sábado, 15 de setembro de 2007

Renato Russo - Especial


Gostei muito do especial Por Toda a Minha Vida - Renato Russo ( 27/03/1960-:11/10/1996) ontem à noite na Globo. É sempre legal lembrar dos anos 80 e das melhores pessoas que viveram esses nossos anos de juventude (afinal já tamos mais pros "entas", e há tempos que vivemos os anos 80 !!!)

Vimos, principalmente após 1985, muitos amigos que estavam ao nosso lado serem consumidos pelo vírus HIV - aguns foram lentamente outros muito rápido mesmo! E ainda temos (graças aos avanços da medicina e uma maior consciência da doença) alguns entre nós que convivem com o vírus e com o preconceito que perdura em muitos segmentos.

Renato Russo compôs e interpretou todos nossos amores, paixões e dores, porque as letras de suas músicas eram e são antológicas. ARRISCO DIZER AQUI QUE MUITOS DE NOSSOS NETOS E NETAS VÃO CANTAR LEGIÃO (possivelmente entre seus 15 e 35 anos, pelo menos!) Renato estaria hoje com 47 anos...

Retrospectivamente é só olhar novamente para 1985 e voltar no tempo: o primeiro albúm LEGIÃO URBANA tinha "Será", "Petróleo do Futuro" e "Teorema". O Albúm DOIS (1986) tinha "Andrea Dorea", "Índios" e "'Fábrica". "Química" e "Faroeste Cabloco", no ano seguinte, em "QUE PAÍS É ESTE 1978-1987".... Era muito claro o arrebatamento que teríamos que enfrentar sem entender muito bem o que ocorria a nossa volta e, principalmente dentro de nós mesmos.


Quem puder que ouça a voz do Renato Russo:


PETRÓLEO DO FUTURO


Vamos celebrar a estupidez humana
A estupidez de todas e as nações
Meu país e sua corja de assassinos
Covardes, estupradores e ladrões

Vamos celebrar a estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso Estado, que não é Nação
Celebrar a juventude sem escola
As crianças mortas
Vamos celebrar nossa desunião
Vamos celebrar Eros e Thanatos
Percephone e Hades

Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade.
Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta de hospitais

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos


Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras e seqüestros
Nosso castelo de cartas marcadas

O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda hipocrisia e toda afetação
Todo roubo e toda indiferença

Vamos celebrar epidemias:
É a festa da torcida campeã

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade


Vamos machucar um coração
Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado de absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio


Todo que é normal

Vamos cantar juntos o Hino Nacinal
(A lágrima é verdadeira)
Vamos celebrar nossa saudade
E comemorar a nossa solidão

Vamos festejar a inveja
A intolerancia e a incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente

Que trabalhou honestamente a vida inteira
E agora não tem direito a nada

Vamos celebrar a aberração

De toda a nossa falta de bom senso

Nosso descaso por educação


Vamos celebrar o horror
De tudo isso - Com festa, velório e caixão
Está tudo morto enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou esta canção


Venha, meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão.

Venha, o Amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera -Nosso futuro recomeça:
Venha, que o que vem é perfeição


música: Dado Villa-Lobos, Renato Russo, Marcelo Bonfá

letra: Renato Russo

Nenhum comentário: