segunda-feira, 30 de abril de 2012

Chuvas abaixo da média histórica


Nos meses de março e abril tivemos chuvas abaixo da média histórica (os volumes de chuva são baixos no verão). Em março choveu 42,20mm (a média histórica é 93,7mm). Em abril choveu 71,9mm (a média histórica é 124,9mm).
Sendo assim, o déficit para março foi de 51,5mm e para abril foi de 53mm. O interessante é que em fevereiro choveu 93,6mm a mais do que a média histórica (pelo menos no Morro do Espelho/São Leopoldo/RS). O que, se tivéssemos armazenamento pleno desse superávit hídrico de fevereiro, teríamos uma "compensação" dos déficits de março e abril. Em fevereiro a lavoura de arroz também estava "bebendo água", o que zerou esse superávit.

Os dados da pluviometria para São Leopoldo no período são da METSUL METEOROLOGIA (Estação Meteorológica do Bairro Morro do Espelho/São Leopoldo/RS).

Rio dos Sinos: nível em São Leopoldo

Rio dos Sinos encontra-se com 1,70m neste fim de tarde (ponto de captação de água do Semae-São Leopoldo).

terça-feira, 24 de abril de 2012

Consórcio Pró-Sinos e Instituto Martim Pescador realizam monitoramento do Sinos

O Consórcio Pró-Sinos e Instituto Martim Pescador realizaram na manhã desta terça-feira o monitoramento de trecho de 5 km do Rio dos Sinos no município de São Leopoldo (trecho que recebe a maior carga de poluentes vindos do curso médio e superior do rio dos Sinos).
Seguem abaixo os resultados.

Leituras da Sonda móvel Martim Pescador/Consorcio Pro-Sinos:


Ponto fixo (Humaitá/M.Pescador), medição das 8:45 - ponto fixo

Condutividade: 71
OD. 3,10mg/l
Ph. 7,10
Temperatura. 20,82°C


Base ecológica:
Cond. 87
OD. 1,80
Ph. 6,70
Temp. 21,34

Foz Canal João Corrêa:
Cond. 82
OD. 2,25
Ph. 7,00
Temp. 21,23

Foz Arroio Cerquinha:
Cond. 78
OD. 2,72
Ph. 7,18
Temp. 21,08

sexta-feira, 20 de abril de 2012

ALERTA: Risco para a vida aquática

Nesse momento o Rio dos Sinos no trecho Novo Hamburgo-São Leopoldo apresenta indicadores/parâmetros de qualidade da água impróprios à manutenção da vida aquática. Portanto, a qualquer momento podemos ter ocorrência (visualização) de peixes agonizantes ou mesmo mortos no referido trecho do rio. O alerta é ainda mais efetivo para os arroios de Novo Hamburgo, São Leopoldo e Portão (arroio Portão especificamente).

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Canela e Estância Velha


Realizamos ontem em Canela a 5ª Audiência Pública dos Planos Municipais de Resíduos e de Saneamento Básico em Canela.
Agora estamos em Estância Velha para a 6ª dessa longa e intensa jornada de trabalho.
Em geral, as audiências têm se destacado pela representativa participação não somente das administrações municipais, mas também da Corsan e de diversas entidades da sociedade civil. Em cada uma delas, sempre temos encontrado uma dezena de entidades de trabalhadores, associações comunitárias e sindicais (inclusive com a participação das Associações do Comércio e da Indústria - as ACIS). Da mesma forma importante, temos encontrado cidadãos que expontaneamente comparecem e se manifestam.
Também tem sido bem significativa o acompanhamento da mídia, seja nas cidades dos eventos, seja através de veículos de imprensa (jornal, web e rádios) com cobertura estadual.
Vale referir a cobertura do Correio do Povo, Zero Hora, Jornais do Grupo Sinos (NH, VS, DC, Jornal de Gramado), e constante cobertura das rádios: Gaúcha, Band AM e FM, ABC 900, Guaíba, Rádio Universidade (UFRGS), Rádio Unisinos FM, entre outras.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Planos de Resíduos e de Saneamento debatidos em Nova Santa Rita

Nesta segunda, estamos na Câmara Municipal de Nova Santa Rita realizando as audiências públicas de encerramento do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e abertura do processo do Plano Municipal de Saneamento Básico. Cabe destacar que esses planos municipais estão e serão integrados aos Planos Regionais de Resíduos Sólidos e de Saneamento do Consórcio Pró-Sinos, que atualmente integra 26 dos 32 municípios da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos. A audiência pública conta com a presença de 4 dos nove vereadores, Prefeitura Municipal/Secretarias de Agricultura, Meio Ambiente, Saúde e Educação, CORSAN, PUC, EMATER, Projeto Pescar, ONG Alerta Verde, AMBV e COPTEC.
Nova Santa Rita é um município do curso final do Rio dos Sinos, na parte chamada de Terras Baixas, ao lado e a jusante de Canoas, município onde se encontra a foz do Rio dos Sinos. Nova Santa Rita tem pouco mais que 20 mil habitantes (22.706 hab.), conforme o senso IBGE 2010. A lavoura de arroz tem presença forte em Nova Santa Rita. O município destina seus Resíduos Sólidos Urbanos para a SIL (aterro sanitário localizado em Minas do Leão/RS).
O município participa do Pró-Sinos desde sua criação em agosto de 2007 e desenvolve todos as ações e programas do consórcio, como, por exemplo, o Programa de Educação Ambiental.


quinta-feira, 12 de abril de 2012

PRÓ-SINOS REALIZA AUDIÊNCIA PÚBLICA EM SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA

Em andamento a audiência pública do plano municipal de resíduos sólidos (processo final) e abertura do processo do plano municipal de saneamento básico, que, da mesma forma que o de resíduos, integrará o Plano Regional dos 26 municípios consorciados ao Consorcio Pro-Sinos. Participam representantes da população, Câmara de Vereadores, CORSAN, imprensa, diversas secretarias e órgãos municipais da administração local.
www.juliodorneles.blogspot.com


Foto: arquivo pessoal/pronunciamento do Prefeito Daiçon Maciel da Silva (Santo Antônio da Patrulha)

Pró-Sinos sediará Encontro Sul Brasileiro da REBAL

Estamos confirmando o Encontro Sul Brasileiro da Rede de Agendas 21 Locais (REBAL) para a 2ª quinzena de outubro deste ano (2012). A proposta para que a região do Consorcio Pro-Sinos sediasse o encontro foi avalizada pelo presidente/prefeito Ary Vanazzi e levada por nós à coordenação nacional que aceitou o convite. O Encontro Sul Brasileiro será simultâneo com nosso Encontro Estadual de Educação Ambiental e com o Seminário de Saneamento do Pró-Sinos.

A “guerra” da água e o futuro do Sinos



Por Julio Dorneles*

Nessas idas e vindas que tenho realizado na gestão do Consórcio Pró-Sinos, com frequência cada vez mais recorrente, tenho me deparado com expressões que remetem a uma “guerra” declarada pela água (recursos hídricos). Esse termo, na verdade, manifesta de forma estereotipada uma cada vez mais aguda disputa pelo controle dos recursos hídricos, logicamente, pela gestão dos serviços de saneamento básico no mundo em que vivemos.  E, embora alguns “bairristas” acreditem não estarmos inseridos nesse “mundo”, estamos sim.  A Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos e todas as demais bacias hidrográficas do Estado do Rio Grande do Sul já são objeto desta “guerra” cada vez menos silenciosa.
O controle da água foi estratégico para o desenvolvimento de todas as antigas civilizações de maior projeção na história. Seja na China, na Índia, na Mesopotâmia, no Egito, na Grécia ou entre os Incas e Astecas na América Pré-Colombiana, quem controlava os recursos hídricos exerceu por longos períodos a hegemonia regional.  Se olharmos para os últimos três mil anos da história da Palestina e do Oriente Próximo, veremos que o conflito pela água precedeu e acompanha lado a lado as guerras pelo controle da extração de petróleo e da infraestrutura que liga o Oriente Médio e o Extremo Oriente à Europa. Na história do Brasil, desde o período colonial, passando pelos primeiro e segundo Impérios e chegando ao Brasil republicano, a lista de conflitos internos e externos. Entre os externos, a uma lista significativa de conflitos com nossos vizinhos da Bacia do Rio da Prata, Paraná, Paraguai e Amazonas entre outros.
Recentemente, tanto em nossa Bacia do Sinos como em outras bacias hidrográficas de nosso Estado foram recorrentes os conflitos entre os diferentes usuários dos recursos hídricos, com destaque para um sério confronto entre o uso voltado ao abastecimento humano e o destinado às culturas irrigadas (em especial a do arroz). Vi esse conflito generalizado na audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa em Santa Rosa e durante a prolongada estiagem que atingiu nossa região no último verão. Ainda longe de ser uma guerra efetiva, os conflitos entre os diferentes usos da água na Bacia do Sinos precisam muito mais do que “acordos em momentos de crise”. Precisamos de corajosas políticas públicas como as defendidas pelos prefeitos desde a fundação do Pró-Sinos em agosto de 2007.
A recém-criada Comissão Especial para a Bacia do Sinos da Assembleia Legislativa poderá ser uma oportunidade ímpar, antes da próxima crise, para que possamos juntos, todos os atores envolvidos, construirmos políticas públicas que atendam os desafios da disponibilidade de água e da despoluição de nossa bacia. Sem isso, não haverá desenvolvimento sustentável em nossa região.

*Julio Dorneles é diretor executivo do Pró-Sinos e especialista em administração pública.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Audiências dos Planos Municipais de Saneamento

Hoje estou encerrando um dia muito produtivo pelo Consórcio Pró-Sinos, e estou muito realizado com a qualidade da audiência pública do plano de saneamento de Três Coroas (Vale do Paranhana) e com a que ainda está em andamento aqui em São Francisco de Paula (Serra Gaúcha).

A participação das prefeituras, dos conselhos municipais de meio ambiente, técnicos, população, UERGS, SEMA RS, CMBio e diversos outros, deu uma qualidade ao início desse processo inédito no Brasil através de um Consórcio Público de Direito Público - o Pró-Sinos - com aporte considerável de recursos do Ministério das Cidades - PAC 2 - Governo Federal.

Todos vão poder acompanhar a documentação histórica desse processo pelo site do Pró-Sinos em:
www.consorcioprosinos.com.br

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Rio dos Sinos; dados monitoramento atualizado

Rio dos Sinos com nível em 1,50m junto à captação do Semae (São Leopoldo). Oxigênio dissolvido: 2,2 mg/l; Condutividade 136,59 microsiemens/cm; Temperatura 22,5 graus Celsius.


Dados completos em www.consorcioprosinos.com.br/bacia hidrografica /monitoramento diario

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Monitoramento do Rio dos Sinos

Rio dos Sinos c/nível estável em 1,30m (EAB/SEMAE/SL). Dados da sonda Pró-Sinos/Martim Pescador: Cond.: 76 µs/cm, OD 3,21 mg/l, pH 6,86 ; Temp.: 24,27 °C. Tá na hora de vir uma boa chuva, se possível com mais de 50mm.