domingo, 13 de dezembro de 2009

Aminetu Haidar: segue em greve de fome


Impedida de reingressar em seu país e expulsa pela polícia do Marrocos, a ativista da independência do Saara Ocidental - Aminetu Haidar - segue em greve de fome no aeroporto de Lanzarote (Lançarote, Ilhas Canárias, España) há 26 dias.


Este ato do governo de Mohamed VI, Rei do Marrocos, que ocupa o Saara Ocidental desde 1975, viola o artigo 12 do Pacto de Direitos Civis e Políticos da ONU, subscrito inclusive por Espanha e Marrocos, que afirma que nenhuma pessoa pode ser impedida por ato arbitrário de entrar livremente em seu próprio país.
Foto: Gorka Lejarcegi, El País/España

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Dá-le Fernandão e Yarley


"Ajudar o Inter a ser campeão nos motiva", diz Fernandão.


Vamo, Vamo, Inter!!!


sábado, 7 de novembro de 2009

92 anos da Revolução Russa


Milhares de manifestantes comunistas foram às ruas de Moscou hoje a fim de comemorar os 92 anos da Revolução Russa de 07 de novembro de 1917 (25 de outubro no calendário gregoriano).

Foto: AFP

domingo, 20 de setembro de 2009

PAZ SEM FRONTEIRAS reune 1 milhão de jovens em Havana

Imagens: Reuters/El País.com


Olga Tañón (Porto Rico)
Juanes (Colômbia)
Praza de La Revolución, La Habana, Cuba









Concerto PAZ SEM FRONTEIRAS

O Concerto Paz Sem Fronteiras reuniu mais de meio milhão de pessoas na Praça da Revolução, La Habana, Cuba, neste domingo.
Os organizadores acreditam que 1 milhão de jovens cubanos assistiram ao concerto promovido pelo cantor colombiano Juanes, que esteve acompanhado de diversos outros músicos, com destaque para a cantora portoriquenha Olga Tañón.

O jornal El País, de Madri, refere o "rugido da multidão e o merengue endemoniado da cantora portoriquenha".

O show teve final apoteótico com Chan Chan de Compay Segundo.

As imagens dizem tudo.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Roda de Samba no Céu

Salve Martinho da Vila

Esta noite eu sonhei com uma roda de samba no céu
Com Pixinguinha, Donga, Almirante, Sinhô, Ismael...
Noel Rosa versava Wilson Batista respondia
Batucando num prato
João da Baiana sorria
Geraldo Pereira sambava
Marília Batista cantava
Araci de Almeida gingava
E Tia Ciata gostava
Era um samba de roda meio maxixado
Muito ritmado
Que Ataulfo Alves dizia ser samba rasgado
Se achegaram Vinícius, Heitor dos Prazeres, Padeirinho
E Cartola tocando a viola do Nelson Cavaquinho

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Programa da Terceira Jornada de Políticas Públicas de Acessibilidade Universal

Prefeitura Municipal de São Leopoldo RS

12/09/09
CAMINHADA – Acessibilidade Universal - 9h

14/09/09 – Câmara Municipal -
14h
AUTODEFENSORIA “ Políticas Públicas – Direitos Sociais”
Palestrante: Iria Charão

15/09/09 - Câmara Municipal -
9h às 12h
"Desenvolvimento motor e encefalopatias da infância"
Palestrante: Alessandra Storck de Mello, professora e fisioterapeuta da SMED/NAPPI

16/09/09 – Câmara Municipal –
14 hs
PROCON – Consumo Consciente
Palestrante: Márcia Medeiros de Fernandes - Advogada

ANIVERSÁRIO DO CONSELHO – 4 Anos

18hs30-21hs30 - Auditório EMEF Irmão Weibert
"Educação inclusiva e diversidade" (vagas limitadas)
Palestrante: professora Drª Marilene Cardoso

17/09/09 –Biblioteca Teatro
- 14 h às 18 h
Educação Ambiental – Ferramenta de Inclusão e Transformação.
Palestrante: Julio Dornelles

18/09/09 – Biblioteca Teatro
- 14 h às 18 h
"Atendimento Educacional Especializado no município de São Leopoldo"
Professoras das Salas de Recursos Multifuncionais

19/09/09
EDIÇÃO ESPECIAL Vale dos Sinos e Sininho

21/09/09 - Câmara Municipal
- 14h
Audiência Pública

* inscrições na DIMPD 55 51 3575.0599 - 3566.2568

domingo, 23 de agosto de 2009

Fogo tomou conta da Grécia e está às portas de Atenas


Um desastre atinge nesse momento a Grécia e o foto está próximo à Acrópole de Atenas.
Mais informações em www.elpais.com
Foto: AFP


sábado, 22 de agosto de 2009

Brigada admite erros, afasta subcomandante e surge testemunha que afirma que oficial da BM atirou em Sem-Terra


Foto: Grupo de sem-terra deixa velório e viaja em direção a Canguçu para o enterro - Genaro Joner


Uma ação de força e totalmente desproporcional, 232 PMs para remover 270 sem-terras (inclusive crianças). A ordem do Comandante geral era para não serem usadas armas letais, mas uma 12 (pelo menos!), arma típica dos policiais do GOE/POE, estava carregada com projéteis letais.



O ex-ouvidor agrário do governo estadual e também ex-ouvidor da Segurança Pública, Adão Paiani, afirmou ontem (dia 21) que o sem-terra Elton Brum da Silva foi morto pela Brigada Militar. Brum foi morto hoje com um tiro de espingarda calibre 12 no peito, durante desocupação da fazenda Southall, em São Gabriel, que estava invadida por militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).


Paiani diz que foi procurado hoje, na condição de ex-ouvidor da segurança pública, por um oficial da BM que assistiu à desocupação da fazenda Southall em São Gabriel. Esse PM relatou que o sem-terra Elton Brum foi morto durante discussão com um oficial da BM que atua na região da Fronteira e tentava realizar a remoção dos militantes do MST do local. Brum teria dito alguns palavrões para o oficial, que revidou com um tiro de espingarda. O próprio oficial e alguns soldados teriam providenciado a remoção de Brum, ainda vivo, para o hospital de São Gabriel, numa viatura da BM. Brum morreu a caminho daquela cidade. Até esse relato apresentado por Paiani, não havia versão sobre a morte de Brum — nem oficial, nem extra-oficial.

Hoje (sábado, 22), a BM já admite erros na operação e investiga a execução do sem-terra Elton Brum.
O Ministério Público de São Gabriel deve requisitou todas as armas utilizadas na operação, para verificar qual delas teria causado a morte de Brum.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

SEM-TERRA é morto em ação da Brigada Militar


Nesta manhã, 232 policiais militares participaram da reintegração de posse do terreno de cerca de 6 mil hectares que havia sido ocupado no último dia 12.

Do outro lado, estavam cerca de 270 sem-terra — metade deles composta por mulheres e crianças — que estavam em barracas no pedaço de terra invadido.

Por volta das 7h30min, a Brigada Militar cercou o acampamento e começou a desocupação. Pouco tempo depois, uma maca saiu carregando Elton Brum da Silva, 44 anos, baleado com um tiro nas costas que saiu pelo peito, segundo a Polícia Civil.
Levado pelos bombeiros, ele já chegou morto à Santa Casa de São Gabriel.
A Brigada dispunha de fotos aéreas do acampamento dos invasores e planejou a ação com base nessas imagens. Segundo a promotora de Justiça Lisiane Villagrande Veríssimo da Fonseca, de São Gabriel, que acompanhou a ação a pedido da Brigada e do Ministério Público, os sem-terra, no momento em que uma oficial de Justiça leu a ordem de reintegração de posse, já demonstraram que não tinham a intenção de sair:
— Os manifestantes batiam com foices, soltavam fogos de artifício e gritavam palavras de ordem — conta Lisiane.
Uma retroescavadeira tentou romper a barricada feita pelos sem-terra com galhos e madeiras, em volta do acampamento, mas a máquina acabou caindo em uma trincheira. No lado oposto ao acampamento, um trator conseguiu derrubar a barricada e a cerca de arame farpado. Enquanto isso, os policiais jogavam bombas de efeito moral e entravam pela parte da frente do acampamento, a pé e a cavalo. Nesse momento, houve conflito. Segundo a promotora, em menos de 10 minutos os sem-terra estavam dominados. A Brigada retirou, em grupos de 20 a 30 pessoas, as mulheres e as crianças que estavam no local. Em seguida, o mesmo foi feito com os homens. Também em grupos, os homens foram sendo identificados um a um. As mulheres e as crianças foram levadas em ônibus, por volta do meio-dia, para o acampamento Filhos de Sepé. Os homens foram para esse acampamento só no início da tarde, com exceção dos 18 líderes do grupo, que foram para a Delegacia de Polícia Civil de São Gabriel.
Pelo menos 13 pessoas foram atendidas na Santa Casa de São Gabriel com ferimentos — nove integrantes do MST e quatro policiais militares. Os PMs tiveram escoriações. Os sem-terra, na sua maioria, tinham cortes na cabeça. O MST alega que foram mais de 40 feridos entre seus integrantes. Alguns ainda estavam sendo atendidos no início da noite de sexta-feira, momento em que começava, na capela 3 da Santa Casa de São Gabriel, o velório do sem-terra morto a tiro.


O Ministério do Desenvolvimento Agrário e o Incra divulgaram nota onde lamentam a morte do agricultor Elton Brum da Silva, em São Gabriel.

De acordo com o texto, o ministro Guilherme Cassel determinou o deslocamento do ouvidor agrário nacional, desembargador Gercino José da Silva Filho à área do conflito.

"A morte deste agricultor vai na contramão dos esforços do Governo Federal no sentido da construção de um ambiente de paz no campo", informa o comunicado. Confira a íntegra da nota à imprensa:
1.O Ministério do Desenvolvimento Agrário e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária lamentam profundamente o trágico desfecho da ação de desocupação da fazenda Southall em São Gabriel, realizada pela Brigada Militar do Rio Grande do Sul, que resultou na morte do agricultor Elton Brum da Silva.
2.Após o conhecimento do triste episódio, o Ministro Guilherme Cassel determinou a ida do Ouvidor Agrário Nacional, desembargador Gercino José da Silva Filho, à área do conflito de maneira a acompanhar a apuração dos fatos e a identificação dos responsáveis. O Ouvidor Agrário Nacional está no Estado e estabeleceu contatos com Procuradoria de Justiça, Ministério Público, Poder Judiciário do RS e Polícia Civil, com o objetivo de assegurar uma investigação célere e transparente.
3.A morte deste agricultor vai na contramão dos esforços do Governo Federal no sentido da construção de um ambiente de paz no campo. A análise da realidade brasileira revela uma diminuição das situações de conflito no campo e, principalmente, no número de vítimas fatais decorrentes destes conflitos. Em 2003 houve 42 casos de morte confirmados em conflitos agrários. Em 2008 foram nove casos e nenhum deles em ação da polícia.
4.Este ambiente é resultado de esforços do MDA/Incra, por meio da Ouvidoria Agrária Nacional e apoio dos comandos das forças policiais da maior parte dos estados brasileiros, Ministério Público e órgãos do Poder Judiciário. Esses órgãos formularam diretrizes para cumprir mandados de reintegração de posse em situações de conflito. Fosse esta a orientação seguida pela força policial do RS, o desfecho poderia ser outro, sem violência e, principalmente, sem uma vítima fatal.
5.O Ministério do Desenvolvimento Agrário e o Incra se solidarizam com a dor dos familiares do agricultor vitimado e reafirmam seu compromisso em transformar o campo brasileiro em um espaço de paz, produção e prosperidade.

domingo, 16 de agosto de 2009

Fortes pancadas de chuva e forte queda da temperatura em Buenos Aires

o Clarín de Buenos Aires relata um quadro preocupante de fortes pancadas de chuva e rajadas de vento em Buenos Aires e Grande Buenos Aires. Com a chegada das chuvas a temperatura que estava em 31 graus celsius caiu para 11. Há ainda o alerta para queda de granizo.

Para nossa região do Vale do Rio dos Sinos seria um desastre se temporais na mesma proporção chegassem aqui entre hoje (domingo) e terça-feira.

Mais informações em: www.clarin.com

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Festival de Pipas: Faixa de Gaza

Divulgou: Reuters.

As crianças palestinas tentaram ontem bater o récord mundial (Guiness) de vôos simultâneos de pipas (pandorgas) nos céus da Faixa de Gaza, na Praia de Beit Lahiya. Os organizadores contaram mais de 3.000 pipas no ar. O problema foi que as autoridades israelense impediram o árbitro da competição de entrar no território da Autoridade Palestina.

6.000 crianças de 119 escolas da Faixa de Gaza participaram da confecção artesanal das pipas que coloriram o céu de Gaza.

Autonomia, independência e dignidade para o Povo Palestino!




quinta-feira, 23 de julho de 2009

Brasil e Paraguai: a questão recorrente de Itaipu

Novamente posta em destaque, a questão da Itaipu Binacional (Brasil - Paraguai) é tema da agenda cambaleante do MERCOSUL (MERCOSUR).
O Valor Econômico de hoje, quinta, 23/07, dá uma idéia da leitura paraguaia da questão, com uma breve referência ao Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim.

Veja abaixo, a matéria assinada por Sergio Leo:



Relações externas: Governos dos dois países já discutem detalhes da proposta, diz chanceler vizinho

Paraguai "festeja" avanço na negociação sobre usina de Itaipu

Sergio Leo, de Assunção23/07/2009



Contentes com a decisão do governo brasileiro de permitir ao Paraguai vender parte da energia de Itaipu no mercado livre do Brasil, os paraguaios têm pressa e querem definir, até sábado, como será essa venda, que parcela da energia será liberada, e em quais condições de comercialização e prazo. O governo do Brasil pretendia anunciar a formação de um grupo de trabalho para negociar esses detalhes, mas o Paraguai iniciou ontem mesmo essas discussões, que o governo local quer ver concluídas a tempo de serem anunciadas após a reunião entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Lugo, no sábado, após a reunião de Cúpula do Mercosul.
"A ideia é que, paralelamente à cúpula, esse grupo avance numa proposta concreta a ser apresentada no sábado, para os presidentes, para que se possa definir já uma solução mais concreta " , relatou o ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Héctor Lacognata, na residência presidencial de Lugo, após uma reunião de quase duas horas entre o presidente, sua equipe, e uma missão brasileira da qual participam o assessor especial da Presidência do Brasil, Marco Aurélio Garcia, o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, e o embaixador do Brasil no Paraguai, Eduardo dos Santos.
Segundo Lacognata, Marco Aurélio levou a Lugo " um marco geral com vários cenários, que tem conotações do ponto de vista técnico, jurídico e político " . O " marco geral " inclui, como antecipou ao Valor o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, a progressiva liberação da energia gerada em Itaipu que o Paraguai não usa para que o país possa vender essa energia diretamente no mercado livre do Brasil. Hoje, o Paraguai, que tem direito a metade da energia gerada na usina, pode vender somente à Eletrobrás o excedente não utilizado (quase 95% do que tem direito). O Brasil se dispõe também a duplicar o valor da energia vendida à Eletrobrás (os paraguaios querem, no mínimo, triplicar esse valor).
"A proposta vai na linha de avançar, creio que estaremos em condições de, no sábado, dar boas notícias para a população paraguaia " , comentou o ministro Lacognata, que se recusou a dar detalhes, pedindo " paciência " para aguardar as discussões técnicas nas quase 72 horas até a reunião dos presidentes. " Há uma tendência a fazer um avanço, é uma proposta do Brasil que se consolida na linha do que expressou o presidente Lula, de solução justa, de acordo com o momento que vive a relação bilateral " , avaliou.
Após classificar a proposta de " positiva " , Lacognata disse esperar até sábado uma " saída satisfatória entre os dois países " . Negou que a concessão brasileira, que enfrentou resistências do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, seja uma vitória do Paraguai. " Não há vencedores nem vencidos, há dois governos que passam por um novo momento de relacionamento " , disse. " Creio que essa proposta que faz o governo Lula está ajustada a esse novo momento. "
Lacognata previu que a reunião dos presidentes consolidará acordos já firmados em relação à conclusão de obras previstas para Itaipu, e maior transparência e cogestão na usina. Os paraguaios rejeitam, porém, uma das saídas preferidas por Lobão, a da venda livre da energia de duas usinas de menor porte no Paraguai, que passaria a usar no mercado interno, no lugar, a energia gerada por Itaipu. Eles alegam que a energia dessas usinas é mais barata e sua troca pela de Itaipu não seria vantajosa.

terça-feira, 14 de julho de 2009

14 de julho: a queda da Bastilha


A França celebrou hoje o aniversário da "Queda da Bastilha", fato que deu início à Revoução Francesa (1789) e que derrubou as instituições políticas do Antigo Regime francês.
A Bastilha era a prisão política do regime absolutista francês.

Fonte da foto: AP

Notícia publicada hoje no Valor Econômico

A notícia é um alento para ações concretas de preservação da reserva legal, especialmente no bioma amazônico. Leia abaixo.


Preservação ambiental terá apoio do BNDES

Vera Saavedra Durão, do Rio - 14/07/2009

O BNDES vai aprovar hoje a criação de uma linha de crédito exclusiva e sem limites para reserva legal.



O BNDES vai aprovar hoje, em reunião de diretoria, a criação de uma linha de crédito exclusiva e sem limites para reserva legal. O Código Florestal Brasileiro determina que toda propriedade rural tenha um percentual de sua área destinado à conservação do ecossistema (reserva legal). A medida deverá criar condições para que mais de 60% dos proprietários rurais regularizem a situação de suas terras, principalmente no bioma amazônico, onde a exigência da reserva legal é de 80% da propriedade na área de florestas e de 35% na região de cerrado. No resto do país, e exigência é de 20%.

Os recursos do BNDES serão destinados principalmente a financiar a aquisição do direito de uso da reserva legal em áreas de terceiros, operação chamada de "compensação". Ou seja, o proprietário rural que tiver ocupado 100% de sua fazenda com soja ou gado, por exemplo, poderá se enquadrar ao Código Florestal comprando, com recursos emprestados pelo BNDES, uma área de reserva legal de um vizinho, com o compromisso de manter intacta sua cobertura vegetal.

O novo programa de financiamento do banco foi criado a partir de conversas com a ONG inglesa The Nature Conserve (TNC). Segundo especialistas, esta é uma agenda positiva do BNDES e conta com o apoio dos ambientalistas. A nova linha de crédito será corrigida pela TJLP, em operações sem a intermediação de agentes financeiros.

Nas regiões Sul e Sudeste, o Estado de São Paulo, por ser o mais desenvolvido do país, vive uma situação ecologicamente lamentável: as propriedades rurais paulistas não têm nenhuma reserva legal. O fato não é visto como uma questão de "ecodelinquência", mas como consequência de uma situação histórica de exploração da terra. Há 30 anos, quando foi criada a figura da reserva legal, as terras do Estado de São Paulo já eram todas utilizadas pelo agronegócio, seja com cana-de-açúcar, laranja, café, algodão ou gado. Para enquadrar os fazendeiros paulistas seria preciso não apenas o apoio financeiro do BNDES, mas uma adaptação da legislação florestal para permitir compensações de terras em outros lugares, e não apenas em regiões da mesma bacia hidrográfica.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Previsões do FMI para 2010

Matéria no Valor Econômico de hoje, anuncia recuperação da economia para 2010

SÃO PAULO - O Fundo Monetário Internacional (FMI) espera uma contração de 1,4% para a economia mundial este ano e um crescimento de 2,5% em 2010. Antes, o organismo previa uma retração de 1,3% e uma expansão de 1,9%, respectivamente. Para o Brasil, a expectativa é de que a economia recue 1,3% agora, sem mudança, e avance 2,5% no próximo calendário, em vez de 2,2%.

No caso dos Estados Unidos, o Fundo prevê contração de 2,6% na economia em 2009 e crescimento de 0,8% em 2010. O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro deve encolher 4,8% neste exercício e diminuir 0,3% no próximo ano. Para a economia do Japão, as estimativas são de queda 6% e ampliação de 1,7%, respectivamente.

A Rússia deve ter declínio de 6,5% em 2009, mas registrar recuperação nos 12 meses seguintes, com avanço de 1,5%. A China deve expandir-se neste ano e no próximo, com o PIB crescendo 7,5% e 8,5%, na ordem. Sobre a Índia, a economia deve verificar ampliação de 5,4% em 2009 e aumentar 6,5% no calendário que vem."A economia global começa a sair de uma recessão sem precedentes na era pós-Segunda Guerra Mundial, mas a estabilização é irregular e a recuperação deve ser lenta", destacou o FMI na atualização do documento "Perspectiva Econômica Mundial".

Na visão do organismo, as condições financeiras melhoraram mais do que o esperado, em grande parte devido à intervenção pública, e dados recentes sugerem que a taxa de declínio na atividade econômica está moderando.

"Apesar de sinais positivos, a recessão global ainda não acabou e é esperado que a recuperação seja lenta, uma vez que os sistemas financeiros continuam debilitados e os consumidores nos países que sofreram com a queda dos preços dos ativos estão reconstruindo suas economias", ressalvou o Fundo.

O organismo reforça que a prioridade continua sendo a restauração da saúde do setor financeiro.
(Valor Online)

terça-feira, 7 de julho de 2009

Julio: mês da Revolução Sandinista: texto-documento, Manifesto de A.C.Sandino, 1ºjulho.1927





MANIFIESTO[1]




A los Nicaragüenses,
a los Centroamericanos,
a la Raza Indohispana:




El hombre que de su patria no exige un palmo de tierra para su sepultura, merece ser oído, y no sólo ser oído sino también creído.
Soy nicaragüense y me siento orgulloso de que en mis venas circule, mas que cualquiera, la sangre india americana que por atavismo encierra el misterio de ser patriota leal y sincero.
El vínculo de nacionalidad me da derecho a sumir la responsabilidad de mis actos en las cuestiones de Nicaragua y, por ende, de la América Central y de todo el Continente de nuestra habla, sin importarme que los pesimistas y los cobardes me den el título que a su calidad de eunucos más les acomode.
Soy trabajador de la ciudad, artesano como se dice en este país, pero mi ideal campea en un amplio horizonte de internacionalismo, en el derecho de ser libre y de exigir justicia, aunque para alcanzar ese estado de perfección sea necesario derramar la propia y la ajena sangre. Que soy plebeyo dirán los oligarcas o sean las ocas del cenagal.
No importa: mi mayor honra es surgir del seno de los oprimidos, que son el alma y el nervio de la raza, los que hemos vivido postergados y a merced de los desvergonzados sicarios que ayudaron a incubar el delito de alta traición: los conservadores de Nicaragua que hirieron el corazón libre de la Patria y que nos perseguían encarnizadamente como si no fuéramos hijos de una misma nación.
Hace diecisiete años Adolfo Díaz y Emiliano Chamorro dejaron de ser nicaragüenses, porque la ambición mató el derecho de su nacionalidad, pues ellos arrancaron del asta la bandera que nos cubría a todos los nicaragüenses. Hoy esa bandera ondea perezosa y humillada por la ingratitud e indiferencia de sus hijos que no hacen un esfuerzo sobrehumano para libertarla de las garras de la monstruosa águila de pico encorvado que se alimenta con la sangre de este pueblo, mientras en el Campo Marte de Managua flota la bandera que representa el asesinato de pueblos débiles y enemiga de nuestra raza e idioma.
¿Quiénes son los que ataron a mi patria al poste de la ignominia? Díaz y Chamorro y sus secuaces que aún quieren tener derecho a gobernar esta desventurada patria, apoyados por las bayonetas y las Springfield del invasor.



¡No! ¡Mil veces no!



La revolución liberal está en pie. Hay quienes no han traicionado, quienes no claudicaron ni vendieron sus rifles para satisfacer la ambición de Moncada. Está en pie y hoy más que nunca fortalecida, porque sólo quedan en ella elementos de valor y abnegación.
Si desgraciadamente Moncada el traidor faltó a sus deberes de militar y de patriota, no fue porque la mayoria de los Jefes que formabamos en la Legion del Ejercito Liberal fueramos analfabetas, y que pudiera, por ese motivo, imponernos como emperador su desenfrenada ambicion. En las filas del liberalismo hay hombres conscientes que saben interpretar los deberes que impone el honor militar, asi como el decoro nacional, supuesto que el Ejercito es la base fundamental en que descansa la honra de la Patria, y por lo mismo no puede personalizar sus actos porque faltaria a sus deberes.
Yo juzgo a Moncada ante la Historia y ante la Patria como un desertor de nuestras filas, con el agravante de haberse pasado al enemigo
Nadie lo autorizo a que abandonara las filas de la revolucion para que celebrar tratados secretos con el enemigo, mayormente con los invasores de mi Patria. Su jerarquia le obligaba a morir como hombre antes que aceptar la humillacion de su Patria, de su Partido y de sus correligionarios.
¡Crimenes imperdonables que reclama la vindicta!
Los pesimistas dirán que soy muy pequeño para la obra que tengo emprendida; pero mi insignificancia está sobrepujada por la altivez de mi corazón de patriota, y así juro ante la Patria y ante la historia que mi espada defenderá, el decoro nacional y que será redención para los oprimidos.
Acepto la invitación a la lucha y yo mismo la provoco y al reto del invasor cobarde y de los traidores de mi Patria, contesto con mi grito de combate y mi pecho y el de mis soldados formarán murallas donde se lleguen a estrellar legiones de los enemigos de Nicaragua. Podrá morir el último de mis soldados, que son los soldados de la libertad de Nicaragua, pero antes, más de un batallón de los vuestros, invasor rubio, habrán mordido el polvo de mis agrestes montañas.
No seré Magdalena que de rodillas implore el perdón de mis enemigos, que son los enemigos de Nicaragua, porque creo que nadie tiene derecho en la tierra a ser semidiós.
Quiero convencer a los nicaragüenses fríos, a los centroamericanos indiferentes y a la raza indohispana, que en una estribación de la cordillera andina, hay un grupo de patriotas que sabrán luchar y morir como hombres, en lucha abierta, defendiendo el decoro nacional.
Venid, gleba de morfinómanos; venid a asesinarnos en nuestra propia tierra, que yo os espero a pie firme al frente de mis patriotas soldados, sin importarme el número de vosotros; pero tened presente que cuando esto suceda, la destrucción de vuestra grandeza trepidará en el Capitolio de Washington, enrojeciendo con vuestra sangre la esfera blanca que corona vuestra famosa White House, antro donde maquináis vuestros crímenes.
Yo quiero asegurar a los Gobiernos de Centro América, mayormente al de Honduras, que mi actitud no debe preocuparle, creyendo que porque tengo elementos más que suficientes, invadiría su territorio en actitud bélica para derrocarlo. No. No soy un mercenario sino un patriota que no permite un ultraje a nuestra soberanía.
Deseo que, ya que la naturaleza ha dotado a nuestra patria de riquezas envidiables y nos ha puesto como el punto de reunión del mundo y que ese privilegio natural es el que ha dado lugar a que seamos codiciados hasta el extremo de querernos esclavizar, por lo mismo anhelo romper la ligadura con que nos ha atado el nefasto chamorrismo.
Nuestra joven patria, esa morena tropical, debe ser la que ostente n su cabeza el gorro frigio con el bellísimo lema que simboliza nuestra divisa Rojo y Negro y no la violada por aventureros morfinómanos yankees traídos por cuatro esperpentos que dicen haber nacido aquí en mi Patria.
El mundo sería un desequilibrado permitiendo que sólo los Estados Unidos de Norte América sean dueños de nuestro Canal, pues sería tanto como quedar a merced de las decisiones del Coloso del Norte, de quién tendría que ser tributario; los absorbentes de mala fe, que quieren aparecer como dueños sin que justifiquen tal pretensión.
La civilización exige que se abra el Canal de Nicaragua, pero que se haga con capital de todo el mundo y no sea exclusivamente de Norte América, pues por lo menos la mitad del valor de las construcciones deberá ser con capital de la América Latina y la otra mitad de los demás países del mundo que desean tener acciones en dicha empresa, y que los Estados Unidos de Norte América sólo pueden tener los tres millones que les dieron a los traidores Chamorro, Díaz y Cuadra Pasos; y Nicaragua, mi Patria, recibirá los impuestos que en derecho y justicia le corresponden, con lo cual tendríamos suficientes ingresos para cruzar de ferrocarriles todo nuestro territorio y educar a nuestro pueblo en el verdadero ambiente de democracia efectiva, y asimismo seamos respetados y no nos miren con el sangriento desprecio que hoy sufrimos.
Pueblo hermano:



Al dejar expuestos mis ardientes deseos por la defensa de la Patria, os acojo en mis filas sin distinción de color político, siempre que vengais bien intencionados para defender el decoro nacional, pues tened presente que a todos se puede engañar con el tiempo, pero con el tiempo no se puede engañar a todos.



Mineral de San Albino, Nueva Segovia, Nicaragua, C. A., Julio 1 de 1927.



Patria y Libertad


A. C. Sandino




1. Augusto C. Sandino. El Pensamiento Vivo. Tomo 1. Introduccion, Seleccion y Notas de Sergio Ramirez. 2da. Ed. Editorial Nueva Nicaragua, 1984 Colaboracion Especia del Instituto de Estudio del Sandinismo

domingo, 5 de julho de 2009

Dica de boa música em espanhol: AMARAL




Vai uma dica de boa música em espanhol. Trata-se do duo AMARA, formado por Eva Amaral e Juan Aguirre, de Saragoça, que depois de iniciarem carreira em sua cidade natal foram à Madrid onde passaram a consolidar-se no cenário do pop-rock espanhol. O duo Amaral explodiu em 2002 com 1 milhão de cópias vendidas de seu álbum "Estrella del mar".


Com música de excelente qualidade, seu último albúm (duplo) "Gato negro - Dragón rojo" (2008) é maravilhoso, especialmente pela voz de Eva Amaral, marcante, única e inconfundível.


No último albúm destacaria:

- Las chicas de mi barrio, pura satisfação para quem gosta de acordes que se fundem com a voz.
- Las puertas del infierno, com 3 minutos de um som poderoso.
- Biarritz, mais de 4 min de música poderosa (blues, folk, pop-rock, se fundiram)
- El blues de la generación perdida,,,, bueno todo o albúm é muito bom!!!!

AMARAL traz notas de blues e folk mescladas com pop-rock, o que dá nota especial.


Tudo issso e muito mais está na página oficial de Amaral:


Nessa página você poderá descarregar (baixar) gratuitamente a música cuja letra estou postando aqui abaixo, para isso basta informar seu e-mail. O album inteiro você pode baixar por 7,95 euros (uns 24 reais), o que é quase nada.



EL BLUES DE LA GENERACION PERDIDA
(Eva Amaral/Juan Aguirre)

Dices que yo
No tengo casi nada en la cabeza
Me miras, me juzgas, me condenas
¿Qué importa mi opinión?
Dices que yo
No he combatido en un millón de guerras
Que me da igual la voz de la experiencia
Dices que yo
Me dices que yo
Dices que sólo soy una veleta
A la que el viento se lleva sin querer
Dices que sólo soy una cometa
Que se eleva y que un día va a caer
Dices que yo
A veces te resulto incomprensible
Mitad vulgar, mitad un ser sensible
Dices que yo
Dices que yo
Escribo solamente tonterías
El blues de una generación perdida
Dices que yo
Me dices que yo
Dices que sólo soy una veleta
A la que el viento se lleva sin querer
Dices que sólo soy una cometa
Que se eleva y que un día va a caer
Si yo pudiera me llevaría la tristeza
De tu cabeza, de tu cabeza
Dices que me pierdo a cada instante
Que el futuro está en el aire y mi vida del revés
Ya sé que siempre dices lo que piensas
Por eso siempre escucharé aunque me duela
Cómo me dices que sólo soy una veleta
A la que el viento se lleva sin querer
Dices que sólo soy una cometa
Que se eleva y que un día va a caer

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Somos guerreiros!

Gritamos, cantamos, lutamos até o fim mas não foi dessa vez!!

Vamos pra cima deles colorado. Agora é Recopa e Campeonato Brasileiro!

segunda-feira, 29 de junho de 2009

sábado, 20 de junho de 2009

Quando a Fórmula 1 era feita de ases

Na foto acima: a Lotus 25 (1962) de Jim Clark

Já foi o tempo em que a Fórmula 1 era programa imperdível. Salvo alguns poucos esforços recentes para recuperá-la e algumas excessões de pilotos é totalmente inviabilizada pela narração do Galvão Insuportável Bueno (pede-pra-saír-pelo-amor-de-deus!!).
Pra dar uma baita saudade:



"A temporada de 1992, inicia com Mansell favorito ao campeonato, que tinha um carro muito superior ao resto. O aperfeiçoamento feito à suspensão ativa, junto ao potente motor da Renault, a Williams conseguiu fazer do FW14B um carro "imbatível". Mansell dominou a temporada literalmente, fazendo 9 vitórias, 14 poles e 8 voltas mais rápidas, ganhando seu primeiro, e único campeonato com o 2º lugar na Hungria e cinco corridas para o término do campeonato, além de 52 pontos de diferença para o vice-campeão, e seu companheiro de equipe Riccardo Patrese. Aos 39 anos e com o título conquistado, Mansell anuncia sua aposentadoria da Fórmula 1 (que acabou sendo provisória)." Fonte: wikipédia.





O piloto brilhante desde a Lótus 91, Nigel Mansell, campeão mundial de 1992 pela Williams.



