domingo, 7 de agosto de 2011

Países ricos e endividados - ARTIGO DE OPINIÃO

*Julio Dorneles

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou que comprará as dívidas espanhola e italiana a fim de evitar a "segunda-feira negra" esperada para amanhã, dia 08 de agosto. Embora não tenha esclarecido que títulos das dívidas ou que partes das dívidas pretende comprar. De toda forma, o simples anúncio da medida pelo BCE expressa a preocupação da autoridade monetária europeia em tentar equilibrar a economia da zona do Euro. As recentes crises financeiras recorrentes que atingiram diversas nações europeias expuseram a fragilidade das medidas econômicas adotadas nos últimos anos na Europa e que foram incapazes de equilibrar as contas e possibilitar a retomada de um crescimento econômico sustentável no velho continente.

A crise financeira das nações europeias é gritante ao olharmos para a relação dívida/PIB. Aliás, na semana passada, os EUA ingressaram nesse “seleto clube” de endividados que tem suas dívidas públicas superiores a seus PIB’s. Mesmo assim, as agências de avaliação e classificação de riscos das dívidas seguem mantendo boas “notas” para essas “ricas nações endividadas”.

Vejamos a relação de algumas das principais nações endividadas (relação dívida pública/PIB):

País                              Dívida Pública/PIB                             US$ trilhões

Japão                                           229%                                    13,93

Grécia                                          152%                                     0,487

Itália                                             120%                                     2,7

Irlanda                                          114%                                    0,25

Estados Unidos                            100%                                     15,15

Bélgica                                           97%                                      0,50

Portugal                                          91%                                     0,22

França                                             88%                                    2,48

Canadá                                            84%                                    1,47

Grã-Bretanha                                   83%                                    2,06

Alemanha                                         80%                                    2,90

Fonte: Standard and Poor’s (S&P)

E nosso Brasil que tem aproximadamente de 55% de seu PIB comprometido com a dívida pública assiste todos os dias os neocolonizados comentaristas econômicos criticarem o alto nível de comprometimento de nosso PIB com a dívida pública. Realmente, eles têm toda razão, posto que o comprometimento seja alto e minimiza a capacidade de investimento em infraestrutura ou mesmo qualquer aporte significativo em saúde e educação. Mas o que esses neocolonizados têm a dizer sobre os países europeus e os Estados Unidos?

Curiosamente, são essas mesmas nações que lideram a coalisão que promove mais uma guerra pelo controle de petróleo, desta vez contra a Líbia. As mesmas nações que promoveram a invasão do Iraque (que não tinha qualquer arma de destruição em massa) e que ocuparam o Afeganistão, a fim de caçar um antigo aliado treinado pela CIA. Esse é o nosso velho mundo.

*Julio Dorneles é professor, especialista em administração pública e diretor executivo do Pró-Sinos.



Nenhum comentário: