domingo, 25 de maio de 2008

Confirmada a morte de Tirofijo

As FARC confirmaram hoje (domingo) a morte de seu dirigente máximo, Pedro Antonio Marín, conhecido como Tirofijo (devido a sua lendária pontaria). Ele teria morrido em 26 de março passado em razão de um infarto "nos braços de sua companheira e cercado por sua guarda pessoal".



Veja a notícia em primeira mão de El País:

MAITE RICO / AGENCIAS - Madrid / Bogotá - 26/05/2008

Las Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia (FARC) confirmaron ayer la muerte de su máximo dirigente, Pedro Antonio Marín, alias Tirofijo, ocurrida el pasado 26 de marzo. Rompiendo con la costumbre de ocultar celosamente las bajas importantes, la guerrilla ratificó el anuncio realizado la víspera por las autoridades colombianas. En un vídeo difundido por la cadena venezolana Telesur, Rodrigo Londoño, alias Timochenko, explicó que Tirofijo murió de un infarto "en brazos de su compañera y rodeado de su guardia personal".
Tirofijo estaria com 77 anos.
2008 tem sido um ano terrível para as FARC, que já perderam pelo menos 7 de seus principais líderes.
[a matéria completa em]:

http://www.elpais.com/articulo/internacional/FARC/confirman/muerte/Tirofijo/elpepuint/20080526elpepiint_1/Tes

Aposta nos Bric

Em dezembro de 2001, o economista Jim O'Neill, do Goldman Sachs, criou o termo "Bric" para designar os mercados em crescimento acelerado de Brasil, Rússia, Índia e China. O'Neill acreditava que até o final da década os Bric poderiam responder por 10% do PIB mundial. Agora, quando estamos em 2008, novos estudos apontam para uma participação no PIB mundial maior do que a prevista inicialmente pelo economista:
- A ECONOMIA DA CHINA VAI SUPERAR A DOS ESTADOS UNIDOS ATÉ 2027;
- A ÍNDIA VAI SE IGUALAR AOS ESTADOS UNIDOS ATÉ 2050;
- e, principalmente, os quatro países, os Bric, VÃO SUPERAR OS PAÍSES DO G-7 (Alemanha, França, Reino Unido, Itália, Japão, Canadá e Estados Unidios) em participação no PIB mundial em 2032 !!!!!
Entre novembro de 2001 e 2007, o mercado brasileiro de ações subiu 369%, o da Índia 499%, o da Rússia 630% e o da China 201%.
Michael Konstantinov, gerente do fundo Allianz, acredita que o Brasil deverá ter um desempenho (no mercado de ações) melhor que o da China em 2008, tornando-o menos sensível às tensões na economia mundial.

A Diplomacia brasileira também abriu outra frente além do grupo Bric, esta é desenvolvida através do Ibas (Índia, Brasil e África do Sul): tratando ali também dos temas prioritários da agenda internacional do Brasil, a saber: ENERGIA, ALIMENTOS e Reforma da ONU.


Esta pauta tem repercutido na imprensa nacional e internacional, sendo tema, inclusive, da campanha para a presidência dos Estados Unidos da América (ou poderia deixar de sê-lo?).

domingo, 18 de maio de 2008

A desigualdade: um desafio permanente




por Julio Dorneles*
foto: favela Mobumbi (SP), no segundo plano os arranha-céus.




Embora se insista em criticar as políticas sociais e se ataque ferozmente a política macro-econômica do Governo Lula, não restam mais dúvidas de que ambas têm contribuído, junto a um cenário global favorável, para tirar da miséria absoluta milhões de brasileiros. Entretanto, esta melhoria nas condições de vida daqueles que se encontravam na pobreza não significa necessariamente uma redução significativa na maior mazela de nossa nação: a abismal desigualdade de renda entre os mais ricos e os mais pobres.



O bom desempenho da economia favorece os mais pobres, contudo, tem enriquecido “ainda mais” os mais ricos. Em que pese pesquisas do IBGE e do próprio IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – tenham demonstrado uma leve redução na desigualdade social no Brasil nos últimos anos, esta ainda não é significativa e não aponta para uma maior equidade a curto ou médio prazo.



Levantamento apresentado no último dia 15 de maio ao CDES – Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social – demonstra a necessidade de uma efetiva reforma tributária. Isto porque 10% da população concentra 75,5% da riqueza do país. Estes mesmos 10% comprometem 23% de sua renda com impostos, enquanto que os 10% mais pobres comprometem 33%. Estes pagam 44,5% mais que os 10% mais ricos. O que é, sem dúvida, uma contradição e uma injustiça que se mantém há séculos. O estudo do IPEA também mostra que a concentração de renda mantém-se praticamente inalterada ao longo de três séculos estudados (XVIII, XIX e XX). O que dá bem a idéia do tamanho do desafio, não para um ou dois governos, mas para o Estado, a Sociedade e uma nação que se pretende fazer um dia “desenvolvida”, e diria: bem desenvolvida.



Como distribuir a riqueza sem que haja uma política tributária mais justa? O Brasil precisa diminuir sua carga tributária, mas também, em alguns impostos como o Imposto de Renda sobre a Pessoa Física ampliar o número de faixas de tributação de forma a assegurar que os mais ricos efetivamente paguem mais impostos do que os mais pobres. A França, por exemplo, tem 12 (doze!) faixas de IR, a menor fixada em 5% e a maior em 57%. Enquanto nós brasileiros sustentamos este perverso “leão” que apresenta apenas duas (!) faixas, a mínima de 15% e a máxima de 27,5%. Como que tivéssemos apenas duas classes ou categorias de renda.



Outro desafio é converter toda carga tributária em serviços de qualidade (leia-se benefícios) à população, em especial, aqueles que mais necessitam, os quais vivem literalmente do lixo produzido pelos mais privilegiados materialmente. Quem sabe os governos devessem começar exatamente por este ponto, a fim de darem-se largos passos na redução das desigualdades e na afirmação da justiça social.

LITANIA fernando pessoa

Nós nunca nos realizamos.
Somos dois abismos - um poço fitanto o céu.

Maio exige reflexão


Esse mês de maio exige uma parada para reflexão. Trata-se do quinto mês e estamos em rítmo acelerado. Corremos o risco de perder o foco na meta principal e negligenciar até mesmo objetivos secundários, marginais mas importantes para atingirmos aquilo a que nos propomos.

Parar para ver, beijar e abraçar a filha que fez treze anos em maio.

Parar para ter tempo de amar e deixar-se amar.

Parar para dar tempo ao tempo.

Parar para silenciar.

Acalmar-se.

Pacificar-se.

Não é possível viver com dignidade quando permitimos que a indignidade do mundo nos absorva e fiquemos a "correr atrás do vento".

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Quem é eterno


México obtém status de parcerio estratégico da UE

A NOTÍCIA DE DESTAQUE DO DIA:
O México obteve junto à União Européia status que na América Latina somente o Brasil detinha.
Mais detalhes em El País.com:


México, socio estratégico de Europa

La UE le asigna un estatus privilegiado que sólo tiene Brasil en Latinoamérica


La Unión Europea (UE) ha decidido otorgar a México el estatus de "socio estratégico", una relación privilegiada que los europeos tienen con muy pocos países del mundo, y en Latinomérica sólo con Brasil. La comisaria europea para las Relaciones Exteriores, Benita Ferrero-Waldner, informó ayer en conferencia de prensa de que el presidente del Ejecutivo de la UE, José Manuel Durão Barroso, confirmará la iniciativa durante un viaje a México antes de la cumbre euro-latinoamericana que se celebrará en Lima los próximos días 15 y 16 de mayo.


http://www.elpais.com/articulo/internacional/Mexico/socio/estrategico/Europa/elpepuintlat/20080507elpepuint_3/Tes

domingo, 4 de maio de 2008

Inter arrasador: 8 a 1 no Juventude


Com uma chuva de gols do Fernandão, Nilmar, Alex, Índio, Dani Moraes e até do Clemer (goleiro, cobrando pênalti) o Inter ARRASOU com o Juventude (filial caxiense do Grêmio da Azenha) !!!
INTER CAMPEÃO GAÚCHO 2008
O resto é conversa da "papada".

sexta-feira, 2 de maio de 2008

A verdade sobre a história Inter x Juventude


Basta olhar para os números para saber que o Juventude não é "touca" alguma, a história mostra um "massacre" do Inter sobre o rival caxiense (filial do Grêmio):




Números do confronto: Inter x Juventude


175 jogos


100 Vitórias do Inter


35 Vitórias do Juventude


40 Empates


Gols do Inter: 329


Gols do Juventude: 160