Niki Lauda (tricampeão mundial, 1975-1977-1984) e Alain Prost (o "calculista" e mestre na pilotagem de fórmula 1, quatro vezes campeão: 1985, 1986, 1989, 1993).




"Andreas Nikolaus Lauda, mais conhecido como Niki Lauda, (Viena, 22 de Fevereiro 1949) é um ex-piloto de automóveis austríaco. Participou do Campeonato Mundial de Fórmula 1 entre 1971 e 1979, e entre 1982 e 1985, disputando 177 Grandes Prêmios, obtendo 25 vitórias, 24 pole positions e 24 melhores voltas, totalizando 419.5 pontos. Sagrou-se campeão mundial em 1975, 1977 e 1984. Pilotou para as equipes March, BRM, Ferrari, Brabham e McLaren." Fonte: Wikipédia.



"Posso ser tachado de herético, mas sempre suspeitei que Alain de fato tivesse uma habilidade maior. Digo isso lembrando que Ayrton ia mais ao limite do que Alain. Mas Alain nunca explorou o extremo tão consistentemente ou de maneira bem sucedida como Ayrton. Alain corria riscos calculados. Ayrton certamente examinava e então guiava, direto ao limite. Ayrton era todo coragem e pilotagem no carro. Apesar das muitas diferenças, eles também tinham semelhanças. Os dois eram pilotos muito cerebrais, grandes "pensadores". Mas as manifestações deste controle mental eram diferentes." Frank Williams sobre Prost e sua rivalidade com Ayrton Senna. Fonte: Wikipédia.




Nelson Piquet, tricampeão mundial: 1981,1983 e 1987. Quando pra ser campeão tinha que ter "braço".
Foi piloto das equipes: Ensign, McLaren, Brabham, Williams, Lotus, Benetton.
Ser campeão com uma Brabham não era pra qualquer um mesmo!!



Na foto abaixo a LOTUS 79 do inesquecível Mario Andretti (campeão de 1978:



Keke Rosberg (abaixo), o "finlandês voador", campeão mundial de 1982:







Acima, o eterno Jim Clark, campeão de 1963 e 1965 pela Lotus.
"Em sua carreira de Fórmula 1, Clark venceu 25 corridas e conseguiu 33 pole positions. Clark diferiu da atual geração de pilotos de Fórmula 1 devido a sua habilidade de guiar e vencer em todos os tipos de carro. Sua performance no Lotus Cortina em stock cars foi excelente, ele correu na Nascar americana (para a equipe Holman e Moody), lutando com os desajeitados carros esportivos da Lotus, incluindo os tipo 30 e 40 e dirigindo os carros Lotus da Indy em corridas de subida a montanha na Suíça.A Participação de Clark nessas provas suiças, que eram competições reais, foi apenas para exibição, mas dirigir um formula indy em uma "pista" totalmente inadequada e com desempenho convicente não é pouca coisa. Clark sobressaiu em uma época quando pilotar de forma absolutamente genial era mais importante que contratos comerciais e proteção ao piloto. Piloto rápido, mas ao mesmo tempo frio, sabia quando acelerar. Estrategista brilhante, se adaptava a situações adversas. Errava muito pouco, bem como sabia poupar o equipamento, que aliás gastava geralmente menos do que outros pilotos com o mesmo carro no mesmo ritmo. Ao contrário do que muitos dizem hoje, foi um brilhante acertador de carros." Fonte: Wikipédia.


E, ele, Ayrton Senna da Silva, tricampeão: 1988,1990,1991, seguramente um dos maiores pilotos da história do automobilismo mundial. Morreu no autódromo Enzo e Dino Ferrari de Ímola (Bolonha/Itália, Grande Prêmio de San Marino de 1994, dia 1º de maio). Com Nelson Piquet e Alain Prost, sem dúvida, está entre os maiores pilcotos da história da Fórmula 1. Ayrton pilotou pelas equipes: Toleman, Lotus, McLaren, Williams.




terça-feira, 16 de junho de 2009

100 jogos pelo Inter!!


Na primeira partida da final da Copa do Brasil, El Cholo - Guiñazu disputará sua centésima partida pelo Internacional (o maior e melhor do mundo, campeão de tudo, único campeão brasileiro invicto etc.).






E o Nilmar no banco da seleção do Dunga...

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Para divulgação: podar não é legal




A Secretaria de Meio Ambiente de São Leopoldo (Semmam) realizará nos dias 11, 13 e 14 de junho, uma ação de fiscalização voltada a podas e disposição irregular de lixo em via pública. A Guarda Civil Municipal e a Brigada Militar atuam em parceria com a Fiscalização Ambiental da Semmam.


Campanha contra as podas


O diretor de Proteção Ambiental da Semmam, Júlio Dorneles, alerta para a proibição das podas e adverte que não existe "época de podas". "As podas geram danos muitas vezes irreversíveis às árvores e não são recomendadas ou permitidas. Em alguns casos, previstos em lei, e após vistoria técnica, a Semmam autoriza em caráter excepcional a realização de podas por profissional devidamente capacitado", ressaltou.


AutuaçãoSegundo Dorneles, a pessoa que for flagrada realizando poda sem documento de autorização da Semmam será autuada e multada.


A multa pode variar entre R$ 80 e R$ 2.000. A poda drástica, aquela que rebaixa a copa da árvore, jamais é permitida pela Semmam.


Já o manejo das árvores em vias e logradouro públicos é tarefa exclusiva das equipes da Semmam, AES Sul, Mercúrio, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil.
www.saoleopoldo.rs.gov.br - divulgação Semmam e Secretaria de Comunicação

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Visite o Museu Virtual do Iraque


É possível visitar o Iraque sem sair de casa.

O projeto é do Conselho Nacional de Pesquisas do Ministério dos Assuntos Extrangeiros da Itália:
http://www.virtualmuseumiraq.cnr.it/
Após uma introdução você pode visitar SALAS (Halls) da esquerda para a direita "viajando" pela história do Iraque, pela ordem cronológica: Pré-História, período Sumeriano, período Acadiano e neo-sumeriano, período babilônico, período Assírio, período Aquemênida e Selêucida, período do Império Parta (Arsácida, Pártia) e Sassânida, e, finalmente, período islâmico.
Uma amostra do museu segue abaixo:




















terça-feira, 9 de junho de 2009

Convite: Educação Ambiental

A SEMMAM São Leopoldo convida para
2ª edição do "DIÁLOGOS AMBIENTAIS"

Nesta terça-feira, dia 09 de junho de 2009, a Semmam realiza a 2ª edição do espaço "Diálogos Ambientais", aberto à Comunidade em geral.

Local: Auditório da Semedes (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social), Centro de São Leopoldo (Rua Presidente Roosevelt esquina com Rua Marques do Herval)

Horário: 17h30min

Temática:

"DANOS CAUSADOS AO ORGANISMO HUMANO PELA POLUIÇÃO SONORA"

Palestrante: Dr. IVO ENGUEROFF

Mediador: Julio Dorneles, Diretor de Proteção Ambiental-Semmam

domingo, 7 de junho de 2009

Spinoza - extratos de filosofia

Baruch (Benedictus de) Spinoza, 1632-1677


"Àquele ou àqueles que detêm o poder público, é portanto igualmente impossível mostrar-se em estado de embriaguez ou acompanhado de prostitutas, fazer de bobos, violar ou desprezar abertamente as leis estabelecidas por eles mesmos e, apesar disso, conservar a sua majestade; isto é-lhes tão impossível como ser e ao mesmo tempo não ser."



Baruch Spinoza, Tratado político, p. 53 [Coleção Fundamentos de Direito]





Não precisa-se dizer que o primeiro-ministro italiano não só não leu Spinoza como não partilha de sua ética e nem de sua filosofia.



Seria querer demais...?



De qualquer forma, o extrato acima serve a todos que exercem mandado ou cargo público.

O melhor ensino se dá pelo exemplo.






sexta-feira, 5 de junho de 2009

A crítica à crítica educação brasileira

Má qualidade da educação 'freia' desenvolvimento do Brasil, diz a "Economist"

Revista britânica afirma que avanços do país na área da educação são 'vagarosos'.


Um artigo na edição mais recente da revista britânica The Economist traça um panorama da situação da educação no Brasil e afirma que a má qualidade das escolas, "talvez mais do que qualquer outra coisa", é o que "freia" o desenvolvimento do país. Citando os maus resultados do Brasil no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), realizado a cada três anos pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), a revista afirma que, apesar dos grandes investimentos e progressos em setores como política e economia, em termos de educação, o país está "bem abaixo de muitos outros países em desenvolvimento".

A publicação compara a situação brasileira à da Coreia do Sul, que apresenta bons resultados no Pisa. "Até a década de 1970, a Coreia do Sul era praticamente tão próspera quanto o Brasil, mas, ajudada por seu sistema escolar superior, ela saltou à frente e agora tem uma renda per capita cerca de quatro vezes maior". Sindicatos Para a revista, entre os principais motivos para a má qualidade da educação no país está o fato de muitos professores faltarem por diversas vezes às aulas e os altos índices de repetência, que estimulam a evasão escolar. Na opinião da Economist, o governo precisa investir mais na educação básica. "Assim como a Índia, o Brasil gasta muito com suas universidades ao invés de (gastar) com a alfabetização de crianças".

A publicação afirma ainda que o Brasil precisa de professores mais qualificados. "Muitos têm três ou quatro empregos diferentes e reclamam que as condições (de trabalho) são intimidadoras e os pagamentos baixos". Afirmando que, apesar da situação, os governos de Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva conseguiram avanços - embora vagarosos - no setor, a revista afirma que os sindicatos de professores "representam um grande obstáculo para melhorias". "Quase qualquer coisa que atrapalhe sua paz causa greves", afirma a publicação britânica, dizendo que o sindicato dos professores do Estado de São Paulo, por exemplo, se opôs "a uma proposta que obrigava os novos professores a fazerem testes para assegurar que são qualificados".

A Economist defende que a receita para melhorar a educação no país seria "continuar reformando o sistema escolar, enfrentar os sindicatos dos professores [????, ah tá!!] e gastar mais em educação básica". "A conquista do mundo - mesmo a amigável e sem confrontos que o Brasil busca - não virá para um país onde 45% dos chefes de famílias pobres têm menos de um ano de escolaridade"..

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Dia do Desafio e Semana do Meio Ambiente

Foto: Plantio no bairro São Cristóvão - Caravana Ambiental no Arroio Kruze, divulgação Semmam - Eduação Ambiental


Somando o Dia do Desafio e a Semana do Meio Ambiente serão seguramente mais de 2.600 mudas de espécies nativas que plantamos em nossa cidade.

PROJETO IPÊ AMARELO - Educação Ambiental


Secretaria Municipal de Meio Ambiente - Semmam - São Leopoldo - RS - Brasil
20 anos de gestão sócio-ambiental
A primeira secretaria municipal de meio ambiente do interior do Estado do Rio Grande do Sul

sábado, 30 de maio de 2009

poema para sábado chuvoso

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...


Trecho de "O meu olhar", Alberto Caeiro [Fernando Pessoa]
O Guardador de Rebanhos, 1946

domingo, 17 de maio de 2009

Intensificada fiscalização de podas e queimadas irregulares

São Leopoldo - Podas e queimadas de árvores e lixos em áreas públicas ou privadas estão proibidas em São Leopoldo até julho. A medida foi anunciada ontem pela Prefeitura. O objetivo é amenizar os efeitos da estiagem. Segundo o diretor de Proteção Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semmam), Júlio Dorneles, haverá a partir de hoje a intensificação da fiscalização por meio de uma força-tarefa coordenada pelo Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Pública. ‘‘Funcionários das nossas secretarias e da Guarda Municipal receberão treinamento e autorização para autuar e multar quem descumprir a lei.’’As multas poderão ser de 120 reais a R$ 6 mil. A vegetação e arborização urbana das áreas de preservação permanente e dos recursos hídricos (Rio dos Sinos, arroios e córregos) também serão fiscalizados para que não ocorra o descarte de lixo, além de entulhos irregulares nas vias públicas. ‘‘Iniciamos a força-tarefa hoje (ontem), mas já estávamos divulgando a campanha no bairro Feitoria, onde informamos de casa em casa como se deve proceder com o lixo domiciliar e extradomiciliar e sobre a nova medida que proíbe podas e queimadas’’, diz Luiz Henrique Scharlau, coordenador da fiscalização ambiental.

Matéria publicada no jornal Diário de Canoas - Grupo Editorial Sinos - São Leopoldo quinta-feira, 14 de maio de 2009 - 10h34

Morre o grande poeta e escritor Uruguaio: Mario Benedetti



O Poeta do Compromisso morreu hoje aos 88 anos de idade (Mario Benedetti, 14.09.1920-17.05.2009), tendo vivido uma longa jornada de luta contra as adversidades e em defesa da alegria. Aqui minha singela homenagem.



"La vida es una máquina

para la que no hay respuestas

ni repuestos".


[Verso de Máquina, poema testemunho de Mario Benedetti]
Ayer pasó el pasado
lentamentecon su vacilación definitiva
sabiéndote infeliz y a la deriva
con tus dudas selladas en la frente
ayer pasó el pasado por el puente
y se llevó tu libertad cautiva
cambiando su silencio en carne viva
por tus leves alarmas de inocente
ayer pasó el pasado con su historia
y su deshilachada incertidumbre
con su huella de espanto y de reproche
fue haciendo del dolor una costumbre
sembrando de fracasos tu memoria
y dejándote a solas con la noche.

[Ayer, Poemas del Alma, de Mario Benedetti]
Observação: Não caberia qualquer tradução para o português.


domingo, 3 de maio de 2009

Artigo sobre a gripe suína, por Mike Davis

Gripe suína: os porcos perigosos andam de terno

As hordas de turistas americanos regressaram de Cancún este ano com um souvenir invisível mas sinistro. A gripe suína mexicana, uma quimera genética provavelmente concebida na lama fecal de um criadouro industrial, ameaça subitamente o mundo inteiro com uma febre. Os brotos na América do Norte revelam uma infecção que está viajando já em maior velocidade do que aquela que viajou a última cepa pandêmica oficial, a gripe de Hong Kong, em 1968.
Por Mike Davis, no The Guardian*


Granja nos EUA: esterco e calor em escala industrial

Roubando o protagonismo de nosso último assassino oficial, o vírus H5N1, este vírus suíno representa uma ameaça de magnitude desconhecida. Parece menos letal que a Sars (Síndrome Respiratória Aguda, na sigla em inglês) em 2003, mas como gripe, poderia resultar mais duradour que a Sars. Dado que as domesticadas gripes estacionais de tipo “A” matam nada menos do que um milhão de pessoas ao ano, mesmo um modesto incremento de virulência poderia produzir uma carnificina equivalente a uma guerra importante.

Micróbios que voam pelo mundo

Uma de suas primeiras vítimas foi a fé consoladora, predicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), na possibilidade de conter as pandemias com respostas imediatas das burocracias sanitárias e independentemente da qualidade da saúde pública local. Desde as primeiras mortes causadas pelo H5N1 em 1997, em Hong Kong, a OMS, com o apoio da maioria das administrações nacionais de saúde, promoveu uma estratégia centrada na identificação e isolamento de uma cepa pandêmica em seu raio local de eclosão, seguida de uma massiva administração de antivirais e, se disponíveis, vacinas para a população.

Uma legião de céticos criticou esse enfoque de contrainsurgência viral, assinalando que os micróbios podem agora voar ao redor do mundo – quase literalmente no caso da gripe aviária – muito mais rapidamente do que a OMS ou os funcionários locais podem reagir ao foco inicial. Esses especialistas observaram também o caráter primitivo, e às vezes inexistente, da vigilância da interface entre as enfermidades humanas e as animais.

Mas o mito de uma intervenção audaciosa, preventiva (e barata) contra a gripe aviária resultou valiosíssimo para a causa dos países ricos que, como os Estados Unidos e a Inglaterra, preferem investir em suas próprias linhas Maginot biológicas, ao invés de incrementar drasticamente a ajuda às frentes epidêmicas avançadas de ultra mar. Tampouco teve preço esse mito para as grandes transnacionais farmacêuticas, envolvidas em uma guerra sem quartel com as exigências dos países em desenvolvimento empenhados em exigir a produção pública de antivirais genéricos fundamentais como o Tamiflu, patenteado pela Roche.

A situação do México e a dos EUA

A versão da OMS e dos centros de controle de enfermidades, que já trabalha com a hipótese de uma pandemia, sem maior necessidade novos investimentos massivos em vigilância sanitária, infraestrutura científica e reguladora, saúde pública básica e acesso global a medicamentos vitais, será agora decisivamente posta a prova pela gripe suída e talvez averigüemos que pertence à mesma categoria de gestão de risco que os títulos e obrigações de Madoff. Não é tão difícil que fracasse o sistema de alertas levando em conta que ele simplesmente não existe. Nem sequer na América do Norte e na União Européia.

Não chega a ser surpreendente que o México careça tanto de capacidade como de vontade política para administrar enfermidades avícolas ou pecuárias, pois a situação só é um pouco melhor ao norte da fronteira, onde a vigilância se desfaz em um infeliz mosaico de jurisdições estatais e as grandes empresas pecuárias enfrentam as regras sanitárias com o mesmo desprezo com que tratam aos trabalhadores e aos animais.Analogamente, uma década inteira de advertências dos cientistas fracassou em garantir transferências de sofisticadas tecnologias virais experimentais aos países situados nas rotas pandêmicas mais prováveis. O México conta com especialistas sanitários de reputação mundial, mas tem que enviar as amostras a um laboratório de Winnipeg para decifrar o genoma do vírus. Assim se perdeu toda uma semana.

Mas ninguém ficou menos alerta que as autoridades de controle de enfermidades em Atlanta. Segundo o Washington Post, o CDC (Centro de Controle de Doenças) só percebeu o problema seis dias depois de o México ter começado a impor medidas de urgência. Não há desculpas para justificar esse atraso. O paradoxal desta gripe suína é que, mesmo que totalmente inesperada, tenha sido prognosticada com grande precisão. Há seis anos, a revista Science publicou um artigo importante mostrando que “após anos de estabilidade, o vírus da gripe suína da América do Norte tinha dado um salto evolutivo vertiginoso”.

Mutações mais virulentas a cada ano

Desde sua identificação durante a Grande Depressão, o vírus H1N1 da gripe suína só havia experimentado uma ligeira mudança de seu genoma original. Em 1998, uma variedade muito patógena começou a dizimar porcas em uma granja da Carolina do Norte, e começaram a surgir novas e mais virulentas versões ano após ano, incluindo uma variante do H1N1 que continha os genes do H3N2 (causador da outra gripe de tipo A com capacidade de contágio entre humanos).
Os cientistas entrevistados pela Science mostravam-se preocupados com a possibilidade de que um desses híbridos pudesse se transformar em um vírus de gripe humana – acredita-se que as pandemias de 1957 e de 1968 foram causadas por uma mistura de genes aviários e humanos forjada no interior de organismos de porcos – e defendiam a criação urgente de um sistema oficial de vigilância para a gripe suína: advertência, cabe dizer, que encontrou ouvidos surdos em Washington, que achava mais importante então despejar bilhões de dólares no sumidouro das fantasias bioterroristas.

Gigantescos infernos fecais

O que provocou tal aceleração na evolução da gripe suína:
Há muito que os estudiosos dos vírus estão convencidos que o sistema de agricultura intensiva da China meridional é o principal vetor da mutação gripal: tanto da “deriva” estacional como do episódico intercâmbio genômico. Mas a industrialização empresarial da produção pecuária rompeu o monopólio natural da China na evolução da gripe. O setor pecuário transformou-se nas últimas décadas em algo que se parece mais com a indústria petroquímica do que com a feliz granja familiar pintada nos livros escolares.
Em 1965, por exemplo, havia nos Estados Unidos 53 milhões de porcos espalhados entre mais de um milhão de granjas. Hoje, 65 milhões de porcos concentram-se em 65 mil instalações. Isso significou passar das antiquadas pocilgas a gigantescos infernos fecais nos quais, entre esterco e sob um calor sufocante, prontos a intercambiar agentes patógenos à velocidade de um raio, amontoam-se dezenas de milhares de animais com sistemas imunológicos muito debilitados.
No ano passado, uma comissão convocada pelo Pew Research Center publicou um informe sobre a “produção animal em granjas industriais”, onde se destacava o agudo perigo de que “a contínua circulação de vírus (...) característica de enormes aviários ou rebanhos aumentasse as oportunidades de aparição de novos vírus mais eficientes na transmissão entre humanos”. A comissão alertou também que o uso promíscuo de antibióticos nas criações de suínos – mais barato que em ambientes humanos – estava propiciando o surgimento de infecções de estafilococos resistentes, enquanto que os resíduos dessas criações geravam cepas de escherichia coli e de pfiesteria (o protozoário que matou um bilhão de peixes nos estuários da Carolina do Norte e contagiou dezenas de pescadores).

O monstruoso poder dos monopólios

Qualquer melhora na ecologia deste novo agente patógeno teria que enfrentar-se com o monstruoso poder dos grandes conglomerados empresariais avícolas e pecuários, como Smithfield Farms (suíno e gado) e Tyson (frangos). A comissão falou de uma obstrução sistemática de suas investigações por parte das grandes empresas, incluídas algumas nada recatadas ameaças de suprimir o financiamento de pesquisadores que cooperaram com a investigação.
Trata-se de uma indústria muito globalizada e com influências políticas. Assim como a gigante avícola Charoen Pokphand, sediada em Bangkok, foi capaz de desbaratar as investigações sobre seu papel na propagação da gripe aviária no Sudeste Asiático, o mais provável é que a epidemiologia forense do vírus da gripe suína bata de frente contra a pétrea muralha da indústria do porco.
Isso não quer dizer que nunca será encontrada uma acusadora pistola fumegante: já corre o rumor na imprensa mexicana de um epicentro da gripe situado em torno de uma gigantesca filial da Smithfield no estado de Vera Cruz. Mas o mais importante – sobretudo pela persistente ameaça do vírus H5N1 – é a floresta, não as árvores: a fracassada estratégia antipandêmica da OMS, a progressiva deterioração da saúde pública mundial, a mordaça aplicada pelas grandes transnacionais farmacêuticas a medicamentos vitais e a catástrofe planetária que é uma produção pecuária industrializada e ecologicamente bagunçada.


* Mike Davis é professor no departamento de História da Universidade da Califórnia (UCI), em Irvine; artigo publicado originalmente no britânico The Guardian, reproduzido no La Vanguardia (México), Sin Permiso (Espanha) e Carta Maior (Brasil).

Notícia em Santiago (RS)

Pessoal olhem abaixo: a coluna no Jornal Expresso Ilustrado é do Diretor do jornal de Santiago (RS), fomos citados como bom exemplo. Saudações, JulioDorneles

Endereço: Benjamim Constant CEP: 97700-000 Bairro: Centro Cidade: Santiago - RS - Brasil Fone/Fax: (55) 251-1717 E-mail: jornal@expressoilustrado.com.br

Diretor e editor: João LemesE-mail: jlemes@expressoilustrado.com.br


O prefeito Júlio Ruivo foi a Porto Alegre buscar dinheiro para a ExpoSantiago e teve uma surpresa: a secretária de Cultura, Mônica Leal, disse a ele que a OSPA estará aqui em setembro. A Secretária entregou documento que coloca Santiago na agenda da maior orquestra sinfônica do sul do país e argumentou: “A sensibilidade musical deve ser estimulada com o contato permanente com a música, lembrando que o pedido pela OSPA foi do músico, desembargador e advogado Ruy Gessinger, pessoa que já virou ponte entre Santiago e a capital.Show na TV Pampa - De quebra, Ruivo aproveitou o convite de Ruy Gessinger e deu um pulo na Rádio e TV Pampa. Aí, quem se surpreendeu foram os jornalistas com o show de humildade e sabedoria.

E cá pra nós: como é bom saber que nossos líderes são elogiados fora da sua terra, a exemplo de Lula, venerado por Obama na recente reunião do G -20. “Adoro esse cara, olhem sua elegância. É por isso que ele é o político mais popular da América Latina,” disse Obama.Em tempo - A única crítica ao “gringuinho de Ernesto Alves” é sobre seus conhecimentos de Porto Alegre: nota 0. Mas isso prova que Ruivo nunca foi chegado à estrada (como é mania dos comedores de diárias) preferindo ficar no serviço direto. Por isso chegou onde chegou.

Pelo fim da baderna!

A Secretaria de Meio Ambiente tenta evitar as queixas com a baderna de som alto, buzinaço, descarga de moto etc. Calma, arruaceiros! A intervenção elogiável não é em Santiago, infelizmente. A notícia vem de São Leopoldo. A finalidade do trabalho, que contou com apoio da Brigada, foi acabar com abusos de som de automóveis e do próprio comércio.

Multas pesadas

Caso eles voltem a abusar da paz alheia, tomarão multas que variam de 150 a R$ 2 mil. “Estamos medindo e, mesmo que um veículo com som excessivo não seja abordado, será identificado pela placa e poderá ser multado. Também focamos a publicidade em lojas, motos com escapamento aberto e outras fontes de poluição sonora’’, disse Júlio Dorneles, diretor de proteção ambiental daquela cidade.Em busca da pazE Santiago, quando a caneta vai pegar?

Ninguém mais tem sossego devido aos sons, seja de carros, de loja ou dos motores com escapamento danificado. A Brigada tem auxiliado, apreendendo equipamentos de som, mas isso só não basta.

A comunidade quer mais.

A comunidade quer paz!Nas mãos dos abigeatários É crescente a onda de abigeato na região. É tanto roubo que os meliantes até escolhem que parte da rês irão levar. Em São Chico, por exemplo, carnearam uma vaca e levaram apenas o quarto. Na mesma cidade, o próprio capataz de uma estância era o golpista. Só numa contagem do rebanho o dono deu falta de 90 cabeças. Ninguém mais sabe o que fazer para evitar tanto golpe. Mas aposto que os ladrões sabem direitinho onde vender a carne.

Falta fiscalização

Se o abigeato é grande, grande também é a quantidade de carne clandestina (sem exame sanitário) que se vende na região. O major Chaves disse que numa operação da Brigada descobriu que grande parte dos açougues (de novo São Chico) vende carne clandestina. Todos multados.Açougue em Florida?Embora a Brigada tente fazer sua parte, sabe-se que a fiscalização é fraca. Todos os dias tem alguém comprando carne sem procedência, seja de Santiago, de São Chico, de Unistalda e arredores. Neste sábado mesmo, haverá um rodeio em Florida. Segundo o anúncio da festividade, vai haver "açougue no local". Será que a carne foi comprada nos matadouros de Santiago? Duvido!Leia mais em www.jlemes.blogspot.com

sexta-feira, 1 de maio de 2009

1º de maio: Lula e Dilma comemoram o pré-sal


Neste 1º de maio, em que manifestações de trabalhadores em todo mundo enfrentaram a repressão policial (até mesmo em Caracas, Venezuela, de Hugo Chávez), o presidente Lula e a Ministra Dilma Rousseff comemoraram o início da extração de óleo da camada pré-sal em Santos (Campo Tupi, litoral de SP/Brasil).



Fonte da foto: André Luiz Mello, AE

PAISAGEM DE CHUVA - Fernando Pessoa


Em cada pingo de chuva a minha vida falhada chora na natureza. Há qualquer coisa do meu desassossego no gota a gota, na bátega a bátega com que a tristeza do dia se destorna inutilmente sobre a terra.


Chove tanto, tanto. A minha alma é húmida de ouví-lo. Tanto... A minha carne é líquida e aquosa em torno à minha sensação dela.


Um frio desassossegado põe mãos gélidas em torno ao meu pobre coração. As horas cinzentas ... Alongam-se, emplaniciam-se no tempo; os momentos arrastam-se.


Como chove!



Fernando Pessoa, trecho do Livro do Desassossego.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Artigo do Prof Márcio Silveira dos Santos - pelo Dia da Terra e Dia do Índios

Sem tekoá não há teko
por Márcio Silveira dos Santos*



Por estes dias, os tambores rufam mais forte nas aldeias do mundo. Celebram-se o dia do índio e da terra, respectivamente nos dias 19 e 22 de abril. Muitos povos indígenas realizam durante a semana atividades em seus territórios. No Rio Grande do Sul, tanto os guaranis quanto os caingangues realizam torneios de futebol, apresentam danças tradicionais, músicas, exposição de artesanato e oferecem o almoço vejen, como é chamada pelos caingangues uma comida feita dos produtos plantados na aldeia. O público de fora é convidado, mas o número de pessoas presentes é pequeno se comparado com outras festividades do calendário brasileiro. Reflexo do esquecimento de boa parte da população da existência e importância dos saberes indígenas.

Os índios, nativos donos destas terras antes dos imigrantes chegarem, vivem neste desamparo. A luta pela demarcação das terras levará muitas décadas ainda. O que os governos têm feito para resolver esta questão é como sopro sem força na tempestade política do país. A morosidade em busca de soluções vem desde a criação do Estatuto do Índio, Lei 6.001/1973, que visava estabelecer, no prazo de cinco anos, a demarcação de todas as terras. Depois, veio a Constituição Federal de 1988 reafirmando o prazo. Sem a terra, não há como viver. É dela que os índios extraem frutas, caça, pesca, plantas medicinais e o material para fazer o artesanato que vendem. Falta respeito para com os povos indígenas. O compromisso assumido deve ser efetivado.
Outra questão que serve de exemplo para a população brasileira, além da luta pela terra, é a educação indígena, que parte de sua cultura e seu modo de ser. Uma educação para a vida que pode representar para a humanidade uma fonte alternativa de aprendizagens, de elementos repletos de sabedoria e conhecimento milenar. Segundo o cacique Mbyá Guarani Cirilo Morinico, a sabedoria dos mais velhos dentro das aldeias ilumina e orienta os passos e a vida dos índios mais jovens, não se carrega preconceito, pelo contrário, muita consideração e respeito. Todos os dias, os jovens ouvem conselhos das avós e dos avôs da comunidade guarani da Tekoá Anhetengua, Aldeia Verdadeira, na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre.
Ainda em tempo de reconhecimento, haverá em setembro a 1ª Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena, em Brasília. Além dos debates sobre o cumprimento da Lei 11.645/08, que obriga a inclusão de história e cultura indígena no currículo oficial da educação brasileira, será discutida uma gestão compartilhada, baseada na territorialidade etnoeducacional a partir da diversidade étnica indígena. Assim sendo, é possível ver esperança para a causa indígena. Porque sem espaço para viver não há como ser, em Mbyá: sem tekoá não há teko.
*Professor

Zero Hora 21 de Abril de 2009.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Inter é Bicampeão Gaúcho no Ano do Centenário

INTER BICAMPEÃO GAÚCHO INVICTO: 18 jogos, 15 vitórias e 3 empates.




Pelo segundo ano consecutivo: 8x1 , desta vez a vítima foi o Caxias.

O timinho da Azenha? Nem na foto estava. Perdeu todos os Grenais do campeonato.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Inter Campeão: só pra manter a banca!!

Foto: equipe octacampeão da Copa Santiago:



A Seleção 95 do Internacional é tricampeã invicta do 29º edição do Encontro de Futebol Infantil Pan-Americano (Efipan). O time colorado venceu o River Plate, da Argentina, por 2 a 0, na final realizada na noite deste sábado, em Alegrete. Thiago e Renato marcaram os gols. Foi o 11º título conquistado pelo Inter, o maior vencedor do tradicional torneio: 1986, 1987, 1994, 1997, 1999, 2002, 2003, 2004, 2007, 2008 e 2009. Na semifinal, a equipe treinada por Deive Bandeira havia eliminado o Grêmio.
Este é o quarto título conquistado pelas categorias de base no ano do Centenário. Ainda em janeiro, o time juvenil foi octacampeão da Copa Santiago (1ªfoto no topo), os mirins da Copa Votorantim e a Seleção 96 da Taça Saudades. Com todos os título de expressão já conquistados, o Celeiro de Ases do Inter também é um legítimo 'campeão de tudo'.
Campanha do Inter no Efipan 2009:
Final
Inter 2x0 River Plate
Semifinal
Inter 2x0 Corinthians
Quartas-de-final
Inter 2x0 Barcelona
17/1 - Inter 3x2 River Plate (Argentina)
19/1 - Internacional 3x0 Asa-AM
21/1 - Internacional 1x0 Santos Laguna (México)
24/1 - Internacional 2x0 Grêmio (o freguês da azenha!!)
26/1 - Internacional 3x1 Apefi (Paraguai)
27/1 - Internacional 1x1 São José-RS
Fonte das imagens e textos: www.internacional.com.br (com adaptações minhas é claro).

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Nova descoberta Petrobras e Repsol: gás na Bacia de Santos

A Petrobras comunicou na noite desta segunda-feira que o consórcio formado pela estatal e pela Repsol descobriu uma reserva de gás em um reservatório localizado em águas rasas da parte sul da Bacia de Santos (SP).
Segundo comunicado da empresa, este poço está localizado a cerca de 210 quilômetros a sudeste da cidade de Santos, na costa do Estado de São Paulo, a uma profundidade de 214 metros.
A perfuração no local faz parte das atividades exploratórias do Plano de Avaliação do poço 1-BSS-68, aprovado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Segundo a empresa, o consórcio dará continuidade às atividades exploratórias através da realização de testes de formação a serem realizados nos intervalos de gás já constatados, quando então será possível avaliar o tamanho e o potencial comercial desta jazida.


Fonte: AE

1º Eclipse solar do ano


Eclipse parcial do sol visto da Baía de Manila (Filipinas).
Fonte: google.com