sábado, 22 de agosto de 2009

Brigada admite erros, afasta subcomandante e surge testemunha que afirma que oficial da BM atirou em Sem-Terra


Foto: Grupo de sem-terra deixa velório e viaja em direção a Canguçu para o enterro - Genaro Joner


Uma ação de força e totalmente desproporcional, 232 PMs para remover 270 sem-terras (inclusive crianças). A ordem do Comandante geral era para não serem usadas armas letais, mas uma 12 (pelo menos!), arma típica dos policiais do GOE/POE, estava carregada com projéteis letais.



O ex-ouvidor agrário do governo estadual e também ex-ouvidor da Segurança Pública, Adão Paiani, afirmou ontem (dia 21) que o sem-terra Elton Brum da Silva foi morto pela Brigada Militar. Brum foi morto hoje com um tiro de espingarda calibre 12 no peito, durante desocupação da fazenda Southall, em São Gabriel, que estava invadida por militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).


Paiani diz que foi procurado hoje, na condição de ex-ouvidor da segurança pública, por um oficial da BM que assistiu à desocupação da fazenda Southall em São Gabriel. Esse PM relatou que o sem-terra Elton Brum foi morto durante discussão com um oficial da BM que atua na região da Fronteira e tentava realizar a remoção dos militantes do MST do local. Brum teria dito alguns palavrões para o oficial, que revidou com um tiro de espingarda. O próprio oficial e alguns soldados teriam providenciado a remoção de Brum, ainda vivo, para o hospital de São Gabriel, numa viatura da BM. Brum morreu a caminho daquela cidade. Até esse relato apresentado por Paiani, não havia versão sobre a morte de Brum — nem oficial, nem extra-oficial.

Hoje (sábado, 22), a BM já admite erros na operação e investiga a execução do sem-terra Elton Brum.
O Ministério Público de São Gabriel deve requisitou todas as armas utilizadas na operação, para verificar qual delas teria causado a morte de Brum.

Nenhum comentário: