domingo, 20 de junho de 2010

Saramago, Mestre José da Língua e da Literatura Portuguesa

Há um ano perdemos a pessoa extraordinária de Mario Benedetti, agora Saramago nos deixa... poderia doer, deveríamos sofrer, mas a dignidade absoluta com que esses dois viveram só nos traz honradez, humanidade, irmandade, solidariedade, ética de fato e exemplos de retidão tão raros em nosso mundo.

Saramago, em especial, levou nossa língua portuguesa a uma significância tamanha que talvez só tenha sido precedia por Fernando Pessoa. Em especial, Saramago reunia a história e a literatura de forma magistral. Com humor e ironia refinados, explorava nosso vocabulário ao limite, do popular ao erudito. Quem poderia descrever de modo tão engraçado e crítico "a história do cerco de Lisboa".

Só a lamentar essa instituição grotesca chamada Vaticano criticá-lo por seu ateísmo. Diante desse "deus" imposto pelo Vaticano, até Cristo seria ateu.

Nenhum comentário: