sábado, 15 de dezembro de 2007

A verdade sobre Mundial de Clubes


Enquanto Boca e Milan aguardam as poucas horas que os separam dos 90 min decisivos de amanhã (domingo, 17/12), a FIFA anunciou (neste momento) que o ÚNICO TIME DE FUTEBOL GAÚCHO VERDADEIRAMENTE CAMPEÃO DO MUNDO é o Internacional - o dono da Tríplice Coroa (Campeão da América, Campeão da Recopa e Campeão Mundial).

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) decidiu neste sábado que o torneio internacional realizado no ano 2000 no Brasil - que teve como campeão o Corinthians - será considerado como a primeira edição do Mundial de Clubes.
[....] O Mundial de Clubes realizado pela Fifa desde 2005 substituiu a Copa Intercontinental, da qual participavam os campeões da Europa e da América do Sul. A entidade não considera as edições da Copa, que acontece desde 1960, como competições oficiais.
Foto: Adriano Gabiru comemora o gol do título, observado pelos craques da seleção do mundo (Barcelona).
Fonte:www.internacional.com.br
Até o momento, os times brasileiros dominam as estatísticas da competição, já que ao triunfo do Corinthians somam-se os títulos conquistados pelo São Paulo sobre o Liverpool (1 a 0) em 2005 e pelo Internacional sobre o Barcelona (1 a 0) em 2006.

Fonte da notícia: AFP

NESTE DOMINGO, vamos comemorar NAÇÃO COLORADA espalhada pelo mundo!!!!
Um ano do INTER CAMPEÃO MUNDIAL FIFA 2006 !!!
Vice-campeão: o todo-poderoso Barcelona de Ronaldinho

2007 revelou que o Inter é o verdadeiro Campeão Brasileiro de 2005, quando em campo foi superior a todos (e ao Corinthians) mas teve o título roubado em um tribunal desportivo corrupto. Agora, neste mesmo ano, a FIFA também anula aquela mentira que perdurou no imaginário gaúcho de "Timinho da Azenha" ter sido "campeão do mundo". Só se foi do mundo da carochinha...


A verdade é que o Grêmio é o único clube de futubol gaúcho que (para vergonha do futebol gaúcho) esteve por duas vezes na SEGUNDONA (2a. divisão do futebol brasileiro). E, diga-se só voltou a primeira vez pela caneta de Ricardo Teixeira! Agora, sua filial (o Juventude) buscará igualar a matriz...

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Lisboa gera um Tratado “para uma Europa mais moderna, eficaz e democrática”




O novo texto firmado na capital portuguesa inclui um sistema de decisão mais ágil e pretende dar à União Européia uma personalidade mais unitária em sua imagem no exterior

A cidade de Lisboa (Portugal) gerou ontem o Tratado que regerá os destinos da União Européia nas próximas décadas, o texto substitui a fracassada Constituição Européia. Os líderes dos 27 países que integram a EU se reuniram no magnífico Mosteiro dos Jerônimos de Lisboa, em frente à desembocadura do rio Tejo.
Concretamente, o Tratado reconhece a Carta dos Direitos humanos “como valor jurídico pleno”, responde ao objetivo de facilitar a tomada de decisões e reforça o papel dos parlamentos nacionais.
Uma cobertura completa encontra-se em: www.elpais.com/

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

BOCA rumo a mais um título no mundial


Dá-le Boca!!!


Cardozo marca o gol da vitória nesta manhã e homenageia Riquelme.

Show de bola !!!!

Sabem por que é o Boca que está lá na final (porque foi o Boca que humilhou o timinho da Azenha naquele estádio que não tem condições de receber a Copa 2014) eh eh

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

A notícia do dia

Quinta, 6 de dezembro de 2007, 22h01

Fonte: Reuters

Energia

Petrobras descobre gás e petróleo leve no Espírito Santo

A Petrobras informou nesta quinta-feira ter descoberto mais gás e petróleo leve no campo de Camarupim, na Bacia do Espírito Santo. A empresa não divulgou as estimativas do tamanho da reserva, mas disse que as descobertas confirmaram o alto potencial de petróleo e gás da área e deve aumentar as reservas recuperáveis na bacia.
"O poço pioneiro 4-ESS-177 perfurado em lâmina d'água de 708 m, no bloco BM-ES-5, descobriu gás natural a uma profundidade de 3.417 m", informou a Petrobras em nota. A companhia americana El Paso é a parceira da estatal no bloco, com 35% de participação.
O mesmo poço descobriu presença de petróleo leve a uma profundidade de 2.416 m. A empresa também teve sucesso na área com o poço exploratório 6-ESS-168.
No mês passado, a Petrobras anunciou uma estimativa de reservas recuperáveis em seu gigante campo de Tupi na camada pré-sal da Bacia de Santos, avaliando entre 5 e 8 bilhões de barris. Se confirmada, essa seria a segunda maior descoberta de petróleo dos últimos 20 anos. A primeira foi em Kashagan, no Cazaquistão.

O que há de melhor: a letra abaixo, a música ao lado




Ojalá
que llueva
café

Juan Luis Guerra


Ojalá que llueva café en el campo
que caiga un aguacero de yuca y té
del cielo una jarina de queso blanco
y al sur una montaña de berro y miel
oh, oh, oh-oh-oh, ojalá que llueva café

Ojalá que llueva café en el campo
peinar un alto cerro (d)e trigo y mapuey
bajar por la colina de arroz graneado
y continuar el arado con tu querer
oh, oh, oh-oh-oh...

Ojalá el otoño en vez de hojas secas
vista mi cosecha e pitisalé
sembrar una llanura de batata y fresas
ojalá que llueva café

Pa(ra) que en el conuco no se sufra tanto, ay ombe
ojalá que llueva café en el campo
pa que en Villa Vásquez oigan este canto
ojalá que llueva café en el campo
ojalá que llueva, ojalá que llueva, ay ombe
ojalá que llueva café en el campo
ojalá que llueva café

Oh....


Ojalá que llueva café en el campo
sembrar un alto cerro e trigo y mapuey
bajar por la colina de arroz graneado
y continuar el arado con tu querer
oh, oh, oh-oh-oh...

Ojalá el otoño en vez de hojas secas
vista mi cosecha e pitisalé
sembrar una llanura de batata y fresas
ojalá que llueva café

Pa que en el conuco no se sufra tanto, oye
ojalá que llueva café en el campo
pa que en Los Montones oigan este canto
ojalá que llueva café en el campo
ojalá que llueva, ojalá que llueva, ay ombe
ojalá que llueva café en el campo
ojalá que llueva café

Pa que to(dos) los niños canten en el campo
ojalá que llueva café en el campo
pa que en La Romana oigan este canto
ojalá que llueva café en el campo
ay, ojalá que llueva, ojalá que llueva, ay ombe
ojalá que llueva café en el campo
ojalá que llueva café...


sábado, 1 de dezembro de 2007

COLORADOS ESTÃO CONVOCADOS PARA PINTAR O MUNDO DE VERMELHO


O Internacional convoca a torcida colorada para pintar o mundo de vermelho no próximo dia 17 de dezembro. Todos torcedores devem comemorar com entusiasmo o primeiro aniversário da conquista do Mundial de Clubes da Fifa, ocorrido em 2006, em Yokohama, no Japão.
Não importa o local do planeta, pois o amor pelo Inter não tem fronteiras. Vista sua camisa, empunhe a bandeira, solte fogos de artifício e faça o maior barulho! Por volta das 10h20min da manhã (horário de Brasília) completará exatamente um ano que o juiz apitou o final da partida contra o Barcelona, decretando a conquista histórica no Japão.
Vamos reviver intensamente as emoções do dia 17 de dezembro! Participe e conclame outros colorados!
Fonte: www.internacional.com.br/

domingo, 25 de novembro de 2007

Todo mundo em pânico

Sei que muitos de meus alunos (e colegas!) estão com aquela síndrome do "pânico" que se abate nessa fase derradeira do ano (últimos dias!!!).
Não adianta mais querer salvar o ano nesses últimos dias: o que foi feito está feito. O negócio é parar e avaliar o que deu certo e o que deu errado e RECOMEÇAR !
Obviamente, se em algum aspecto (ou disciplina - componente curricular) ainda temos alguma oportunidade de, com dedicação, atingirmos as metas então vale a pena um pouco mais de esforço desde que concentrado e viável.
Eu sinceramente não vou me estressar afinal tive um ano maravilhoso em muitos aspectos (principalmente nos mais importantes).
Tenho certeza que 2008 será ainda melhor!
Espero que todos nós encerremos 2007 felizes (mesmo que nos falte sempre algo mais!) e que entremos em 2008 mais maduros, mais espertos (no bom sentido!), mais preparados e capazes de aprender com nossos próprios erros e acertos.
Boa sorte a todos nessa reta final de ano.

sábado, 17 de novembro de 2007

O Presidente Lula está errado

Lula que me desculpe, embora tenha razão em muitas coisas não tem ao defender a "democracia"chavista. Lula é um grande presidente, isso é verdade, mas não devia ter defendido um presidente que foi eleito por uma constituição e agora governa com outra... Chávez não está reformando a Constituição da Venezuela mas escrevendo uma nova constituicão (como ele quer).

São muitos democratas e socialistas no Brasil, na Venezuela e no mundo todo que não concordam com os métodos chavistas. Fascistas e nazistas (na Itália e na Alemanha) também chegaram ao poder pelo voto e em acordo com normas constitucionais. A questão é como exerceram o poder e foram desfigurando a democracia e massacrando as aposições.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Artigo de Opinião

Chávez, o soberano
Por Julio Dorneles*

Penso que não pode passar sem uma análise, mesmo que inicial, o processo de rompimento com os fundamentos de um Estado Democrático de Direito na Venezuela.
É de conhecimento de todos que o Coronel Hugo Chávez pretendeu chegar ao poder através de um golpe militar, em 1992, que fracassou e resultou em sua prisão temporária. O golpe fracassado, no entanto, projetou-o como uma espécie de herói popular que ousou enfrentar a opulência do Estado e o poder da elite dirigente venezuelana, e tomar as dores de mais da metade da população que vive na pobreza.
A imagem militar de Chávez é recorrente no imaginário popular latino-americano: “militares são honestos, os políticos são corruptos!” Foram líderes militares que libertaram a América Latina do domínio colonial espanhol: é verdade! Mas é uma meia-verdade, porque estes mesmos líderes eram também membros de uma elite (ricos proprietários) e, ao mesmo tempo, eram sujeitos políticos extremamente atuantes em todas as questões locais, regionais e continentais (Bolívar e San Martín).
Esse Chávez heróico, militar, revolucionário e popular o fez presidente pelo voto em eleições livres e democráticas é verdade. Mas depois da primeira eleição, Chávez aproveitou uma base de apoio majoritária no congresso e na sociedade para começar a mudar as regras do sistema que havia lhe permitido chegar à presidência da Venezuela de forma democrática. As mudanças na legislação venezuelana que a maioria chavista passou a aprovar alteraram gradativamente as regras do sistema democrático de tal forma a fortalecer a maioria e inviabilizar qualquer organização de oposição.
Em 2002, muito seguramente com o apoio da CIA (EUA), a elite venezuelana articulada a uma grande rede de comunicação, empresários do petróleo e a membros do alto comando do Exército tentaram impor um golpe de estado e aprisionaram novamente o então presidente Chávez. Ele foi libertado e retomou o controle político e militar numa ação cinematográfica da divisão de pára-quedistas. Em seguida, Chávez venceu um referendum (2004) para sua permanência no poder e obteve um terceiro mandado (2006). Na última eleição obteve 62,84 % dos votos, enquanto seu opositor obteve 36,9% (um percentual nem um pouco desprezível). Agora, em 2007, Chávez promove uma nova “Reforma Constitucional” que lhe garantirá a possibilidade de ele “querendo” e a maioria “aceitando” perpetuar-se na presidência com poderes soberanos, inclusive para intervir e nomear prefeitos e governadores.
Ora, ninguém precisa ter doutorado em ciências políticas para constatar que há um processo do que poderíamos chamar de golpe constitucional na democracia e que Hugo Chávez está mais para coronel do que para um líder democrático e socialista. A soberania na democracia chavista está no povo venezuelano em seu conjunto ou está na figura de seu “dirigente máximo”? Pode ser chamado de democrático um sistema em que aqueles que são derrotados uma eleição presidencial sejam atingidos logo em seguida com a redução ou perda de seus direitos constitucionais? Não seria próprio da democracia respeitar os direitos das minorias e das oposições?
Se não aprendermos com a história e com os erros do passado e do presente, então com que aprenderemos...

*Julio Dorneles – Professor de História e especialista em Administração Pública. www.juliodorneles.blogspot.com
- e-mail: juliodorneles@hotmail.com – fone cel. 51 8176 1970

domingo, 4 de novembro de 2007

Reconstrução do Rosto do Jovem Faraó Tutankamon



El rostro del que es hoy uno de los faraones más emblemáticos de la historia del Antiguo Egipto, el rey Tutankamón, será mostrado al público a partir de este domingo por primera vez en el historia.

85 años después de que el explorador británico Howard Carter descubriera la tumba del faraón egipcio de la XVIII dinastía, Tutankamón, su rostro, que permanece intacto gracias al proceso de momificación, va a ser expuesto al público en el mismo lugar donde se encontró, el Valle de los Reyes, en Luxor.
A pesar de que miles de personas han visitado su sarcófago, se cree que tan solo medio centenar ha tenido la oportunidad de ver su cara desde que su tumba fuera descubierta, según informa la BBC en su página web.


Los tesoros de Tutankamón
Aunque según se cree Tutankamón pudo morir cuando tenía entre 17 y 19 años (hace ya más de 3.000 años), los tesoros acumulados durante su corta vida y breve reinado, y con los que fue enterrado, han hecho de su tumba uno de los descubrimientos arqueológicos más importantes de la historia egipcia.
El encargado del Consejo Supremo de Antigüedades de Egipto, Zahi Hawass, ha dicho que los restos de Tutankamón y otras reliquias están amenazados por el calor y la humedad que trae a la tumba la multitud de visitantes.
Por ello, están siendo transferidos de su sarcófago dorado original a una caja de plexiglás con temperatura controlada, situada en la antecámara de la tumba.


Fonte: El País.com - domingo, 4/11/2007

Governo Lula colocará mais R$ 24 bilhões na saúde

Depois de longas negociações entre o governo federal, parlamentares, ministros e secretários estaduais e municipais de saúde, na noite de quarta-feira (31), a Câmara dos Deputados aprovou a regulamentação da Emenda Constitucional nº 29. O dispositivo prevê mais recursos ao setor, além de direcioná-los exclusivamente à saúde.

O vice-líder do governo, Henrique Fontana, comemora: "Foi um avanço significativo. Saímos de um Orçamento, em 2002, de R$ 22 bilhões, para R$ 44 bi, neste ano, sendo que em quatro anos teremos R$ 71 bilhões direcionados à saúde". Os aumentos serão vinculados à variação nominal do Produto Interno Bruto (PIB).

A Câmara aprovou uma subemenda ao Projeto de Lei Complementar 1/03 que garante recursos adicionais de R$ 4,07 bilhões para a saúde pública em 2008, que define a aplicação mínima de recursos no setor por parte da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. O projeto segue agora para análise no Senado.

O texto acatado, de autoria do deputado Guilherme Menezes (PT-BA), contém a proposta do governo federal para vincular o aumento anual dos gastos da União com o setor à variação nominal do Produto Interno Bruto (PIB), em vez de aplicar 10% da receita corrente bruta como constava do substitutivo da Comissão de Seguridade Social e Família.

Nos próximos quatro anos (2008 a 2011), ao valor encontrado com a aplicação da variação do PIB será somado um percentual da arrecadação da CPMF - além dos 0,20% da CPMF já destinados atualmente ao Fundo Nacional de Saúde (FNS). Em 2008, o acréscimo será de 10,178% da CPMF; em 2009, de 11,619%; em 2010, de 12,707%; e em 2011, de 17,372%.
Como a alíquota total da CPMF é de 0,38%, a saúde já recebe mais da metade do valor arrecadado pelo tributo (0,20%). Na composição da CPMF, os outros 0,18% da alíquota dividem-se em 0,10% destinados ao custeio da previdência social e em 0,08% direcionados ao Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza.

Fontana explica que o projeto aprovado lista onze despesas que devem ser consideradas como ações e serviços públicos de saúde, e outras dez que não podem ser custeadas com os recursos vinculados pela Emenda 29. Entre as ações permitidas estão a vigilância em saúde (inclusive epidemiológica e sanitária); a capacitação de pessoal do Sistema Único de Saúde (SUS); a produção, aquisição e distribuição de medicamentos, sangue e derivados e outros; a gestão do sistema público de saúde; as obras na rede física do SUS e a remuneração de pessoal ativo em exercício no setor.

Não poderão ser consideradas, no cálculo dos recursos mínimos para a saúde, despesas como o pagamento de inativos e pensionistas; serviços de saúde para servidores; merenda escolar; limpeza urbana e remoção de resíduos; ações de assistência social e obras de infra-estrutura, entre outras.

Promulgada em 2000, a Emenda 29 determinava que o financiamento da saúde deveria ser aumentado gradualmente, durante quatro anos. A partir de então, o valor alcançado não poderia mais ser reduzido. Faltava regulamentar a emenda, o que foi feito com a votação do PLP 1/03.
Vitória da saúde

Membro da Frente Parlamentar da Saúde, Henrique Fontana passou as últimas semanas envolvidos na redação do texto final do projeto votado na Câmara. Na última terça e quarta-feira, o vice-líder do governo reuniu-se com os ministros Paulo Bernardo (Planejamento), Guido Mantega (Fazenda), José Gomes Temporão (Saúde) e Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais). Na mesa, o ajuste dos índices e valores que o governo federal disporá nos próximos quatro anos (R$ 24 bilhões).

Fontana também lembra que através da aprovação da Emenda 29, os estados que não vinham cumprindo a determinação constitucional de aplicar 12% em saúde, agora terão de fazê-lo. "O Rio Grande do Sul, por exemplo, aplicava a metade disso", compara. Pelo projeto aprovado, "são 50% a mais de recursos em quatro anos", calcula o parlamentar. "O presidente Lula mostrou muita sensibilidade nesta matéria", avalia Fontana, pois os aumentos de valores repassados são significativos.

Fonte: Assessoria de Comunicação, com Agência Câmara.

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Dia da Reforma : a libertação do Cativeiro Babilônico em que vivia a Igreja Cristã



Em 31 de outubro de 1517, um jovem monge agostiniano - Martinho Lutero (já doutorado nas Escrituras Sagradas) publicou (afixou) suas 95 Teses "Sobre o Poder e a Eficácia das Indulgências" quanto à salvação da pessoa humana. Ergueu-se um voz que até hoje não se cala e que possibilitou à Igreja Cristão libertar-se do "Cativeiro Babilônico" em que o Papado a havia encerrado.





"O Justo Viverá SOMENTE pela FÉ!"
Rm 1,17



Poderia a Igreja (qualquer uma!) negociar ou vendar "salvação"? Pode haver algum tipo de negociação entre o Ser Humano e Deus? Mediada ou não por sacerdotes? Pelo Clero?

De modo algum: ela (a salvação) é por GRAÇA (gratuitamente) oferecida por Deus a todo aquele que nEle crê...



Esta foi a doutrina central da Reforma Luterana. Lutero, de início, não podia compreender como a "justiça de Deus se revela no evangelho" ("visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé". Rm 1:17). Para ele, a justiça de Deus só poderia condenar o ser humano, não salvá-lo. Tal justiça não seria "boas novas" (evangelho).

Só quando compreendeu que a justiça de que Paulo fala nesse texto não é o atributo pelo qual Deus retribui a cada um conforme os seus méritos (o que implicaria em condenação para o ser humano), mas o modo como Ele justifica o ser humano em Cristo, é que a luz raiou em seu coração e a verdade aflorou em sua mente. Tornou-se, então, um ser humano livre, confiante e certo do perdão dos seus pecados. Compreendeu o evangelho!

O Evangelho é a manifestação dessa justiça de Deus, que é recebida somente pela fé. Não é produzida pelas obras, pois o ser humano não as têm. "Visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado"... "concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei" Rm 3:20,28).

Aula de História


quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Testemunhas confirmam: Fernandão é "MATADOR"!!!




Deu pena do Juventude: olé, chapelaria Fernandão e a pá de cal para o rebaixamento da filial do Grêmio:
















domingo, 21 de outubro de 2007

FÓRMULA 1 dos velhos tempos




Privilegiados como eu, que assistiram a extraordinária Fórmula 1 dos anos 80, até têm alguma esperança...
Considerand0-se pelo menos os últimos dois GPs que foram incríveis e a perspectiva de uma grande disputa em Interlagos hoje à tarde podemos nos animar.
Dessa vez o resultado pode ser o inesperado!!!

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Amostra Che


Hasta siempre, Comandante
La localidad gerundense de Olot ha albergado una exposición del artista Karris en la que homenajea al 'Che' Guevara en el 40 aniversario de su muerte

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Dia do Professor e da Professora !!

Hoje é nosso dia do professor (e da professora). Minha primeira lembrança é da professora Tânia que lá em Santo Ângelo, numa escolinha improvisada no acampamento da construtora em que trabalhava meu pai (e nós morávamos) me ensinou a ler, a escrever e tudo mais que é (ainda hoje) indispensável para a vida: ter caráter, amar a vida e respeitar as pessoas!!!

Nunca mais a vi, mas onde quer que esteja: obrigado professora!

Niver da Esther


14.out.1993
nascia a Esther
14 anos completos nesse domingo.
Filha:
Te amo muito muito muito !!

domingo, 7 de outubro de 2007

Guiñazu: um guerreiro em campo



















Inter 2 x 0 América RN

A torcida deu espetáculo

Jogadaço


foto: Ortega, comemora o segundo gol.
Fonte: El Clarín

O Inter despachou o América (RN) no Beira-Rio, mas o único show foi o da torcida. Novamente nosso ataque perdeu muitos gols e a zaga falhou. Felizmente o adversário era fraco e o árbrito, desta vez, não roubou!! (quer dizer "não falhou").


Mas o jogadaço do domingo foi entre RIVER PLATE e BOCA JUNIORS no Monumental de Nuñez (em Buenos Aires). Dói admitir mas o River por vezes chegou a dar um baile no Boca. Este, como contra o São Paulo, não tem sido o grande Boca que jamais desiste e que em segundos vira um jogo.... Parabéns ao River que "pasó por arriba de Boca!!". River 2 x Boca 0

sábado, 6 de outubro de 2007

ETA - EUSKADI



Notícia de El País: Sábado, 6/10/2007: 15h48min, Madri (Espanha)
Divulgada por Agências, Bayona/Bilbao

As prisões são uma declaração de Guerra contra o movimento de independência basco!!






RESUMO DA NOTÍCIA

A operação foi ordenada pelo juiz Baltasar Garzon. Os prisioneiros já estão detidos em Madri.

Um juiz espanhol da Alta Corte da Espanha acusou o comitê nacional do partido nacionalista basco Batasuna de fazer parte do ETA (Pátria Basca e Liberdade, grupo armado que luta pela independência da região basca).

O juiz Baltasar Garzon, que faz campanha contra o ETA e o Batasuna, afirmou que 22 membros da quadro diretivo do partido "formam parte da rede de tomadas de decisões da organização [ETA], com total conhecimento e participação em seus objetivos criminosos".

Em agosto, Garzon ordenou a suspensão do Batasuna por pelo menos três anos por suposto apoio e financiamento do ETA, que matou 837 pessoas em 34 anos de campanha pela independência do País Basco, localizado no norte da Espanha e no sudoeste da França.

O Batasuna, que teve 10% dos votos nas eleições bascas do ano passado, compartilha do desejo do ETA de um Estado basco e se recusa a condenar os ataques do grupo.

Mas o partido nega ser o braço político do ETA, grupo guerrilheiro mais ativo da Europa Ocidental.

Matéria completa, veja em: www.elpais.com

"Las detenciones son una declaración de guerra contra el independentismo vasco"
La cúpula de Batasuna en Francia dice que la reunión de Segura no era para renovar la estructura del partido


Saiba mais sobre o grupo basco ETA

da BBC
Há quase 40 anos a organização terrorista e separatista basca ETA está empenhada em uma campanha armada pela independência de sete regiões no norte da Espanha e sudoeste da França, que os separatistas bascos dizem ser seu território. O Euskadi Ta Azkatasuna (ETA), cujo nome significa Pátria Basca e Liberdade, surgiu na década de 60 como um movimento de resistência estudantil que se opunha radicalmente à ditadura militar do general Francisco Franco. No regime de Franco, a língua basca foi proibida, a cultura local foi suprimida e intelectuais bascos, presos e torturados por suas posições culturais e políticas. Houve grande resistência a Franco no País Basco. Sua morte, em 1975, mudou tudo, e a transição para a democracia trouxe alguma autonomia para a região, que tem dois milhões de habitantes.
Mas apesar do fato de a parte espanhola do País Basco gozar de alguma autonomia --tem seu próprio Parlamento, polícia, educação e coleta de seus próprios impostos-- o ETA e seus partidários linha-dura estão determinados a lutar por independência total. Essa luta provocou mais de 800 mortes nas últimas três décadas --muitas das vítimas entre membros da Guarda Civil, a polícia nacional espanhola, e entre políticos locais e nacionais que se opuseram à reivindicação do ETA.
Apesar disso, seu poder teria se erodido nos últimos anos. Analistas vinham discutindo se o grupo é uma força em vias de extinção ou simplesmente aguarda o momento de atacar de novo. Durante a ditadura de Franco na Espanha
1937: General Franco ocupa o país Basco. Até então, os bascos tinham direito a um pouco de autonomia, mas o ditador espanhol cancela qualquer privilégio e reprime duramente a aspiração dos bascos por independência.
1959: O ETA é formado, com o objetivo de criar um País Basco independente. A sigla significa Euzkadi Ta Askatasuna (Pátria Basca e Liberdade).
1961: a campanha de violência do ETA se inicia, com uma tentativa de descarilar um trem que levava políticos.
1968: O ETA mata sua primeira vítima, Melitón Manzanas, um dos líderes da polícia secreta na idade de San Sebastián.
A violência continua
Dezembro de 1973: Nacionalistas bascos matam em Madri o primeiro-ministro espanhol, almirante Luís Carrero Blanco, em retaliação a execuções de militantes bascos pelo Governo.
1978: Fundado o braço político do ETA, o HB (Herri Batasuna).
1980: Até este ano, 118 já haviam morrido em atentados ligados ao ETA.
1995: Tentativa de assassinato do então líder do partido de oposição PP, José Maria Aznar (então primeiro-ministro), na explosão de um carro-bomba.
Novo governo
Março de 1996: O PP, de direita, vence as eleições gerais. O grupo extremista considera a chegada do partido ao poder um retorno à ditadura de Franco.
1997: Início da campanha do ETA contra políticos do PP no País Basco.
Julho de 1997: O ETA é acusado de seqüestrar e matar um conselheiro muncipal basco, Miguel Ángel Blanco, provocando revolta popular e levando seis milhões de espanhóis a participar de protestos nas ruas do país.
Dezembro de 1997: 23 líderes do HB são presos por sete anos, por colaborarem com o ETA. Essa foi a primeira vez que membros do partido foram presos por cooperação com o grupo extremista.
Negociações
Março de 1998: Os principais partidos políticos da Espanha iniciam negociações em busca do fim da violência no País Basco. O governo não se envolve nas conversas.
Setembro de 1998: O ETA anuncia o seu primeiro cessar-fogo por tempo indefinido desde o início de suas atividades.
Maio de 1999: Representantes do governo espanhol e do ETA têm em Zurique, na Suíça, o primeiro e único encontro realizado até hoje.
Agosto de 1999: O primeiro-ministro, José Maria Aznar, acusa do ETA de ter "medo da paz" e pede ao grupo que mostre seu comprometimento. Em seguida, o ETA confirma que as negociações com Madri foram canceladas.
Novembro de 1999: O grupo separatista anuncia o final de seu cessar-fogo de 14 meses, culpando o governo pela falta de progresso nas negociações de paz.
A volta da violência
Janeiro de 2000: Carro bomba explode em Madri.
Fevereiro de 2000: Carro-bomba na cidade basca de Vitória mata um político socialista e seu guarda-costas.
Julho de 2000: O conselheiro municipal da cidade andaluz de Málaga, José María Martín, do PP, é morto a tiros.
Agosto de 2000: Um carro carregado com armas explode em Bilbao, matando quatro pessoas suspeitas de serem ativistas do ETA. Dois oficiais da polícia espanhola são mortos em um atentado a bomba no vilarejo de Sallent de Gallego, no País Basco, perto da fronteira da Espanha com a França.
Setembro de 2000: Um político do PP, José Luíz Ruíz Casado, é morto perto de sua casa, na capital catalã Barcelona. No dia seguinte, o ETA assume a autoria desse e de outros atentados cometidos anteriormente.
Outubro de 2000: Cerca de 100 mil bascos realizam uma marcha em Bilbao, para mostrar sua insatisfação com a campanha de violência do ETA.
Fevereiro de 2001: Convocadas eleições gerais no País Basco, a se realizarem no dia 13 de maio. Políticos são alvo
Março de 2001: Froilan Elexpe, um político local, é assassinado na cidade de Lasarte, perto de San Sebastián. Desde o final do cessar-fogo, em dezembro de 1999, o ETA foi responsabilizado por 28 mortes.
Maio de 2001: Manuel Jimenez Abad, da cúpula do Partido Popular, é morto a tiros na cidade de Zaragoza uma semana antes das eleições para o Parlamento basco.
Novembro de 2001: O juiz José Maria Lidon foi morto a tiros em Bilbao, menos de 24 horas depois que um carro bomba explode e deixa quase 100 feridos em Madri. Lidon, que não estava em nenhuma lista conhecida de ataques do ETA, havia condenado seis simpatizantes do ETA a longas penas de prisão em 1987.
Dezembro de 2001: A União Européia declara o ETA uma organização terrorista --pela primeira vez todos os governos dos 15 países-membros do bloco definem o ETA dessa forma, em uma vitória diplomática significativa para o governo espanhol.
Julho de 2002: Juiz Baltazar Garzon ordena o confisco de 18 milhões de euros pertencentes ao Batasuna.
Agosto de 2002: O juiz Garzon suspende o Batasuna por três anos alegando que ele é parte do ETA que, ele declara, é "culpado de crimes contra a Humanidade". O Parlamento, enquanto isso, busca uma proibição por tempo indeterminado para o Batasuna.
Setembro de 2002: A polícia francesa prende um homem e uma mulher suspeitos de serem líderes do ETA depois de uma operação conjunta com a polícia espanhola. Acredita-se que o homem, Juan Antônio Olarra Guribi, seria o chefe militar do grupo.
Dezembro de 2002: O suposto chefe de logística do ETA, Ibon Fernandez Iradi, escapa da custódia da polícia no sul da França apenas três dias depois de ter sido capturado perto da fronteira espanhola.
Fevereiro de 2003: O governo da Espanha fecha o jornal basco Euskaldunon Egunkaria alegando que ele está ligado ao ETA, mas um novo jornal basco, "Egunero", chega às bancas no dia seguinte trazendo a manchete "Fechado mas não silenciado".
Março de 2003: A Suprema Corte da Espanha proíbe o Batasuna permanentemente em resposta a um pedido do governo. É a primeira vez, desde a morte de Franco, em 1975, que um partido político é colocado na ilegalidade na Espanha.
Maio de 2003: Os Estados Unidos declaram o Batasuna um grupo terrorista. A União Européia faz o mesmo um mês depois.
Julho de 2003: Bombas explodem com um intervalo de poucos minutos nos balneáreos espanhóis de Alicante e Banidorm, ferindo pelo menos 13 pessoas. Cinco dias depois, outra bomba explode em um estacionamento no aeroporto de Santander.
Novembro de 2003: A polícia espanhola prende 12 supostos líderes do ETA em uma série de batidas.
Dezembro de 2003: A polícia recaptura o suposto chefe de logística do ETA, Ibon Fernandez Iradi, na cidade francesa de Mont-de-Marsan.

terça-feira, 2 de outubro de 2007

40 anos da morte do Comandante Ernesto Che Guevara


VEJAM ! aqui mataram Che Guevara - em La Higuera (uma "aldeia perdida" na selva boliviana) - Foto da "Praça" principal.
Editado por Julio Dorneles
A imagem mais difundida de Che no mundo !



Vejam abaixo matéria especial de El País sobre Che Guevara e os médicos cubanos que devolveram a visão ao sargento do Exército boliviano (Mário Terán) que efetuou o disparo que tirou a vida do comandante.


Matéria publicada em "El País" - Madri (Espanha) - 02/10/2007:



Nome completo: Ernesto Guevara De la Serna
Nascimento: 14.junho.1928 - em Rosário (Argentina)
Morte: 09.outubro.1967 (La Higuera, Bolívia)
______________________________
Cuba devuelve la vista al hombre que mató al Che Guevara Mario Terán, el sargento boliviano autor del disparo que terminó con la vida de Ernesto Che Guevara, ha sido operado de la vista por médicos cubanos. – La noticia coincide con el 40º aniversario de su muerte ELPAIS.com - Madrid - 02/10/2007

Mario Terán, el sargento boliviano autor del disparo que terminó con la vida de Ernesto Che Guevara, el histórico líder de la revolución cubana de 1959, se ha beneficiado de un programa de Cuba, que ofrece tratamientos gratuitos de la vista en toda América Latina. Según informa la BBC, médicos cubanos que trabajan en Bolivia han operado a Terán para corregirle un problema ocular.
La intervención fue realizada el año pasado, pero no ha trascendido hasta ahora, momento en que el hijo de Terán ha escrito una carta a un periódico boliviano para agradecer a los médicos cubanos que hayan devuelto la vista a su padre.

La noticia coincide con los preparativos del 40º aniversario de la muerte del Che, el próximo 9 de octubre. "Cuatro décadas después de que Mario Terán intentará destruir un sueño y una idea, Che Guevara regresa para ganar otra batalla", ha proclamado el diario oficialista Granma, que ha añadido "Ahora un anciano puede apreciar de nuevo los colores del cielo y el bosque, disfrutar de las sonrisas de sus nietos y ver partidos de fútbol".No todas las reacciones han sido tan benévolas. Margarita Andreu, directora del centro oftalmológico de Santa Cruz, donde ha sido operado Terán, ha confesado a AFP haberse sentido indignada al escuchar la noticia por la radio: "Evidentemente no se ha presentado aquí diciendo que era el asesino del Che". El hospital había sido inaugurado recientemente por el presidente de Bolivia, Evo Morales, admirador declarado de Fidel Castro.
El Che

Ernesto Che Guevara fue uno de los personajes claves de la revolución cubana de 1959 junto a Fidel Castro. En 1966, viajó a Bolivia, animado por su idea de promover la revolución social en toda América Latina. Pero en octubre de 1967 fue capturado por el ejército boliviano, gracias a la ayuda de la CIA.
Herido durante el enfrentamiento, fue trasladado el 8 de octubre a una escuela en el pueblo de La Higuera donde los soldados debatieron qué hacer con él. El sargento boliviano Mario Terán ha pasado a la historia como el hombre que ejecutó de un disparo al Che, el 9 de octubre.El cadáver fue trasladado a un hospital cerca de la ciudad de Vallegrande, donde fue expuesto a los medios de comunicación de todo el mundo. En 1997, se encontraron sus restos, que fueron trasladados a Cuba donde volvieron a ser enterrados.

domingo, 30 de setembro de 2007

DICA DE SATISFAÇÃO: Bucadisantoantonio Pizzaria

Quer ser feliz??

Não tem erro:

Vá na

Bucadisantoantonio Pizzaria

(tem Cesar, do Paulista, da Ana... saladas divinas, vinhos e cerveja gelada!)

Rua Santo Antônio 1258 - Centro - São Leopoldo (Vale do Sinos) Rio Grande do Sul - Brasil

(é bem próximo à BR 116)

Não dá mais !!

Por favor:

alguém suspende o Clemer do Futebol e concede a ele uma aposentadoria vitalícia!!!!!
E o que quer o Abel com aquele Magal???!!!!
Já chega o Inter é grande demais pra tantos erros sucessivos e para tanta teimosia. Jogar o que jogamos contra o São Paulo com 10 jogadores em campo e entregar o jogo novamente!!???



Olhá:
pelo menos o Risoto com Aspargos que eu fiz no sábado à noite estava muito bom e sem surpresas desagradáveis...

Breve História de Myanmar (ou Mianmar, ex-Birmânia)

A população de Myanmar é descendente de tribos mongóis que se instalaram na região no século VII. Estas tribos constituíram um Estado unificado em 1054, com a fundação da dinastia Pagan por Anawrahta, introdutor do budismo no país. Em 1287, a Birmânia é invadida pelos mongóis de Kublai Khan. A região se fragmenta em pequenos estados até sua reunificação em 1752, sob a liderança de Alangpaya.
No
século XIX, o Império Britânico invade a Birmânia, incorpora-a à sua colônia da Índia, expulsando a família real para um exílio na Índia. Em 1937, torna-se uma colônia à parte.
Durante a
Segunda Guerra Mundial, no período de 1942 a 1945, a Birmânia é ocupada pelo Japão, onde ocorrem violentos combates. Em 1948, torna-se uma república independente.
Em
1962, um golpe militar leva ao poder o general U Ne Win, que governa ditatorialmente até 1988, quando uma onda de protestos populares obriga a sua renúncia. Ainda em 1988 um novo golpe militar leva ao poder o general Saw Maung.
Em junho de
1989 o nome do país é alterado para Myanmar.
Em
1990, nas eleições para o parlamento, encarregado de elaborar a nova constituição, a oposição vence com ampla maioria, porém, o governo impede sua atividade. O país mergulha em crise política e social, com o governo reprimindo qualquer manifestação da oposição. No plano econômico, a ditadura estreita as relações com a China.

Fonte: Wikipédia – a enciclopédia livre

sábado, 29 de setembro de 2007

Mianmar : militares x monges budistas




Podemos ficar surpresos com as cenas que temos visto na televisão sobre a violenta repressão que impõe ao povo de Mianmar (ex-Birmânia) o governo militar ditatorial daquela nação tão desconhecida por nós.

Mas, em primeiro plano, serve para nos lembrar que as ditaduras militares (com ou sem apoio em segmentos civis) são mais comuns do que regimes democráticos. Segundo, que muitas de nossas "democracias" são tão meramente "representativas" de segmentos privilegiados ou corporativos manipuladores da opinião públicas (e das massas populares), que simplesmente reproduzem formas arcaicas e exercem o poder em favor de interesses particulares (ou de grupos) e não da cidadania.


Um aspecto que temos dificuldades para entender é que são monges budistas que estão enfrentando a ditadura em Mianmar. Precisamos saber que 87% das população birmanesa é budista e, portanto, tem um profundo respeito e reconhecimento pelos monges. Como os políticos estão encarcerados, os monges budistas resolveram enfrentar a Junta Militar (no poder desde 1988!) que esmaga seu país. Daí sua luta por democracia ser denominada "Revolução Açafrão" (uma referência à cor dos hábitos dos monges budistas -cor de canela e com um amarelo alaranjado que chama a atenção!).





DADOS SOBRE MIANMAR (ex-Birmânia)


Capital: Yangón

Governo: Regime (ditadura) Militar

Festa nacional: 4 de janeiro. Dia da Independência (1948)

Chefe de Estado: Than Shwe (Presidente do "Comitê Estatal para a Paz e o Desenvolvimento")

Chefe de Governo: Khin Nyunt (Primeiro-Ministro)

População: 42.510.537 (2003)

Idioma oficial: Birmanês

Religião majoritária: Budistas (87%), minorias de Cristãos, Muçulmanos (muslins), Hindus, Crenças tradicionais chinesas e birmanesas e animistas.

Moeda: Kyat

Superfície: 678.500 km²

Página oficial na WEB: http://www.myanmar.com/

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Roubaram nosso título de 2005



O INTERNACIONAL - Campeão do Mundo - da América e da Recopa é o verdadeiro campeão brasileiro de 2005.


E a imprensa paulista disse que a fala do (ex) presidente do Corinthians não confessou nada com aquela fala por telefone????!!!!!




domingo, 23 de setembro de 2007

Artigo de Opinião



Renda e Igualdade
Por Julio Dorneles*



Foto: Sebastião Salgado - Terra - MST

Infelizmente o ambiente político nacional tem pouco contribuído para que tenhamos condições racionais para analisarmos a trajetória econômica e social das políticas adotadas pelo Governo Federal desde que o povo brasileiro fez de Lula o presidente (2002). Quando há algum tipo de “análise”, é comum se apegarem a indicadores pouco esclarecedores que têm como referência os altos índices de crescimento ora da economia chinesa ora da Argentina ou Venezuela.



Considerando-se que nos encontramos no segundo mandato de Lula e no 5° ano consecutivo, podemos colher alguns indicadores sólidos de que houve no Brasil uma curva positiva que nos desviou daquele rumo neoliberalizante dos anos 90 do século 20. Em setembro de 2006, dados divulgados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) demonstravam que os pobres (e os mais pobres entre os pobres), pela primeira vez melhoravam de renda, enquanto que os ricos (e, entre os ricos os mais ricos), estagnavam. Sendo que pela primeira vez havia uma diminuição na desigualdade social. No período então estudado (2001-2004), o Brasil dos 20% mais pobres crescia mais do que 90% dos países do mundo. Em contrapartida, apenas um em cada dez países crescia menos do que a economia dos 20% brasileiros mais ricos. Considerando-se os 10% brasileiros mais pobres, o crescimento anual no período foi 7,2%. A pesquisa Ipea demonstrou o menor índice em três décadas no índice de desigualdade de renda familiar per capita.



Agora (setembro de 2007), a Fundação Getúlio Vargas (FGV) está revelando a análise que fez dos microdados da pesquisa por Amostra de Domicílios de 2006 (Pnad), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento da FGV aponta para a manutenção da redução dos índices de desigualdades e de distribuição de renda no país. Segundo a FGV, a proporção de brasileiros situados abaixo da linha de pobreza caiu de 35% para 19% do total da população, ou seja, uma redução de 45% no percentual de pobres em um intervalo de 14 anos (1993-2006). E há um dado mais impactante: houve em 2006 uma redução da miséria no país em cerca de 15%. Sendo este o melhor resultado dos últimos dez anos. Os dados da Pnad, enfim, mostram um crescimento da renda domiciliar per capita (ou seja, já descontado o crescimento da população) de 9,16%.



O que as análises apontam é que estamos muito longe de abandonarmos o topo da desigualdade social mundial mas estamos no caminho certo e fazendo o que tem que ser feito: crescer reduzindo a desigualdade, colocando mais “fermento” (renda) na base social dos mais pobres. O Brasil precisa crescer, mas com distribuição de renda e redução da desigualdade.




*Julio Dorneles – Professor de História e especialista em Administração Pública. www.juliodorneles.blogspot.com
- e-mail: juliodorneles@hotmail.com – fone cel. 51 8176 1970

Observação: para acessar a análise completa:
http://www3.fgv.br/ibrecps/RET3/index.htm. Sítio da FGV.

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Nossa Revolução - Nossa Guerra - Nossa Liberdade





A batalha dos Farrapos de Wasth Rodrigues


Como a Aurora Precursora

do Farol da Divindade...



Em 20 de setembro de 1835 a voz do Rio Grande do Sul pôde ser ouvida por todos! Farrapos ou Farroupilhas: "índios" gauchos, lanceiros negros, Bento Gonçalves, General Neto, Onofre Pires, Lucas de Oliveira, Vicente da Fontoura, Pedro Boticário, David Canabarro, Vicente Ferrer de Almeida e José Mariano de Mattos e tantos outros irmãos que a estes se juntaram elevaram às alturas a voz do Rio Grande contra a TIRANIA. A eles se juntaram os Carbonários Luigi Rossetti e Giuseppe Garibaldi e Anita.


LIBERDADE, IGUALDADE e HUMANIDADE

bradaram os Farrapos naquele 20 de setembro! Tão longe... tão próximo de nós!


Viva a República Riograndense! Abaixo à tirania!



Muito há por que lutarmos ainda, mas o que seria do Rio Grande e do Brasil se tivéssemos nos submetido à tirania, à escravidão!



Por Quem Cantam os Cardeais

Vaine Darde e João Chagas Leite


Não te preocupa bagual
Que campeiro não se engana
Quem segue o rastro do sol
Sempre chega a Uruguaiana

O caminho pouco importa
Alegre ou Itaqui
Pois quando a gente volta
Tanto faz por onde ir

Pois quem bebe do Uruguai
Não vive longe de casa

Barranqueiro e campeiro
Este meu canto
Vai no vento feito chasque
Campo afora

Pra essa terra onde eu nasci
E amo tanto
Mas que volto
Qualquer dia, a qualquer hora

Por onde quer que se ande
Na velha sina haragana
Pois não conhece o Rio Grande
Quem não foi a Uruguaiana

Quando o verde das pastagens
Se dourar os arrozais
Tu saberás na paisagem
Por quem cantam os cardeais

Segue o rumo companheiro
Onde está meu coração
Que acharás algum parceiro
Pra cantar essa canção

URUGUAIANA!!!

sábado, 15 de setembro de 2007

Renato Russo - Especial


Gostei muito do especial Por Toda a Minha Vida - Renato Russo ( 27/03/1960-:11/10/1996) ontem à noite na Globo. É sempre legal lembrar dos anos 80 e das melhores pessoas que viveram esses nossos anos de juventude (afinal já tamos mais pros "entas", e há tempos que vivemos os anos 80 !!!)

Vimos, principalmente após 1985, muitos amigos que estavam ao nosso lado serem consumidos pelo vírus HIV - aguns foram lentamente outros muito rápido mesmo! E ainda temos (graças aos avanços da medicina e uma maior consciência da doença) alguns entre nós que convivem com o vírus e com o preconceito que perdura em muitos segmentos.

Renato Russo compôs e interpretou todos nossos amores, paixões e dores, porque as letras de suas músicas eram e são antológicas. ARRISCO DIZER AQUI QUE MUITOS DE NOSSOS NETOS E NETAS VÃO CANTAR LEGIÃO (possivelmente entre seus 15 e 35 anos, pelo menos!) Renato estaria hoje com 47 anos...

Retrospectivamente é só olhar novamente para 1985 e voltar no tempo: o primeiro albúm LEGIÃO URBANA tinha "Será", "Petróleo do Futuro" e "Teorema". O Albúm DOIS (1986) tinha "Andrea Dorea", "Índios" e "'Fábrica". "Química" e "Faroeste Cabloco", no ano seguinte, em "QUE PAÍS É ESTE 1978-1987".... Era muito claro o arrebatamento que teríamos que enfrentar sem entender muito bem o que ocorria a nossa volta e, principalmente dentro de nós mesmos.


Quem puder que ouça a voz do Renato Russo:


PETRÓLEO DO FUTURO


Vamos celebrar a estupidez humana
A estupidez de todas e as nações
Meu país e sua corja de assassinos
Covardes, estupradores e ladrões

Vamos celebrar a estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso Estado, que não é Nação
Celebrar a juventude sem escola
As crianças mortas
Vamos celebrar nossa desunião
Vamos celebrar Eros e Thanatos
Percephone e Hades

Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade.
Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta de hospitais

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos


Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras e seqüestros
Nosso castelo de cartas marcadas

O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda hipocrisia e toda afetação
Todo roubo e toda indiferença

Vamos celebrar epidemias:
É a festa da torcida campeã

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade


Vamos machucar um coração
Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado de absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio


Todo que é normal

Vamos cantar juntos o Hino Nacinal
(A lágrima é verdadeira)
Vamos celebrar nossa saudade
E comemorar a nossa solidão

Vamos festejar a inveja
A intolerancia e a incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente

Que trabalhou honestamente a vida inteira
E agora não tem direito a nada

Vamos celebrar a aberração

De toda a nossa falta de bom senso

Nosso descaso por educação


Vamos celebrar o horror
De tudo isso - Com festa, velório e caixão
Está tudo morto enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou esta canção


Venha, meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão.

Venha, o Amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera -Nosso futuro recomeça:
Venha, que o que vem é perfeição


música: Dado Villa-Lobos, Renato Russo, Marcelo Bonfá

letra: Renato Russo

domingo, 9 de setembro de 2007

Tem mais amigos...






Só não reparem nas havaianas do aniversariante !




Agradecimentos




A todos vocês amigos e amigas agradeço o carinho e a lembrança pela passagem de mais um ano dessa minha vida neste último 5 de setembro.




Afinal, como diria Fernando Pessoa:


"Tudo vale a pena se a alma não é pequena."
É tendo vocês por perto, ainda mais larga e profunda é a vida.
"As vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido."


sábado, 1 de setembro de 2007

Fórum EJA - São Leopoldo


EJA - educação de jovens e adultos

Na manhã desse sábado o CEPROL - SINDICATO dos Professores de São Leopoldo deu início ao Fórum do EJA no auditório do Círculo Operátio Leopoldense (COL). Participaram além de professores e professoras da Rede Municipal e Estadual ligados à Educação de Jovens e Aduldos, a equipe pedagógica da Smed e alunos(as) dessa modalidade. A iniciativa atende à demanda da assembléia realizada ainda no primeiro semestre e encaminhamento posterior do Conselho Político do Ceprol.


Novo encontro ficou pré-agendado para o sábado de 06 de outubro próximo no mesmo local.


A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS É FEITA DA RESPONSABILIDADE, DA ALEGRIA E DA PARTICIPAÇÃO DE TODOS NÓS!!!

domingo, 26 de agosto de 2007

Artigo de Opinião


Foto do Filme "Diários de Motocicleta"- Diretor: Walter Salles


Nuestra América
Por Julio Dorneles*

Ao contrário do que possam parecer, as características do cenário político latino-americano tão destacadas por analistas apressados das mídias não são nada originais ou inatas a nossa história. Antes, são heranças que persistem na longa trajetória desde o período colonial ao século 21.


Os tipos políticos “Chávez”, “Morales”, “Rafael Correa” ou “Kirshner” são bem comuns em “nuestra América”, mas antes mesmo, já eram recorrentes em outros contextos históricos: em Portugal, Espanha, Itália e por aí a fora. Tipos populistas, autoritários, corruptos, de esquerda ou de direita, não são “privilégios” latino-americanos nem exclusivos da nossa história.


Além disso há outras lideranças atuais que estão muito longe de serem enquadrados em estereótipos midiáticos. Pensemos na trajetória de Lula antes e depois de chegar à presidência do Brasil, ou em Felipe Calderón, no México, ou ainda em Michelle Bachelet, uma mulher à frente de um Chile “conservador”. Como agrupá-los sendo tão distintos entre si e, mais ainda, do grupo referido acima?

O que talvez nem percebamos é que vivemos um momento, do ponto de vista histórico, privilegiado na conjuntura para as relações políticas e econômicas internacionais de nossa América Latina. Basta lembrar do engessamento ideológico que vivemos ao longo da Guerra Fria (1945-1989/91), pós um brevíssimo momento de oxigenação democrática naqueles anos seguintes à Segunda Guerra Mundial. À América Latina, em seu conjunto, não havia outras alternativas que não alinhar-se ou aos EUA ou à União Soviética. Sabemos que, salvo pouquíssimas exceções a maioria submeteu-se às ditaduras militares ou a governos “fantoches” descaradamente manipulados ou “orientados” pelos interesses geopolíticos estadunidenses.

Hoje, entretanto, as alternativas são múltiplas no que se refere às orientações políticas e mesmo no que diz respeito às diretrizes econômicas e de desenvolvimento de tecnologias, comunicações, fontes energéticas, entre outras. Resta-nos portanto escolher entre reproduzirmos estereótipos ou construirmos uma nova história para Nuestra América a partir de nossa autoconsciência.


*Julio Dorneles – Professor de História e especialista em Administração Pública. http://www.juliodorneles.blogspot.com/
- e-mail:
juliodorneles@hotmail.com – fone cel. 51 8176 1970

domingo, 19 de agosto de 2007

Leitura para uma tarde e uma noite

Vou sugerir aos leitores do blog um livro perturbador. Trata-se de
  • "A Fábrica do Terrorismo: um livro incorreto para o uso de grandes pessoas", de François de Bernard, com tradução por Antonio Sidekum, e publicado pela Editora Nova Harmonia (São Leopoldo/RS-Brasil, 2006, com 88 p.). O livro pode ser lido em uma tarde e uma noite (o difícil será dormir depois de lê-lo!).

Depois da leitura fica-se tomado por uma absoluta convicção de que realmente nada sabemos sobre esse fenômeno genericamente chamado de terrorismo. Mesmo nós que estudamos História, Filosofia, Teologia, Ciências Políticas entre outras e que temos uma certa memória sobre os adjetivos atribuídos aos anarquistas, niilistas, comunistas e outros ao longo do século 19, muito pouco nos apropriamos do que são e das complexas conexões e desconexões entre o IRA, o ETA, a Al Qeda... e as práticas terroristas dos Estados (governos) e Impérios do passado e do presente (especialmente nos exemplos históricos do Império Colonial Britânico, ao longo de todo o século 19 até a independência da Índia e das colônias africanas, por exemplo, e no atual "império" estadunidense que atualmente ocupa militarmente com ou sem mandado da ONU o Iraque, o Afeganistão, após ter treinado o grupo de Osama Bin Laden para "libertar" a pátria afegã do imperialismo soviético).

Dois trechos da obra: "[...] do ponto de vista das oligarquias e dos déspotas 'democráticos' que manejam o terrorismo do estado como uma simples trolha, a incompreensão é um benfeitor sem comparação. Ela é uma condição da consolidação e da perenidade mesma de seu regime, e ela constitui igualmente a garantia de poder seguir suas atividades criminais em pleno dia sem risco de ver-se julgado segundo a lei comum. [...] p. 18-19 "[...] poder-se-ia pedir emprestado os meios do terrorismo sem adotar simultaneamente os fins (querendo ou não?) Podem-se usar armas, estratégias, táticas correspondentes a um projeto político de natureza criminal, pretendendo ficar 'do lado da democracia', como esta utilização não devesse necessariamente corromper toda ação subseqüente de quem dela tem recorrido?"

Sobre o autor:
François de Bernard é presidente do Groupe d´études et de recherches sur les mondialisations - GERM (Grupo de estudos e de pesquisas sobre as mundializações). Professor associado de filosofia na Universidade de Paris VIII Saint-Denis. Entre diversas obras é autor de "O Governo da Pobreza (também publicado no Brasil pela Editora Nova Harmonia, em 2004). Consultor de finanças públicas e privadas (atuando em empresas e governos), no domínio cultural, da diversidade cultural, para empresas e instituições internacionais. Participante e conferencista no Fórum Social Mundial de Porto Alegre, nas edições 2002 e 2003.e-mail: fdb@mondialisations.orghome: http://www.mondialisations.org

Comentário final: "Vale a pena perder o sono!"

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Alfonsina y El Mar

Olha! Vou dizer para vocês: não deixem de ouvir (e assistir) a CRISTINA DEL VALLE cantando "Alfonsina y el Mar", logo aqui ao lado nos vídeos do Amistades Peligrosas. E ouvir antes de dormir... e sonhar com o Mar... ah! o Mar ! Imenso Mar! As ondas vem e vão... como nossos sonhos...

A letra segue abaixo:

Alfonsina y el mar
(Félix Luna - Ariel Ramírez)
Por la blanda arena que lame el mar
su pequeña huella no vuelve más,
un sendero solo de pena y silencio llegó
hasta el agua profunda.
Un sendero solo de penas mudas llegó
hasta la espuma.
Sabe Dios que angustia te acompañó
qué dolores viejos calló tu voz
para recostarte arrullada en el canto
de las caracolas marinas.
La canción que canta en el fondo oscuro del marla caracola.Te vas
Alfonsina con tu soledad,
¿qué poemas nuevos fuiste a buscar?
Una voz antigua de viento y de salte requiebra el alma
y la está llevandoy te vas
hacia allá como en sueños,dormida, Alfonsina, vestida de mar.
Cinco sirenitas te llevarán
por caminos de algas y de coral
y fosforescentes caballos marinos harán
una ronda a tu lado.Y los habitantes del agua van a jugar
pronto a tu lado.
Bájame la lámpara un poco más,
déjame que duerma nodriza en paz
y si llama él no le digas que estoy
dile que Alfonsina no vuelve.
Y si llama él no le digas nunca que estoy,
di que me he ido.

Um ano da Conquista da Libertadores


PARABÉNS NAÇÃO COLORADA, o dia amanheceu e a recordação de uma ano atrás veio toda luminosa na retina da lembrança.

Vamos comemorar essa grande conquista da LIBERTADORES.



COLORADO, COLORADO,
NADA VAI NOS SEPARAR
SOMOS TODOS TEUS SEGUIDORES
E PARA SEMPRE VOU TE AMAR !!!

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

REVISTA PIAUÍ


O grande lance do momento é ler a Revista Piauí desse mês nas bancas. CABE DESTACAR seis poemas do poeta capilé FABRÍCIO CARPINEJAR. Por todos os comentários está um show, veja a propóstico o comentário abaixo (veja as notícias no box ao lado):



A educação de FHC


por Daniel Piza, Seção: política, jornalismo


A revista piauí deste mês é a mais comentada desde sua estréia há onze edições. Não por acaso, porque fala de temas menos exóticos, de apelo mais amplo, ao destacar dossiê sobre "política & poder". Em destaque, a matéria de João Moreira Salles com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Vêem-se a vaidade e a inteligência de FHC, além de sua dificuldade com a economia contemporânea, mas há passagens que estão passando despercebidas. A mais importante: "No meu governo, universalizamos o acesso à escola, mas pra quê? O que se ensina ali é um desastre." Ele diz isso como se nada tivesse a ver, e como se tivesse concordado com quem dizia isso durante seu governo... Incrível.
Há também matéria sobre Mangabeira Unger, que diz que pretende fazer uma transformação pessoal - "ser mais charmoso" e "dar tapinha nas costas" - para poder transformar o Brasil. Por favor, professor, nos poupe disso... E outra sobre Bruno Maranhão, o voluntarista do MSLT que invadiu o Congresso no ano passado e que pertence a família de usineiros, mora em apartamento de 210 metros quadrados e tem carro blindado... Para compensar, a revista traz seis ótimos poemas de Fabrício Carpinejar. Compensar é preciso.

domingo, 12 de agosto de 2007

GEOGRAFIA GERAL – HEMISFÉRIOS


Geografia vem das palavras gregas "geo" e "graphos" significando respectivamente Terra e escrever. Geografia é o estudo científico da superfície da Terra com o objetivo de descrever e analisar a variação espacial de fenômenos físicos, biológicos e humanos que acontecem na superfície do globo terrestre.
Ao observarmos o mapa mundi, notamos que as terras imersas e as águas se encontram em desigualdade distribuídas pelos hemisférios norte e sul:
· Pela maior concentração de terras imersas no hemisfério norte, principalmente entre o círculo polar ártico e o trópico de câncer, daí a denominação de hemisfério continental.
· * Pela predominância das águas no hemisfério sul, razão pela qual falamos em hemisfério das águas.


Hemisfério Norte
Hemisfério Sul

Dica de Pesquisa para alunos (Geografia e História)

Galera que tá em pânico mas que dispõe de uma boa banda larga para pesquisar, vai uma dica:
acesse www.mundovestibular.com.br/ - tem muita coisa boa nessa página. Ok? Vamos à luta pois estamos chegando na reta final do Segundo Trimestre. Depois, é contagem regressiva. Segue abaixo um exemplo de material disponível:


A QUESTÃO PALESTINA - Parte I

Palestina (do original Filistina – “Terra dos Filisteus”) é o nome dado desde a Antigüidade à região do Oriente Próximo (impropriamente chamado de “Oriente Médio”), localizada ao sul do Líbano e a nordeste da Península do Sinai, entre o Mar Mediterrâneo e o vale do Rio Jordão. Trata-se da Canaã bíblica, que os judeus tradicionalistas preferem chamar de Sion.




A Palestina foi conquistada pelos hebreus ou israelitas (mais tarde também conhecidos como judeus) por volta de 1200 a.C., depois que aquele povo se retirou do Egito, onde vivera por alguns séculos. Mas as sucessivas dominações estrangeiras, começadas com a tomada de Jerusalém (587 a.C.) por Nabucodonosor, rei da Babilônia, deram início a um progressivo processo de diáspora (dispersão) da população judaica, embora sua grande maioria ainda permanecesse na Palestina. As duas rebeliões dos judeus contra o domínio romano (em 66-70 e 133-135 d.C.) tiveram resultados desastrosos. Ao debelar a primeira revolta, o general (mais tarde imperador) Tito arrasou o Templo de Jerusalém, do qual restou apenas o Muro das Lamentações. E o imperador Adriano, ao sufocar a segunda, intensificou a diáspora e proibiu os judeus de viver em Jerusalém.A partir de então, os israelitas espalharam-se pelo Império Romano; alguns grupos emigraram para a Mesopotâmia e outros pontos do Oriente Médio, fora do poder de Roma. A partir de então, a Palestina passou a ser habitada por populações helenísticas romanizadas; e, em 395, quando da divisão do Império Romano, tornou-se uma província do Império Romano do Oriente (ou Império Bizantino). Em 638, a região foi conquistada pelos árabes, no contexto da expansão do islamismo, e passou a fazer parte do mundo árabe, embora sua situação política oscilasse ao sabor das constantes lutas entre governos muçulmanos rivais. Chegou até mesmo a constituir um Estado cristão fundado pelos cruzados (1099-1187). Finalmente, de 1517 a 1918, a Palestina foi incorporada ao imenso Império Otomano (ou Império Turco). Deve-se, a propósito, lembrar que os turcos, e embora muçulmanos, não pertencem à etnia árabe. Em 1896, o escritor austríaco de origem judaica Theodor Herzl fundou o Movimento Sionista, que pregava a criação de um Estado judeu na antiga pátria dos hebreus. Esse projeto, aprovado em um congresso israelita reunido em Genebra, teve ampla ressonância junto à comunidade judaica internacional e foi apoiado sobretudo pelo governo britânico (apoio oficializado em 1917, em plena Primeira Guerra Mundial, pela Declaração Balfour). No início do século XX, já existiam na região pequenas comunidades israelitas, vivendo em meio à população predominantemente árabe. A partir de então, novos núcleos começaram a ser instalados, geralmente mediante compra de terras aos árabes palestinos. Durante a Primeira Guerra Mundial, a Turquia lutou ao lado da Alemanha e, derrotada, viu-se privada de todas as suas possessões no mundo árabe.
A Palestina passou então a ser administrada pela Grã-Bretanha, mediante mandato concedido pela Liga das Nações. Depois de 1918, a imigração de judeus para a Palestina ganhou impulso, o que começou a gerar inquietação no seio da população árabe. A crescente hostilidade desta última levou os colonos judeus a criar uma organização paramilitar – a Haganah – a princípio voltada para a autodefesa e mais tarde também para operações de ataque contra os árabes. Apesar do conteúdo da Declaração Balfour, favorável à criação de um Estado judeu, a Grã-Bretanha tentou frear o movimento imigratório para não descontentar os Estados muçulmanos do Oriente Médio, com quem mantinha proveitosas relações econômicas; mas viu-se confrontada pela pressão mundial da coletividade israelita e, dentro da própria Palestina, pela ação de organizações terroristas.
Após a Segunda Guerra Mundial, o fluxo de imigrantes judeus tornou-se irresistível. Em 1947, a Assembléia Geral da ONU decidiu dividir a Palestina em dois Estados independentes: um judeu e outro palestino. Mas tanto os palestinos como os Estados árabes vizinhos recusaram-se a acatar a partilha proposta pela ONU. Em 14 de maio de 1948, foi proclamado o Estado de Israel, que se viu imediatamente atacado pelo Egito, Arábia Saudita, Jordânia, Iraque, Síria e Líbano (1ª Guerra Árabe-Israelense). Os árabes foram derrotados e Israel passou a controlar 75% do território palestino. A partir daí, iniciou-se o êxodo dos palestinos para os países vizinhos. Atualmente, esses refugiados somam cerca de 3 milhões. Os 25% restantes da Palestina, correspondentes à Faixa de Gaza e à Cisjordânia, ficaram sob ocupação respectivamente do Egito e da Jordânia. Note-se que a Cisjordânia incluía a parte oriental de Jerusalém, onde fica a Cidade Velha, de grande importância histórica e religiosa.