARTICIPOU

Participaram da inspeção integrantes do Pró-Sinos, Ministério Público, Martim Pescador e das Secretarias de Meio Ambiente de Sapiranga e São Leopoldo.Os dados serão repassados para o Ministério Público que, após análise, encaminhará para a Fepam. Uma nova inspeção deve ocorrer na semana e virá de Taquara em direção a São Leopoldo.

Vistoria adiada para quinta-feira

A Secretaria do Meio Ambiente de Novo Hamburgo adiou para quinta-feira a fiscalização no Rio dos Sinos que ocorreria ontem. Serão avaliados os limites do Município com Campo Bom e São Leopoldo, de São Leopoldo com Portão e a saída do Luiz Rau no bairro Santo Afonsos. Serão 20 perímetros em avaliação.

ARROIOS

A situação dos nos arroios preocupa. No Sapiranga, na cidade de mesmo nome, a oxigenação estava em 1,6 mg/L e a condutividade, que revela presença de metais pesados, estava em 112, enquanto as marcações ideias são 50 a 60. Já no Arroio Müller, em Campo Bom, a oxigenação estava em 2,2 mg/L, enquanto a condutividade estava em 200. Conforme Julio Dorneles, os arroios são os que mais despejam poluição no Sinos e, apesar de críticos, os indicadores são normais diante do volume de água e efluentes despejados.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Nível do Rio dos Sinos baixo e oxigênio dissolvido em níveis críticos

BAIXOS NÍVEIS DE OXIGÊNIO DO RIO DOS SINOS PREOCUPAM O CONSÓRCIO PRÓ-SINOS
O Consórcio Público de Saneamento Básico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos - Pró-Sinos ALERTA sobre o grau da qualidade da água do Rio dos Sinos, tendo sido verificados níveis críticos de oxigênio dissolvido em diversos pontos da bacia. Devido a esse cenário poderá ocorrer nova mortandade de peixes.
A situação é preocupante, pois esses níveis têm sido constatados desde o dia 18 de outubro através da central de monitoramento do Pró-Sinos. As prováveis causas são o menor volume de água (nível do rio) verificado nos últimos dias, associado ao aparente aumento da carga poluidora comprovado pelas análises químicas disponibilizadas pelo Serviço Municipal de Água e Esgotos de São Leopoldo – SEMAE e por outras fontes de monitoramento.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Divulgação Pró-Sinos: Parceria com o MP RS



Cachoeirinha, Campo Bom e Estância Velha firmam parceria com MP RS
Mais três municípios do Consórcio Público de Saneamento Básico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Pró-Sinos) firmaram na manhã desta segunda-feira, 10 de outubro, termos de cooperação técnica com o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul (MP RS). Os prefeitos José Waldir Dilkin (Estância Velha) e Faisal Karam (Campo Bom) acompanhados pelo diretor executivo do Pró-Sinos, Julio Dorneles, e por diversos secretários, procurados e técnicos dos municípios de Cachoeirinha, Campo Bom e Estância Velha participaram de ato presidido pelo Procurador Geral de Justiça do Estado, Dr. Eduardo de Lima Veira.  Os municípios do Consórcio Pró-Sinos serão modelos para reaplicação de suas práticas nos municípios gaúchos através do Projeto RESsanear do MP estadual. Recentemente já haviam assinado termos de cooperação os municípios de São Leopoldo e Dois Irmãos, também associados ao Pró-Sinos.
O Projeto RESsanear foi idealizado pelas Coordenadoras das áreas de Meio Ambiente, Ordenamento Urbanístico e Defesa do Consumidor, respectivamente,  dra. Marta Pacheco, dra. Josiane Camejo e dra. Têmis Limberger.

Veja as áreas dos termos de cooperação firmados entre os municípios do Pró-Sinos e o MP RS:
São Leopoldo:  cooperação na elaboração de Plano Municipal de Resíduos Sólidos
Dois Irmãos:  cooperação na elaboração de Plano Municipal de Saneamento Básico
Cachoeirinha: cooperação na política de redução de embalagens
Campo Bom: cooperação na política de logística reversa
Estância Velha: cooperação na política de logística reversa
Foto: PGJ Eduardo de Lima Veiga com  prefeitos José Waldir Dilkin (EV) e Faisal Karam (CB)


Fontes: Assessoria de Comunicação do MPRS e Consórco Pró-Sinos

domingo, 9 de outubro de 2011

Cristãos coptas enfrentam o exército do Egito

Foto: EFE/El.País.com

Este domingo está sendo marcado no Egito pelo enfrentamento entre cristãos coptas e o exército egípcio. O cristianismo copta do Egito é um dos ramos mais antigos do cristianismo, e embora conflitos existissem antes da queda de Hosni Mubarak, parece que os coptas estão reagindo a uma escalada de agressão a seus templos e praticantes que são evidentemente uma minoria ante a massa muçulmana desde a ocupação do Egito por árabes e sua consequente islamização.
Os conflitos deste domingo registraram até agora 23 mortos (sendo 4 destes soldados).  Os cristãos coptas representam 10% da população egípcia.


A Igreja Ortodoxa Copta, segundo a tradição, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egito em meados do século I (algo próximo ao ano 60 d.C.). É uma igreja não-calcedônica, ou seja, uma igreja cristã que não está em comunhão direta com a Igreja Ortodoxa (Bizantina, Oriental) nem com a Igreja Católica Apóstólica Romana. É por assim dizer a Igreja cristã nacional do Egito. Aliás, "COPTA" é sinônimo de "egípcio, egípcia", isto é, a igreja cristã ortodoxa egípicia. A Igreja Copta é dirigida pelo seu Papa ou Patriarca Shenouda III,  Bispo de Alexandria, que a governa com auxílio do Sínodo Copta. A língua copta, preservada pela igreja copta, é a língua do Antigo Egito.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

5 anos da mortandade de peixes no Sinos

Com nosso compromisso firme e com o efetivo engajamento do Governo do Estado através de diversas secretarias e órgãos da administração direta e indireta do Estado (incluindo CORSAN, FEPAM, Polícia Civil e Brigada Militar), chegamos aos 5 anos da mortandade de 7 de outubro de 2006 com a certeza de que vamos reverter as condições ambientais da Bacia do Rio dos Sinos. Compromisso do Pró Sinos.


Foto: Ingresso do Município de Canela/RS no Pró-Sinos/acervo próprio

Contudo, sabemos que nossa Bacia é uma bacia de alto risco em razão não somente da presença de forte carga poluidora, indústria química etc. (sempre sujeita não somente a crimes, mas a acidentes) e pela própria natureza (hidrodinâmica do Sinos) do rio que oscila muito em seu nível e vazão (situação agravada com o aumento da captação de água para a rizicultura).

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Pró-Sinos assina com a CAIXA contratação dos planos de saneamento

Logo mais, às 14h, no salão nobre da Prefeitura São Leopoldo, o Pró Sinos assina com a CAIXA contratação do PLANO REGIONAL e dos Planos Municipais de Saneamento Básico para 25 municípios do Vale do Sinos. Evento, sem dúvida, que constitui-se num marco histórioco para nossos municípios e para a gestão pública do saneamento básico e ambiental da Bacia do Rio dos Sinos.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Municípios do Vale do Sinos são destaques em investimentos em saúde

O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul (TCE RS) divulgou ranking de investimentos dos municípios gaúchos em saúde. O ranking considera a verba investida de 2006 a 2010 e o percentual desta em relação à receita municipal. O ranking considera os 496 municípios gaúchos.

Entre os doze municípios que lideram o ranking estão municípios da região do Vale do Sinos:

São Leopoldo, em 2º lugar, com 30,51% da receita investida em saúde
Sapucaia do Sul, em 4º, com 29,16%
Estância Velha, em 9º, com 27,26%
Novo Hamburgo, em 11º, com 26,54%
Esteio, em 12º, com 25,96%

Para mais informações em relação ao ranking consulte: http://www.tce.rs.gov.br/ (na aba Consultas, Contas Municipais, Gastos com Saúde)

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

"A sociedade paraguaia não está a favor dos indígenas"

Foto: Dom Felipe entrega o prêmio a Bartolomeu Meliá (EFE-El.País.com)


O jesuíta espanhol Bartomeu Meliá, defensor da língua guarani e dos direitos indígenas no Paraguai, recebeu o prêmio Bartolomeu de las Casas 2011



O sacerdote jesuíta espanhol recebeu ontem o Prêmio Bartolomeu de las Casas em reconhecimento por seu profundo estudo da língua guarani e sua férrea defesa dos indígenas do Paraguai. Uma causa que abraçou nos anos cinquenta, razão que levou a sua expulsão do país em 1977 e pelo que retornou quando da queda do regime ditatorial de Alfredo Stroessner.

Veja mais na edição eletrônica de EL.PAÍS.com


Saiba quem foi Bartolomeu de Las Casas (1474, Sevilha a 1566, Madri)

Bartolomeu de Las Casas nasceu em Sevilha (Espanha). Estudou Direito na Universidade de Salamanca, onde os Dominicanos estavam travando uma luta no campo da moral que surgiu com a conquista do Novo Mundo. Ambivalente quanto a essas questões morais, em 1502, Las Casas aventurou-se na ilha Hispaniola (atualmente República Dominicana e Haiti), conseguiu uma fazenda e tomou para si alguns nativos americanos como escravos. Oito anos mais tarde, a Ordem Dominicana dos Pregadores chegou em Hispaniola, condenando todo o sistema de escravidão como tirânico e mau. Essa pregação afetou profundamente Las Casas. Depois de um período de orações e reflexões ele tornou-se padre e foi o primeiro a celebrar a missa em Hispaniola.


Ele foi nomeado capelão da Armada Espanhola durante a invasão de Cuba. Testemunhou, em primeira mão, o horrível massacre dos povos nativos. Las Casas retornou à Espanha no ano seguinte para apresentar o pleito pedindo ao Conselho das Índias e ao rei Fernando de Aragão, o fim dessas atrocidades contra os povos nativos. O rei concedeu a Las Casas o título de “protetor dos índios” e outorgou inúmeras leis que pretendiam, de forma ostensiva, remediar a situação. No entanto, depois de menos de um ano e outra viagem de volta à Espanha, Las Casas percebeu que o rei não pretendia forçar os colonizadores a obedecer às leis recém-promulgadas. Determinado a continuar em sua demanda pela liberdade dos nativos americanos, Las Casas voltou a Hispaniola, libertou seus próprios escravos, e ingressou na Ordem Dominicana em 1522. Dedicou oito anos de sua vida em oração, reflexão e escritos. Por volta de 1544, foi indicado para Bispo da província mexicana de Chiapas. Todavia, os proprietários de terras locais se opunham à mensagem de liberdade, o que fez com que renunciasse ao bispado e retornasse à espanha em 1547. Viveu no convento de Nossa Senhora de Athocha em Madri até sua morte em 1566. Durante esse período, ele raramente falava com alguém, e se concentrava nos seus escritos. Aos noventa anos escreveu a última defesa à liberdade dos nativos americanos baseada na sua compreensão de direito de propriedade pessoal.
Sem temor da oposição de todos ao longo de sua vida, o intrépido libertador cruzou o Atlântico quatorze vezes para tentar persuadir a monarquia espanhola a decretar e aplicar leis humanitárias que pudessem levar a uma civilização pacífica e à conversão dos nativos. Mesmo assim ele nunca viu o fruto de seu trabalho amadurecer completamente.

Um parênteses aqui: A situação dos povos nativos de Chiapas não mudou muito nesses quase 500 anos. Com a palavra o Movimento Zapatista.

Adaptado de www.acton.org
Image from an 1876 mural by Constantine Brumidi, courtesy of the Architect of the Capitol Site

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Educação Popular pela Bacia do Rio dos Sinos


Por Julio Dorneles, Educador e Diretor executivo do Consórcio Pró-Sinos

A Bacia do Sinos abastece 32 municípios e tem uma área de 3.820 km². Seu principal rio é o Sinos, que percorre 190 km desde sua nascente em Caraá (RS) até sua foz no Delta do Jacuí (Canoas/RS). Nos dias 6 e 7 de outubro de 2006 uma tragédia abateu-se sobre o Rio dos Sinos: cerca de 100 toneladas de peixes apareceram mortos na foz do Arroio Portão. Era época da desova e da reprodução dos peixes. Tratava-se da maior mortandade registrada até então nos últimos 40 anos, alcançando repercussão nacional e internacional.

Mesmo antes desse trágico evento, a bacia do Sinos já era classificada entre as três bacias hidrográficas em situação mais crítica no Brasil pela Agência Nacional de Águas – ANA. Essa classificação crítica se dá basicamente por duas razões principais: o alto grau de poluição das águas e, indissociável disso, a baixa ou pouca disponibilidade de águas na bacia. Atualmente, a Bacia do Sinos depende da transposição de águas de outro importante rio do Estado do Rio Grande do Sul, o rio Caí. Além da poluição industrial e urbana, a situação se agrava muito com a intensa captação de água realizada para cultivo do arroz na maioria dos setores da bacia do Sinos.

A bacia dispunha desde 1988, do primeiro Comitê de Bacia Hidrográfica do Brasil, o Comitesinos, e também reunia centenas de entidades não-governamentais, movimentos sociais, sindicais e populares e ambientais pioneiros no país*, mas ainda precisava de um órgão executivo capaz de induzir projetos, planos e ações concretas e articuladas entre os entes da federação a fim de reverter a situação crítica da bacia do Sinos. Diante disso, nasceu o Consórcio Pró-Sinos que, desde o começo de suas atividades em 2007, contou com o apoio do FNMA/MMA no fomento à instituição de um programa permanente de educação ambiental, baseado na metodologia dos coletivos educadores, construindo-se então um Projeto Político Pedagógico (PPP) para o Programa de Educação Ambiental (PEA) do Pró-Sinos.

Segundo o MMA (Brasil, 2006), cada coletivo educador caracteriza-se pela união de pessoas que trazem o apoio de suas organizações para atuação educacional ambiental em um determinado território que se quer sustentável. No coletivo educador, as pessoas aprendem participando (metodologia PAP), de modo crítico, construtivo e dialógico (Figueiredo, 2007; Loureiro e Leroy, 2006). Dessa forma, cria-se um efeito de onda e gradativamente constituem-se redes de educadores ambientais populares que tem compromisso com a melhoria efetiva de seus territórios de atuação.

Em seus primeiros passos, o Programa de Fomento à Educação Ambiental voltada à recuperação ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos/Pró-Sinos-FNMA precisava reunir e integrar em rede inúmeras práticas pré-existentes de educação ambiental popular no território da bacia do Sinos. Como já referido, a região apresentava práticas de educação ambiental com diversos atores locais. Em alguns municípios da bacia, como, por exemplo, Parobé e Igrejinha, coletivos educadores ambientais atuavam havia décadas. Com a implantação do PEA Pró-Sinos/FNMA, essas práticas locais puderam integrar-se e intercambiar-se, o que facilmente o leitor poderá perceber na medida em que interagir com as práticas ambientais da bacia do Sinos.

Em quatro anos, o PEA Pró-Sinos/FNMA formou mais de três mil agentes de educação ambiental que atuam em associações, cooperativas, fóruns de recicladores, sindicatos, igrejas, entidades de classe, escolas públicas e comunitárias. Coletivos que atuavam de modo isolado e que desconheciam seus pares, hoje atuam de forma integrada em encontros micro e macrorregionais. A educação ambiental realizada por educadores e educandos em espaços escolares em muito ultrapassou os limites formais de escolas públicas, comunitárias ou privadas, integrando-se ao entorno escolar, ao bairro e à comunidade. Atualmente, é comum encontrarmos coletivos educadores com autonomia que agem em territórios de microbacias, junto aos nossos arroios (riachos, afluentes do Sinos). Evidentemente que essa práxis não somente enfrenta conflitos em relação aos usos e abusos dos recursos hídricos e de outros recursos naturais e patrimônios ambientais da bacia do Sinos, como gera demandas por políticas públicas de saneamento básico e ambiental, pelo controle e fiscalização de potenciais poluidores e por uma ampliação do compromisso da atual geração com as futuras gerações (eixo da sustentabilidade ambiental).

Como diz o professor Moacir Gadotti trata-se da pedagogia da práxis como "a teoria de uma prática pedagógica que procura não esconder o conflito, a contradição, mas, ao contrário, entende-os como inerentes á existência humana, explicita-os e convive com eles. Ela se inspira na dialética" (Gadotti, 2005, p. 239). Entendemos que uma educação popular ambiental na Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos passa por essa perspectiva, de uma educação transformadora, popular, que considera os mais oprimidos, os mais pobres, os mais excluídos da sociedade como sujeitos desse processo de transformação. No exato sentido do que ensinou-nos o mestre Paulo Freire: trabalhar as contradições básicas, a situação existencial dos sujeitos, concreta, presente, como problema desafiador, que exige resposta não somente intelectual (necessária por certo), mas também na práxis, na ação (Freire, 1987).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

* Vide a história de Henrique Luiz Roessler que funda em 1º de janeiro de 1955 a União Protetora da Natureza – UPN, a primeira entidade ecológica do Brasil.

BRASIL. Programa Nacional de Formação de Educadores Ambientais – por um Brasil educado e educando ambientalmente para a sustentabilidade. Brasília: MMA: Órgão Gestor da Política Nacional de Educação Ambiental, 2006.

FIGUEIREDO, João B. A. Educação Ambiental Dialógica: As Contribuições de Paulo Freire e a Cultura Sertaneja Nordestina. Fortaleza: Edições UFC, 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GADOTTI, Moacir. Encontros e Caminhos: Formação de Educadoras(es) ambientais e coletivos educadores. Brasília: MMA, 2005.

LOUREIRO, Carlos Frederico B.; LEROY, Jean-Pierre. Pensamento Complexo, Dialética e Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2006.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

MP RS lança projeto-piloto com municípios do Pró-Sinos como modelos


Porto Alegre/São Leopoldo, 30/08/2011, JD


Na tarde de segunda-feira, dia 29 de agosto, representantes do Consórcio Pró-Sinos e de quatro municípios que integram a entidade participaram de reuniões de trabalho na Sede do Ministério Público Estadual (MP RS) – Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente/CAOMA –, em Porto Alegre (RS), que serviram para firmar a parceria entre o Pró-Sinos e o MP RS no Projeto RESsanear (RES=Resíduos, Sanear=Saneamento). Neste projeto, que objetiva promover ações de saneamento e o atendimento das exigências da lei federal nº 11.445/2007 e da lei federal nº 12.305/2010 (Políticas Nacionais de Saneamento Básico e de Resíduos Sólidos, respectivamente), os municípios de Cachoeirinha, Campo Bom, Dois Irmãos e São Leopoldo, todos integrantes do Pró-Sinos, servirão de modelos para a reaplicação de ações da Política Nacional de Saneamento Básico em todo o Estado do Rio Grande do Sul.

Participaram das reuniões de trabalho do RESsanear: Faisal Karam (Prefeito Municipal de Campo Bom), Miguel Schwengber (Prefeito Municipal de Dois Irmãos), Julio Dorneles (Diretor executivo do Pró-Sinos), Dr. Daniel Martini (Promotor de Justiça, Promotor regional das Bacias do Sinos e Gravataí), Dra. Marta Leiria Leal Pacheco (Procuradora de Justiça, Coordenadora do CAOMA), Dra. Josiane Superti Brasil Camejo (Promotora de Justiça, Coordenadora do CAOURB), Têmis Limberger (Procuradora de Justiça, Coordenadora CAOConsumidor), Maurício Prass (Assessor técnico do Pró-Sinos), Joel Garcia (Diretor da SELIMP São Leopoldo), David Cafrune (Secretário de Meio Ambiente de Cachoeirinha), Delmira Sandra Carvalho (SEMA Cachoeirinha), Darci Zanini (Secretário de Meio Ambiente de São Leopoldo), Gisela Maria de Souza (Secretária de Meio Ambiente de Campo Bom), Milena Martorelli (Secretária de Planejamento e Habitação de Dois Irmãos) e Paulo José Schmidt Brachtvogel (Secretário de Administração de Dois Irmãos).

Os municípios do Pró-Sinos serão referências nas seguintes políticas:

Cachoeirinha: Redução de embalagens

Campo Bom: Logística reversa

Dois Irmãos: Plano Municipal de Saneamento Básico

São Leopoldo: Plano Municipal de Resíduos Sólidos

Nesta próxima quinta-feira, dia 1º de setembro, os prefeitos Luiz Vicente Pires (Cachoeirinha), Faisal Karam (Campo Bom), Miguel Schwengber (Dois Irmãos) e Ary Vanazzi (São Leopoldo, presidente do Pró-Sinos) ratificarão os termos de cooperação técnica entre os entes municipais e o MPRS, com o acompanhamento dos técnicos do Consórcio Pró-Sinos, em Seminário Estadual do Projeto RESsanear. Este seminário será promovido pelo MPRS em parceria com a FAMURS (Federação das Associações dos Municípios) no Auditório Mondercil Paulo de Moraes, na sede deste Ministério Público (Av. Aureliano de Figueiredo Pinto, nº 80, 3º andar, em Porto Alegre/RS).


Fotos: Assessoria de imprensa MPRS/CAOMA.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011


IPE anuncia convênio com o Mãe de Deus e reajuste na tabela médica
Stela Farias, Tarso Genro e Valter Morigi
O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira (11/8) pelo presidente Valter Morigi em solenidade com a presença do governador Tarso Genro
O Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPE) completou na última segunda-feira (8/8) 80 anos de existência. A data foi marcada por solenidade ocorrida nesta quinta-feira (11/8) com as presenças do governador do Estado Tarso Genro, da secretária da Administração e dos Recursos Humanos Stela Farias, e outras autoridades estaduais.
        O governador Tarso Genro destacou a importância da data para a memória do próprio Estado e o IPE como mecanismo de proteção social. “Estamos aqui festejando e reafirmando o valor das estruturas previdenciárias e de saúde para fortalecer cada vez mais as funções públicas do Estado”.
        No evento, o presidente do IPE Valter Morigi anunciou o convênio recém firmado com o Hospital Mãe de Deus, divulgou a nova tabela de remuneração dos prestadores de serviço (abaixo) e falou sobre a história e o futuro do Instituto. “Ouso dizer que este é um aniversário especial pela façanha de atingir 80 anos e por estarmos anunciando medidas que marcarão um novo momento na história do IPE. Estamos trilhando um caminho de compromisso com o caráter público desta instituição graças ao trabalho de milhares de servidores. A eles o nosso agradecimento”.
Os novos valores serão pagos de forma retroativa a contar de 1º de agosto de 2011. O objetivo do Instituto é melhorar o sistema de atendimento ao usuário e também reparar parcelas de reajustes que não foram pagas pelo governo anterior. Entre consultas, procedimentos e diárias hospitalares, o montante de recursos do reajuste chega a R$ 105 milhões. Na consulta médica, por exemplo, o reajuste foi de 39%. Assim, o médico que recebia R$ 33,60 por consulta recebe agora R$ 47,00.
Com relação ao convênio com o Grupo Hospitalar Mãe de Deus, inicialmente duas unidades farão atendimentos aos usuários do IPE a partir de 1º de setembro de 2011. A sede do bairro Menino Deus disponibilizará 30 leitos para internações de curto prazo (até 72hs) além de partos, UTI Neonatal, cirurgias ambulatoriais e hemodinâmica, além dos procedimentos já realizados por convênio como laboratório de análises clínicas e transplante hepático. A unidade Mãe de Deus Center localizada na av. Carlos Gomes, também na capital, inicialmente fará atendimentos de urgência e cirurgias ambulatoriais. A expectativa da diretoria médica do IPE e da administração do Grupo Mãe de Deus é ampliar o convênio gradativamente nos próximos anos.
A secretária da Administração e dos Recursos Humanos Stela Farias destacou o compromisso do Estado com o IPE. “O nosso compromisso é fortalecer uma instituição essencial, que continuará pública, atuante na vida dos gaúchos e das gaúchas e cumprindo uma missão essencial, que é a proteção do futuro e da vida. Este é o melhor presente que podemos dar ao IPE nos seus 80 anos".
Além das autoridades já citadas estiveram presentes na cerimônia a deputada estadual, Mirian Marroni, representando a presidência da Assembléia Legislativa, o Secretário Estadual do Gabinete dos Prefeitos e Relações Federativas Afonso Motta, o procurador-geral do Estado Carlos Henrique Kaipper, o subdefensor público-geral Newton Arneck Maria e o presidente do Sindicato dos Servidores do IPE (Sindipe) Bayard Schneider Bernd, entre outros.
Foto: Humberto Alencastro
Na foto: Stela Farias, Tarso Genro, Valter Morigi

REAJUSTES DA TABELA DE REMUNERAÇÃO DO IPE

Consultas: R$ 47,00 (valor por consulta)
Procedimentos médicos: 20%
Pronto-atendimento: R$ 48,00
Taxas: 40%
Descongelamento dos medicamentos de uso restrito (preço de fábrica + 38,5%)
Diárias psiquiátricas: 30%
Diárias (menos UTI/CTI psiquiátrica): 10%
Diárias UTI/CTI (cód. 876): 30%
Análises clínicas: 10%
Anatomia patológica: 10%
Ecografia: 25%
Tomografia: 10%
Ressonância: 10%
Medicina nuclear: 10%
Hemoterapia: 10%
Hemodiálise: 10%

Luciana Fagundes
Assessoria de Comunicação do IPE

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

El Salvador coloca à disposição da Justiça nove militares envolvidos na matança de seis jesuítas e duas mulheres em 1989

O juiz da Corte Nacional Eloy Velasco havia emitido uma ordem de captura em maio passado

Fonte: AGENCIAS - San Salvador - 08/08/2011

O Ministério da Defesa de El Salvador pôs à disposição da justiça nove militares envolvidos na matança de seis sacerdotes jesuítas – cinco deles espanhóis – e duas mulheres em 1989, cuja captura foi ordenada pelo juiz do Corte Nacional (Suprema Corte) de Justiça, Eloy Velasco.

Os nove oficiais se apresentaram “voluntariamente” no domingo diante da Brigada Especial de Segurança Militar, em San Salvador, depois de que a Polícia Civil Nacional recebera a ordem de captura de difusão vermelha emitida pela Interpol (a política internacional) para um total um total de 10 agentes, informou a Presidência salvadorenha em um comunicado.

Os militares, retirados do serviço, foram apresentados nesta segunda-feira às 8 horas diante do Juiz. Os nove militares entregues à Justiça são: os generais Rafael Humberto Larios e Juan Rafael Bustillo; Francisco Helena Fuentes, Juan Orlando Zepeda e Mariano Amaya Grimaldi. Também estão José Ricardo Espinoza Guerra, Gonzalo Guevara Cerritos, Antonio Ramiro Avalos Vargas e Tomás Zárpate Castillo, indica a nota oficial.

O juiz Velasco solicitou em 30 de maio a captura de cerca de 20 militares implicados na morte dos sacerdotes espanhóis Ignacio Ellacuría, Segundo Montes, Ignacio Martín-Baró, Armando López e Juan Ramón Moreno, e o salvadorenho Joaquín López.

O massacre ocorreu em 16 de novembro de 1989 - em pleno conflito armado interno de El Salvador – quando membros do Batalhão Atlacatl atacaram a sede da Universidade Centro-americana e assassinaram aos sacerdotes mencionados e as duas mulheres, uma trabalhadora da universidade e sua filha de 16 anos.

A ordem internacional de captura incluía René Emilio Ponce, que faleceu em 2 de maio passado.


Detalhe das fotografías, da esquerda para a direita, dos sacerdotes espanhóis Juan Ramón Moreno, Ignacio Ellacuría e Armando López, asesinados pelo Exército em El Salvador (1989)- ROBERTO ESCOBAR (EFE)


Tradução: Julio Dorneles

domingo, 7 de agosto de 2011

Países ricos e endividados - ARTIGO DE OPINIÃO

*Julio Dorneles

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou que comprará as dívidas espanhola e italiana a fim de evitar a "segunda-feira negra" esperada para amanhã, dia 08 de agosto. Embora não tenha esclarecido que títulos das dívidas ou que partes das dívidas pretende comprar. De toda forma, o simples anúncio da medida pelo BCE expressa a preocupação da autoridade monetária europeia em tentar equilibrar a economia da zona do Euro. As recentes crises financeiras recorrentes que atingiram diversas nações europeias expuseram a fragilidade das medidas econômicas adotadas nos últimos anos na Europa e que foram incapazes de equilibrar as contas e possibilitar a retomada de um crescimento econômico sustentável no velho continente.

A crise financeira das nações europeias é gritante ao olharmos para a relação dívida/PIB. Aliás, na semana passada, os EUA ingressaram nesse “seleto clube” de endividados que tem suas dívidas públicas superiores a seus PIB’s. Mesmo assim, as agências de avaliação e classificação de riscos das dívidas seguem mantendo boas “notas” para essas “ricas nações endividadas”.

Vejamos a relação de algumas das principais nações endividadas (relação dívida pública/PIB):

País                              Dívida Pública/PIB                             US$ trilhões

Japão                                           229%                                    13,93

Grécia                                          152%                                     0,487

Itália                                             120%                                     2,7

Irlanda                                          114%                                    0,25

Estados Unidos                            100%                                     15,15

Bélgica                                           97%                                      0,50

Portugal                                          91%                                     0,22

França                                             88%                                    2,48

Canadá                                            84%                                    1,47

Grã-Bretanha                                   83%                                    2,06

Alemanha                                         80%                                    2,90

Fonte: Standard and Poor’s (S&P)

E nosso Brasil que tem aproximadamente de 55% de seu PIB comprometido com a dívida pública assiste todos os dias os neocolonizados comentaristas econômicos criticarem o alto nível de comprometimento de nosso PIB com a dívida pública. Realmente, eles têm toda razão, posto que o comprometimento seja alto e minimiza a capacidade de investimento em infraestrutura ou mesmo qualquer aporte significativo em saúde e educação. Mas o que esses neocolonizados têm a dizer sobre os países europeus e os Estados Unidos?

Curiosamente, são essas mesmas nações que lideram a coalisão que promove mais uma guerra pelo controle de petróleo, desta vez contra a Líbia. As mesmas nações que promoveram a invasão do Iraque (que não tinha qualquer arma de destruição em massa) e que ocuparam o Afeganistão, a fim de caçar um antigo aliado treinado pela CIA. Esse é o nosso velho mundo.

*Julio Dorneles é professor, especialista em administração pública e diretor executivo do Pró-Sinos.



quinta-feira, 28 de julho de 2011

Pensamento do dia

O sujeito ser um incompetente até poder ser aceitável, sempre pode ter alguém para fazer o que ele não fez ou para consertar. O que não dá para aceitar é a falta de caráter, a ausência de ética, o desprezo pelo interesse público.

http://www.juliodorneles.blogspot.com/

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Têm início as obras de Usina de reciclagem de Resíduos da Construção Civil do Pró-Sinos

Créditos para Juliano Palinha, da Redação do jornal VS (Grupo Editorial Sinos)

São Leopoldo - A manhã de sábado marcou o início das obras na Usina de Reciclagem de Resíduos da Construção Civil. O presidente do Consórcio Público de Saneamento Básico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Pró-Sinos), prefeito Ary Vanazzi, e prefeitos da região, entre outras autoridades, participaram da cerimônia.Oprojeto da usina é resultado de uma parceria entre o Pró-Sinos, Prefeitura de São Leopoldo, Fundação Banco do Brasil e BNDES. A usina está sendo construída no bairro Arroio da Manteiga próximo do Aterro Sanitário.

CAPACIDADE E ESCOLA

A capacidade de reciclagem da usina, que irá ocupar uma área de três hectares, é de cerca de 600 toneladas por dia.Conforme dados do Pró-Sinos, a estimativa é de que sejam recicladas aproximadamente 140 mil toneladas de resíduos por ano. A usina vai gerar inicialmente os seguintes reciclados: areia, brita zero, brita um e rachão.A unidade contará com uma escola da construção civil para capacitação da mão de obra e geração de trabalho e renda voltada à população de baixa renda, consolidando- se como centro de referência em tecnologias sociais. -

Projeto vai beneficiar 24 cidades

A Usina de Reciclagem de Resíduos da Construção Civil é inédita na região e beneficiará os 24 municípios consorciados ao Pró-Sinos. Com a estrutura, os resíduos da construção civil serão aproveitados para gerar matéria prima, auxiliando a reduzir a extração de recursos naturais e evitar o descarte inadequado dos resíduos em áreas de mananciais e de preservação ambiental. A usina também trará benefícios financeiros como a geração de emprego e renda e economia na compra de materiais. Conforme o Pró-Sinos, o investimento é de R$ 1,5 milhão (recursos do FBB/BNDES/Pró-Sinos/ Prefeitura de São Leopoldo), sendo R$ 1.392.205,40 aporte financeiro da FBB em parceria com o BNDES.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Pró-Sinos discute Plano Regional de Resíduos Sólidos

O Consórcio Público de Saneamento Básico da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Pró-Sinos) inicia, na próxima semana, as audiências públicas para apresentar e discutir o Plano Regional de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos (PRGIRS).
De acordo com o diretor-executivo do Pró-Sinos, Julio Dorneles, serão três encontros, um em cada região do Vale dos Sinos, com o objetivo de reunir todos os segmentos da sociedade para discutir o plano. "O plano é fundamental para agilizar os licenciamentos que estão travados", ressalta Dorneles. O conteúdo do Plano está disponível no portal do Consórcio Pró-Sinos: http://www.consorcioprosinos.com.br.

O diretor-executivo do Pró-Sinos, Julio Dorneles, destaca que as audiências são voltadas para toda a comunidade.
Confira o cronograma das audiências públicas e participe:

Terras Baixas:

14 de julho: 19h- Prefeitura de Canoas

Endereço: Rua 15 de Janeiro, 11

Compreende os municípios: Cachoeirinha, Canoas, Esteio, Glorinha, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, Sapucaia do Sul, São Leopoldo.

Terras Altas:

21 de julho: 19h- Câmara de Vereadores de Santo Antônio da Patrulha

Endereço: Av. Borges de Medeiros, 602

Compreende os municípios: Canela, Caraá, Dois Irmãos, Gramado, Santa Maria do Herval, Santo Antônio da Patrulha, São Francisco de Paula;


Terras Onduladas:

28 de julho: 19h- Auditório FACCAT de Taquara

Endereço: Av. Oscar Marins Rangel, 4.500

Compreende os municípios: Araricá, Campo Bom, Capela de Santana, Estância Velha, Gravataí, Igrejinha, Ivoti, Nova Hartz, Osório, Parobé, Portão, Riozinho, Rolante, São Sebastião do Caí, Sapiranga, Taquara,Três Coroas;


Atividades no segundo semestre

O Consórcio Pró-Sinos está elaborando cinco grandes seminários que deverão ocorrer no segundo semestre, com o objetivo de discutir os seguintes temas: Resíduos sólidos, usina de reciclagem, agência de bacia, educação ambiental e saneamento.

veja a agenda detalhada em http://www.consorcioprosinos.com.br/

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Dez canções de Facundo Cabral

El País publicou 10 canções de Facundo Cabral em uma de suas páginas na internet. O cantor argentino foi assassinado neste sábado passado (9.julho), aos 74 anos em um atentado na Cidade de Guatemala (capital de Guatemala). Vale sem dúvida ver e ouvir com muita atenção. A morte de Facundo Cabral repercutiu em todo o mundo hispânico. No Brasil, quase não foi mencionada. Grande perda. Perda para a eternidade. http://eskup.elpais.com/*facundocabral2011

sábado, 2 de julho de 2011

Pró-Sinos anuncia plano de saneamento e usina para resíduos da construção

Veja abaixo matéria divulgada pelo site da Prefeitura Municipal de Esteio/Assessoria de Comunicação.
O Encontro reuniu os interlocutores do Consórcio e representantes dos Coletivos Educadores dos municípios consorciados.

Quinta-feira, 30 de junho de 2011
Kleyton Fantin


O lançamento de um edital para produção dos planos regional e municipais de saneamento básico e o início da obras da usina de reciclagem de restos da construção civil foram os principais anúncios da reunião mensal do Consórcio Público de Saneamento da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Pró-Sinos), em Esteio. O encontro, realizado nesta quinta-feira (30) na Prefeitura, reuniu representantes dos municípios que integram o Pró-Sinos para apresentar as ações de preservação e educação ambiental realizadas na região.

O diretor executivo da entidade, Julio Dorneles, afirmou que até agosto deve ser lançado o edital para contratação de empresa para elaboração dos planos regional e municipais de saneamento, água, esgoto, resíduos sólidos e drenagem para as cidades que integram o consórcio. O Plano de Saneamento Básico tem como objetivo definir ações para defesa do meio ambiente, proteção das águas e promoção da saúde pública.
"Esse documento é importante, pois ele contém as informações que a legislação federal exige para liberar os recursos para obras nessas áreas. Ao final de 18 meses, cada município vai ter em mãos dados sobre o plano na região, para entender o contexto no qual está inserido, e o seu próprio diagnóstico. Se cada um fosse fazer esse trabalho, sairia muito mais caro para todos", disse Julio.

Outro anúncio feito por Julio durante o evento é o início das obras da Usina de Reciclagem de Resíduos Sólidos em São Leopoldo, previsto para final de julho. O local será adequado para receber entulhos da construção civil das cidades do Pró-Sinos.


Sobre o Pró-Sinos

O Consórcio Público de Saneamento da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Pró-Sinos) é a reunião de 25 dos 32 municípios que integram a Bacia do Rio dos Sinos, entre os quais, Esteio. Fundado em 16 de agosto de 2006, o Pró-Sinos desenvolve projetos, capta recursos e pode executar obras, serviços e estudos relacionados ao saneamento básico e ambiental na região envolvida com o Rio dos Sinos.