sábado, 29 de setembro de 2007

Mianmar : militares x monges budistas




Podemos ficar surpresos com as cenas que temos visto na televisão sobre a violenta repressão que impõe ao povo de Mianmar (ex-Birmânia) o governo militar ditatorial daquela nação tão desconhecida por nós.

Mas, em primeiro plano, serve para nos lembrar que as ditaduras militares (com ou sem apoio em segmentos civis) são mais comuns do que regimes democráticos. Segundo, que muitas de nossas "democracias" são tão meramente "representativas" de segmentos privilegiados ou corporativos manipuladores da opinião públicas (e das massas populares), que simplesmente reproduzem formas arcaicas e exercem o poder em favor de interesses particulares (ou de grupos) e não da cidadania.


Um aspecto que temos dificuldades para entender é que são monges budistas que estão enfrentando a ditadura em Mianmar. Precisamos saber que 87% das população birmanesa é budista e, portanto, tem um profundo respeito e reconhecimento pelos monges. Como os políticos estão encarcerados, os monges budistas resolveram enfrentar a Junta Militar (no poder desde 1988!) que esmaga seu país. Daí sua luta por democracia ser denominada "Revolução Açafrão" (uma referência à cor dos hábitos dos monges budistas -cor de canela e com um amarelo alaranjado que chama a atenção!).





DADOS SOBRE MIANMAR (ex-Birmânia)


Capital: Yangón

Governo: Regime (ditadura) Militar

Festa nacional: 4 de janeiro. Dia da Independência (1948)

Chefe de Estado: Than Shwe (Presidente do "Comitê Estatal para a Paz e o Desenvolvimento")

Chefe de Governo: Khin Nyunt (Primeiro-Ministro)

População: 42.510.537 (2003)

Idioma oficial: Birmanês

Religião majoritária: Budistas (87%), minorias de Cristãos, Muçulmanos (muslins), Hindus, Crenças tradicionais chinesas e birmanesas e animistas.

Moeda: Kyat

Superfície: 678.500 km²

Página oficial na WEB: http://www.myanmar.com/

Nenhum comentário: